Fonte: OpenWeather

    Segurança


    Comunidade do Cacau Pirêra protesta por falta de segurança

    Os constantes assaltos têm causado medo entre os moradores

    A comunidade foi às ruas na tarde dessa terça feira clamando justiça e segurança | Foto: arquivo pessoal

    Moradores da comunidade de São José, no Distrito do Cacau Pirêra, em Iranduba (município distante 27 km de Manaus), foram às ruas, na tarde desta terça-feira (24), em protesto por falta de segurança e o alto índice de criminalidade na região. No dia 10 de outubro o corpo da merendeira Lázara Trindade, de 68 anos,  foi encontrado próximo à escola municipal Procópio Maranhão. O crime é investigado como latrocínio (roubo seguido de morte) 

    Familiares de dona Lázara Trindade, vitima de latrocínio também foram às ruas clamar por justiça.
    Familiares de dona Lázara Trindade, vitima de latrocínio também foram às ruas clamar por justiça. | Foto: arquivo pessoal

    Segundo o professor Francisco das Chagas, de 37 anos, a insegurança na comunidade é uma das principais preocupações dos moradores. Ele conta que os constantes assaltos tiram o sossego da população. 

    Leia também: Acorrentado ao hospital de Iranduba, vereador protesta contra falta de ambulâncias

    “ Aqui a nossa dor de cabeça é a falta de segurança. É muito assalto e as pessoas andam na rua com medo. Queremos tentar, pelo menos, sensibilizar as autoridades responsáveis com esse protesto. Dona Lázara foi apenas mais uma vítima dessa onda de assaltos que sofremos aqui”, desabafa o professor.

    A comunidade foi às ruas na tarde dessa terça feira clamando justiça e segurança
    A comunidade foi às ruas na tarde dessa terça feira clamando justiça e segurança | Foto: arquivo pessoal

    O protesto teve apoio de membros de igrejas locais e contou com a presença da Polícia Militar.  Os manifestantes seguiram até a comunidade Mutirão do Cacau, onde se uniram para fazer as reivindicações.

    “Vamos nos unir à comunidade próxima e reivindicar por segurança, temos direito. Essa situação não pode continuar e temos que ir para a rua gritar, ficar parado não resolve nada”, diz Francisco. 

    Leia mais:

    Mais 400 kg de drogas interceptados na "Tarrafa", em Manacapuru

    Corpo de mulher com sinais de violência é encontrado em ramal no Santa Etelvina

    Rival da Uber chega ao mercado brasileiro



    Comentários