Fonte: OpenWeather

    Ciência e Tecnologia


    Crianças criam app interativo sobre o Museu da Amazônia

    Com a preocupação em ajudar a aumentar a divulgação do Musa, meninos e meninas de 10 a 13 anos, criaram o aplicativo “Trilha Interativa”, que pode ser utilizado por celulares equipados com câmeras

    Informações sobre o Museu podem ser acessadas por meio do aplicativo no celular
    Informações sobre o Museu podem ser acessadas por meio do aplicativo no celular | Foto: Divulgação

    Manaus - Alunos da Escola de Robótica Manaós Tech for Kids, em Manaus, criaram um aplicativo para possibilitar aos visitantes do Museu da Amazônia (Musa),  mais conhecimento sobre a Reserva Florestal Adolpho Ducke e sobre o próprio Museu, durante visitação ao local.

    Com a preocupação em ajudar a aumentar a divulgação do Musa, meninos e meninas de 10 a 13 anos, estudantes da turma ‘Jedi’ de robótica, decidiram criar o aplicativo “Trilha Interativa”. A ferramenta utiliza-se de QR Code (Quick Response, reposta rápida em português; que é um código de barras bidimensional, que pode facilmente ser escaneado. A tecnologia é utilizada pela maioria dos telefones celulares equipados com câmera.

    “Nós descobrimos, por meio de uma pesquisa que fizemos, que sete de cada dez pessoas aqui em Manaus não conhecem o Musa, e isso é ruim porque nos leva a só 15% da bilheteria daquilo que é necessário para manter o Museu. Por isso, nós decidimos ajudar dessa forma, criando o aplicativo para que cada vez mais pessoas possam frequentar o Musa”, explica a pequena ‘Jedi’, Klivia de Lima Antero, de 13 anos.

    Funcionamento da App

    Klivia ensina como o app funciona. “A pessoa que visita o Musa, se depara com algumas plaquinhas informativas pelo o caminho. Então, ela pega o celular dela, ativa o aplicativo na opção “scanear”e posiciona o celular em cima da foto que está na plaquinha, daí aparecem várias informações sobre aquela determinada espécie que está na foto. E, depois que a pessoa tiver bastante informações a respeito do Musa, ela vai poder jogar o game que são várias perguntas para serem respondidas sobre a floresta, as plantas, sobre o Museu em si, animais, entre outros”, explica a pequena inventora.

    Outra aluna da turma de ‘Jedi’ da escola de robótica Manaós Tech, Júlia Fernanda Pereira da Silva Lago Lima, 12 anos, reforça a importância do Museu para a região. “O nosso tão lindo Musa é muito importante para a nossa região. Ele é uma barreira entre o cinza e o verde e não deixa que a cidade atropele a floresta e nem que a floresta atropele a cidade. Nele podemos encontrar diversas espécies como é o caso do nosso sauim de coleira que é uma espécie que já está em perigo de extinção e que só existe aqui na nossa região.Então, por isso estamos divulgando o Musa”, reforçou a aluna.

    Crianças conectadas

    Para o CEO da Manaós Tech, Glauco Aguiar, a iniciativa dos alunos em criar o aplicativo, que passou pela mentoria dele, só vem reforçar a ideia de que as crianças estão mudando de pensamento e entendendo mais o papel delas na sociedade.

    “Nossos alunos estão cada vez mais conscientes de que precisam um futuro melhor e é claro, de que são parte importante nesse processo de transformação do ser humano e de preservação da natureza”, reforça o educador.

    Para Júlia Lima, se o Museu não conseguir manter um bom público de visitações, pode ser que precise encerrar as atividades. “Se as portas do Musa se fecharem, vai ser muito triste para os animais”, apela a pequena inventora.

    O Musa

    O Museu da Amazônia foi criado em janeiro de 2009 como uma associação civil de direito privado e sem fins lucrativos. O Musa ocupa 100 hectares da Reserva Florestal Adolpho Ducke (que por sua vez, possui 10.000 hectares), localizado na Zona Norte de Manaus.

    É um museu vivo com área de floresta nativa onde o visitante pode fazer uma caminhada guiada para conhecer mais sobre a fauna e flora da floresta Amazônica. Além do Musa, dentro da Reserva Florestal Adolpho Ducke também está localizado o Jardim Botânico de Manaus.

    Na trilha no Musa, o  visitante pode conhecer o lago de vitórias régias, o aquário de peixes amazônicos, o serpentário e exposições locais, além da grande atração que é a torre observatório de 42 metros de altura, onde se tem uma vista privilegiada do contraste da floresta com a cidade urbanizada.

    Educação tecnológica

    A escola de robótica Manaós Tech for Kids alia a educação tecnológica à paixão pela inovação. No local, meninos e meninas de seis a 16 anos, aprendem sobre robótica, programação de games, mecânica, eletrônica, criação de aplicativos e edição de vídeos para o Youtube. 

    A escola está com matrículas abertas para novas turmas e também para a descoberta de pequenos gênios.

    “Na escola trabalhamos de maneira multidisciplinar onde as crianças aprendem matemática, física, entre outras áreas aliadas à tecnologia”, reforça o CEO da escola, Glauco Aguiar’.

    Para mais informações sobre os cursos basta acessar o site da escola: https://www.manaostech.com, pelo telefone (92) 98121-0730 e redes sociais.

    * Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Leia mais conteúdo sobre Ciência e Tecnologia no Portal EM TEMPO

    Você tem facebook e é fã de Karaokê? Saiba como usar o lip sinc live

    Reprodução de peixes é tema de evento internacional em Manaus




    Comentários