Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    AM tem a maior queda percentual no consumo de energia na região Norte

    Dados são da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE)

    Amazonas teve redução de 12%, para 1.015 MW médios | Foto: Reprodução

    O Amazonas foi o que apresentou a maior queda percentual no consumo de energia desde que as medidas de isolamento social para contenção da Covid-19 começaram a vigorar no país, com redução de 12%, para 1.015 MW médios, de acordo com os dados apurados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

    Os dados são preliminares e comparam o período entre 18 de março e 10 de abril com as semanas de 1º a 17 de março, antes do início da quarentena. O levantamento considera a demanda do mercado cativo, em que o consumidor compra energia diretamente das distribuidoras, e do livre, que permite a escolha do fornecedor e a negociação de contratos. O levantamento não inclui os dados de Roraima, não interligado ao sistema elétrico nacional.

    Dados da CCEE
    Dados da CCEE | Foto: Divulgação

    No país, a queda no consumo de energia no Sistema Interligado Nacional entre os dias 18 de março e 10 de abril foi de 10%. Já no Ambiente de Contratação Livre (ACL), a queda foi de 14%, ao passo que no Ambiente de Contratação Regulada (ACR), a demanda diminuiu 9%, queda menor pela redução da continuidade do consumo da classe residencial.

    A indústria automotiva foi o segmento da economia que teve a maior queda no período, de 53%. Já o têxtil apresentou redução de 40%. Em seguida, destaca-se o setor de serviços, com redução de 34%. Manufaturados reduziram a demanda em 26%, enquanto o setor de minerais não-metálicos e o comércio tiveram queda de 19% e 13%, respectivamente.

    Sobre a CCEE

    A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE (www.ccee.org.br) é responsável por viabilizar e gerenciar a comercialização de energia elétrica no país, uma associação civil sem fins lucrativos, mantida pelas empresas que compram e vendem energia no Brasil. 

    *Com informações da Assessoria

    Comentários