Fonte: OpenWeather

    Acidente


    'Lancha da Globo que matou jovem no AM estava rápida demais', diz pai

    A canoa em que o agricultor estava com o filho de 15 anos foi atingida pela embarcação, na madrugada desta quinta-feira (13), no rio Negro, na região do bairro Tarumã-Açu, Zona Oeste de Manaus

    Confira reportagem | Autor: TV Em Tempo

    Manaus - “Não foi um choque lateral. A lancha deles pegou a nossa por trás e passou por cima do meu filho. Se fosse na lateral, eu teria visto e feito alguma coisa”, afirma o agricultor Paulo Henrique de Lima Cardoso, de 44 anos, ao descrever sua versão do trágico acidente que resultou na morte do filho Lucas Henrique de Lima Cardoso, de 15 anos, em um choque com uma lancha que levava profissionais da Rede Globo e da produtora Maria Farinhas Filmes. 

    Paulo exibe com tristeza a foto de Lucas Henrique morto no acidente com as duas embarcações
    Paulo exibe com tristeza a foto de Lucas Henrique morto no acidente com as duas embarcações | Foto: Janailton Falcão

    Em entrevista ao Em Tempo, na tarde desta quinta-feira (13), enquanto aguardava a liberação do corpo do filho no necrotério do Hospital e Pronto-Socorro da Criança, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, Paulo disse ainda que na hora do acidente, o local estava escuro.

    A colisão ocorreu por volta das 4h30 da madrugada desta quinta, nas águas do rio Negro, próximo ao Porto do Erã, na comunidade Jefferson Peres, situada no bairro Tarumã-Açu, Zona Oeste de Manaus. O corpo do adolescente não chegou a cair na água após o choque, de acordo com a versão apresentada pelo pai.

    Lucas Henrique tinha 15 anos e era o filho mais velho de cinco irmãos
    Lucas Henrique tinha 15 anos e era o filho mais velho de cinco irmãos | Foto: Divulgação

    Leia também: Acidente durante gravação de série da Globo no Amazonas deixa um morto

    Paulo sempre fazia o trajeto de madrugada, da comunidade Jefferson Peres até a capital para deixar a avó de Lucas, que trabalha em Manaus. “Eu estava pilotando e meu filho vinha focando na frente da canoa, uma técnica muito usada nas comunidades para outras embarcações avistarem a gente. Foi quando, muito rápido, eles bateram por trás. Quando sentimos o impacto, já era tarde e eles tinham passado por cima da canoa, foi quando mataram meu filho”, relatou.  

    Paulo também confrontou a informação de que o adolescente teria sido socorrido com vida. “Lá [local do acidente], meu filho já estava morto. A prova disso é que meu filho está todo quebrado, maxilar, braço... tenho certeza que eles passaram por cima. Eles vinham com tanta velocidade, que uns 30 a 40 metros depois, quando eu alarmei, foi que eles pararam”, contou o agricultor. 

    A família da vítima divulgou uma foto da canoa naufragada após o acidente
    A família da vítima divulgou uma foto da canoa naufragada após o acidente | Foto: Divulgação

    Para Paulo, a causa do acidente foi falta de atenção, porque a colisão ocorreu em uma parte larga do rio. “Eu acredito que vinham com bastante falta de atenção, porque se fosse de frente eu poderia ter alguma culpa, mas eles bateram nas minhas costas [traseira da embarcação]. Eu não tenho olho nas costas, eles que teriam que ter me visto”, declara o pai da vítima, completando que a Rede Globo está prestando apoio.

    O homem lembrou que Lucas, que era o filho mais velho, de um total de cinco irmãos. Era dedicado aos estudos e o ajudava nos afazeres para sustento da família, que vive da pesca e agricultura.

    “Era um menino tranquilo demais. Só andava de casa para a escola, da escola para casa, e já me ajudava muito. Foi até uma fatalidade, porque ele não tinha costume de andar comigo nesse percurso”, completou o homem.  

    Rede Globo

    Por meio de nota, a Rede Globo e a Maria Farinha Filmes, responsáveis pela lancha que colidiu com a canoa de Paulo, confirmaram o acidente e disseram que estão prestando todo o apoio necessário às famílias das vítimas, e que as gravações desta quinta foram suspensas. As duas empresas também aguardam as investigações das autoridades locais sobre o caso.   

    Paulo conversou com o Em Tempo enquanto aguardava a liberação do corpo do filho no Hospital da Criança, no bairro Compensa
    Paulo conversou com o Em Tempo enquanto aguardava a liberação do corpo do filho no Hospital da Criança, no bairro Compensa | Foto: Janailton Falcão

    Corpo de Bombeiros

    O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) informou que foram acionados por volta das 5h12 para a ocorrência, onde foram informados que um choque entre duas lanchas havia deixado uma criança ferida, e que já havia sido socorrida, primeiramente por populares.

    Ainda segundo o CBMAM, a equipe fez o resgate e transporte da vítima para ao HPS da Criança, onde apresentava escoriações pelo corpo e traumatismo crânio encefálico. O órgão informou que a vítima foi entregue na unidade com os sinais vitais, porém desacordada. Durante o transporte, houve um momento drástico, quando a vítima teve uma parada cardíaca, mas foi reanimada, conforme destacou o CBMAM em nota.

    “O atendimento à ocorrência, por parte dos Corpo de Bombeiros, graças a Deus foi um sucesso. Infelizmente, ficamos sabendo depois pela imprensa que a vítima não resistiu, mas a gente fez o máximo possível para que ela fosse resgatada e permanecesse com vida”, completou o sargento Denis Wilson. O caso foi registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na Zona Oeste de Manaus. 

    Edição: Isac Sharlon

    Leia mais: Grupo invade balsa de saúde indígena em Tabatinga e rouba objetos

    Após incêndio em flutuante família pede ajuda para recuperar moradia

    Vítimas de escalpelamento da Amazônia poderão receber pensão vitalicia

    CIDADANIA - ELEIÇÕES 2018

    Comentários