Fonte: OpenWeather

    Rodoviários


    Rodoviários enfrentam Justiça e decidem manter greve nesta terça (29)

    Os trabalhadores reivindicam o ajuste salarial de 3,5%, além do dissídio coletivo referente a 2018/2019

    Segundo o líder do Sindicato dos Rodoviários, Givancir de Oliveira, apenas 50% da frota funcionará | Foto: Arquivo Em Tempo

    Manaus - O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários e Urbano Coletivo de Manaus e no Amazonas (STTRM) vai manter a greve anunciada para esta terça-feira (29). De acordo com o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir de Oliveira Silva, a greve tem como motivo o dissídio salarial da categoria. A categoria reivindica o reajuste salarial de 3,5%, além do dissídio coletivo referente a 2018/2019.

    Outras pautas da greve são os atrasos constantes nos pagamentos dos salários aos trabalhadores. Os rodoviários aguardam a decisão da Justiça para definir os pagamentos.

    Com a greve, o sindicato alerta que 50% da frota dos ônibus será paralisada por tempo indeterminado. Um comunicado divulgado pelo STTRM informa que o aviso da paralisação está sendo feito dentro dos parâmetros da Lei da Greve. 

    Leia mais: Rodoviários voltam atrás e suspendem greve na quarta em Manaus

    O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) confirmou, em nota, que fez um pedido ao Tribunal Regional do Trabalho para impedir a greve no transporte coletivo

    O Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, desde o último sábado (26) emitiu parecer afirmando que considera a greve ilegal e abusiva e, portanto, impediu a paralisação sob pena de multa no valor de R$ 30 mil, em caso de descumprimento da ordem judicial. 

    Na decisão, a desembargadora Ruth Barbosa apontou o não preenchimento integral dos requisitos previstos na Lei nº 7.783/89, que regulamenta o exercício do direito de greve, a respeito de um aviso prévio da categoria à sociedade para fazer a greve. 

    São necessárias pelo menos 72 horas de antecedência aos usuários do transporte coletivo tendo em vista tratar-se de serviço essencial à população. O transporte coletivo de Manaus opera com nove empresas, em 229 linhas, e transporta em média 750 mil pessoas por dia.

    A paralisação estava marcada a última quarta (23), porém foi cancelada no fim da tarde de terça (22) após o jurídico do sindicato verificar que havia erros de digitação no documento enviado ao Sinetram. O fato, de acordo com Givancir, possibilitou o recurso na Justiça contra a greve dos Rodoviários.

    Edição: Lívia Nadjanara

    Leia mais:

    Programa Agora da TV Em Tempo recebe denúncias de consumidor em Manaus

    Motoristas do transporte especial protestam na avenida Autaz Mirim

    Motoristas fecham avenida de Manaus em ato contra aumento da gasolina

    CIDADANIA - ELEIÇÕES 2018

    Comentários