Fonte: OpenWeather

    Política Pública


    Manaus avança na assistência e proteção às pessoas em vulnerabilidade

    Em cinco anos e meio de gestão, o atendimento oferecido pela Semmasdh foi aperfeiçoado

    A nova estrutura proporciona atendimento de qualidade e humanizado para os usuários | Foto: Arquivo Semcom

    Manaus - As políticas públicas para proteção às famílias e aos indivíduos têm sido fortalecidas em Manaus com a criação de novos centros de referência, ampliação de serviços e, principalmente, pela a regulamentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Em cinco anos e meio de gestão, o prefeito Arthur Virgílio Neto aperfeiçoou o atendimento oferecido pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh).

    “São pessoas cuidando de pessoas e possibilitando aos mais vulneráveis, sejam crianças, mulheres, idosos ou pessoas em situação de rua, a proteção e, em muitos casos, a chance de uma nova vida. Criamos novos centros de assistência social e, principalmente, fortalecemos nossas políticas públicas voltadas para a mulher, com a Subsecretaria de Políticas Afirmativas para as Mulheres”, destaca o prefeito Arthur Neto.

    Leia também: Trabalho de jardinagem é intensificado em Manaus

    Destaque também para a regulamentação do SUAS, pela Lei n° 2.234 de 19 julho de 2017, que possibilitou à assistência social do município agir em ações voltadas à Proteção Social Básica e Especial, das famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social e econômica.

    Prefeito de Manaus, Arthur Neto
    Prefeito de Manaus, Arthur Neto | Foto: Arquivo Semcom

    “As melhorias na oferta e na qualidade dos serviços em assistência social foram priorizadas e garantimos direitos de crianças, adolescentes, adultos e idosos desde a implantação de novos aparelhos socioassistenciais, até a concessão de benefícios como Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada (BPC) para pessoas com deficiência”, explica o secretário da Semmasdh, Dante Souza.

    Ampliação dos serviços

    Ao longo da atual gestão foram inaugurados dois Centros de Referência de Assistência Social (Cras), que trabalham o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, além da garantia de direitos da população e concessão de benefícios socioassistencias do Governo Federal.

    Também foram entregues três Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), oferecendo apoio, orientação e acompanhamento para a superação de situações de risco social, por meio da promoção de direitos, da preservação e do fortalecimento das relações familiares e sociais.

    Na Colônia Antônio Aleixo, zona Leste, por exemplo, as melhorias implantadas no Cras auxiliaram no melhor atendimento às famílias que moram mais afastadas do centro da cidade.

    “Acolhemos as famílias que se encontram em vulnerabilidade social ou têm dificuldades relacionadas ao acesso de serviços como educação, saúde, previdência. Trabalhamos o Programa de Atenção Integral à Família, que é o nosso carro-chefe, em um local que realmente necessitava desse tipo de atendimento”, conta a coordenadora do Cras Colônia Antônio Aleixo, Keitianne Moura.

    Para os moradores do local, a comodidade e a economia com transporte são as principais vantagens. “Foi um grande avanço para a comunidade, porque tínhamos que nos deslocar para outros bairros mais distantes e, principalmente, porque algumas famílias não têm condições de ficar indo e voltando de ônibus”, relata o morador Max Lira de Oliveira.

    Subcentrais

    Para otimizar o tempo gasto nos postos de atendimento e facilitar a vida dos usuários do Cadastro Único e beneficiários do Bolsa Família e BPC, duas novas Subcentrais do CadÚnico foram implantadas: no Shopping Phellipe Daou, Jorge Teixeira, e Galeria dos Remédios, Centro.

    Novo lar

    O Centro de Referência para Pessoas em Situação de Rua (Centro POP) passou a ter sede própria no bairro de Petrópolis, Zona Sul. A nova estrutura proporciona atendimento de qualidade e humanizado para os usuários. Em cinco anos e meio, foram efetuados 202.912 atendimentos, sendo 4.255 pessoas em situação de rua e que eram usuárias de crack ou outro tipo de droga ilícita, além de 2.115 mil migrantes.

    “Precisamos continuar com essas melhorias e investimentos nas políticas públicas, sobretudo na Assistência Social. Quanto mais atendimento de qualidade para o cidadão, melhor para o munícipio”, finaliza a diretora de área de assistência social, Luciete Azevedo.

    Com informações da assessoria*

    Leia mais: 

    Curso de Cuidador de idosos oferece 50 vagas em Manaus

    Trecho de ponte na Avenida Brasil é liberado para tráfego de veículos

    Rede Unida debate saúde dos imigrantes que entram no Brasil

    CIDADANIA - ELEIÇÕES 2018

    Comentários