Fonte: OpenWeather

    Educação


    Universitários inovam com projeto de robótica em escola no Amazonas

    A escola municipal Jorge de Rezende Sobrinho fica localizada na rua Nova Esperança, bairro Tancredo Neves, na Zona Leste de Manaus

    A escola se tornou referência em robótica educacional no Estado e na região Norte | Foto: Julian Carvalho

    Manaus - Há três meses, universitários implantaram o projeto piloto com a placa “Microbit”, na escola municipal Jorge de Rezende Sobrinho, na rua Nova Esperança, bairro Tancredo Neves, Zona Leste de Manaus. A unidade de ensino já desenvolvia projetos com robótica desde de 2015 e foi a primeira do Brasil a trabalhar com o dispositivo que inspira a criatividade digital, ensina a essência da programação e motiva infinitas ideias.

    No dia 10 de maio, cerca de 30 estudantes, do 7º e 8º ano do ensino fundamental, entre 12 e 14 anos, apresentaram os projetos criados nos últimos 90 dias durante a 1ª Feira de Exposição de Robótica com Microbit, elaborada pelos idealizadores do programa, Jonathas Pinheiro, Felipe Menezes e Cleanne Ferreira, universitários da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e da Universidade Paulista - Manaus (UNIP).

    Leia tambémNa melhor idade da vida, idosos retomam os estudos no Amazonas

    “Os alunos foram desafiados a explorarem todos os recursos da placa e criaram um protótipo que pudesse colaborar com o aprendizado deles dentro da sala de aula. Eles escolheram de uma a duas disciplinas para trabalharem, surgiram várias ideias, como jogos de matemática monitorado por um carrinho de controle remoto com o Microbit, drones, um regador automático de plantas para ser usado na horta da escola, dentre outros”, explicou a monitora Cleanne Ferreira, 21.

    Ruan Júnior Chaves Amaral, Iranildo de Jesus Marinho Filho e Cristian Chaves da Silva foram os vencedores da exposição
    Ruan Júnior Chaves Amaral, Iranildo de Jesus Marinho Filho e Cristian Chaves da Silva foram os vencedores da exposição | Foto: Julian Carvalho

    O diretor da escola, Oswaldo Fernandes aprovou a iniciativa e informou que a escola se tornou referência em questão de robótica educacional no Estado e na região Norte.

    “Com essa parceria do Microbit, conseguimos ampliar a quantidade de alunos envolvidos no projeto de extensão desenvolvido no contraturno. O número subiu de 26 para 118 alunos”, disse o gestor, que coordena as ações junto com a professora Grazielle Gomes de Souza.

    Premiação

    No final das apresentações, a equipe formada pelos alunos Ruan Júnior Chaves Amaral, Iranildo de Jesus Marinho Filho e Cristian Chaves da Silva, que criou um quis de história, foi contemplada com três placas Microbit para continuar o projeto na escola.

    Leia mais

    Aluno de escola ribeirinha conquista 3º lugar em Concurso

    Escolas de Manaus recebem monitoramento da polícia para inibir crimes

    Amazonenses são destaque em concurso nacional de matemática

    Comentários