Fonte: OpenWeather

    Eleições


    Colômbia: Ex-líder das FARC lança candidatura à presidência

    O ex-líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Rodrigo Londoño, já foi um dos homens mais procurados do país. Agora ele é um candidato à Presidência

    A campanha é outro passo histórico para transformar as Farcs em um partido político. | Foto: Divulgação

    Bogotá - Mais conhecido pelo apelido Timochenko, Londoño lançou sua candidatura neste sábado (28) para assumir o governo que chegou a combater na selva. O início da campanha incluiu cartazes gigantes, confetes e até mesmo um jingle.

    "Estou empenhado em liderar esse governo de transição, para criar as condições para o nascimento de uma nova Colômbia, um governo que finalmente representará os interesses dos pobres", disse ele.

    Rompendo com a tradição de iniciar campanhas em hotéis de luxo de Bogotá, Timochenko lançou sua candidatura em um dos bairros mais pobres e mais perigosos da cidade, em um gesto claro para angariar votos entre a classe mais desfavorecida. Centenas de pessoas se reuniram no estacionamento de um centro comunitário decorado com cartazes que mostravam um Timochenko sorridente com uma barba cuidadosamente cortada, óculos grossos e uma camisa azul impecável.

    Leia também: 

    "Presidente, vamos para o povo", diz a nova música de sua candidatura. A campanha é outro passo histórico para transformar as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia em um partido político, após a assinatura de um acordo de paz em 2016 que acabou com um conflito de mais de meio século. O grupo rebelde mais importante do país é agora conhecido como a Força Alternativa Revolucionária da Comunidade, que mantém as siglas FARC e apresenta uma lista de ex-guerrilheiros como candidatos.

    Timochenko lançou sua candidatura em um dos bairros mais pobres e mais perigosos da cidade.
    Timochenko lançou sua candidatura em um dos bairros mais pobres e mais perigosos da cidade. | Foto: Divulgação

    Mas, mesmo que os ex-combatentes tenham mudado a roupa militar para camisas brancas com a emblemática rosa vermelha da festa, há lembranças recentes de que o caminho para a paz está cheio de riscos. Dois ex-combatentes foram mortos a tiros recentemente enquanto faziam campanha no noroeste da Colômbia para um candidato das FARC ao Congresso. De acordo com um recente relatório do governo, um total de 45 ex-membros das FARC ou suas famílias foram mortas. Muitos temem repetir os acontecimentos da década de 1980, quando centenas de políticos esquerdistas afiliados ao partido União Patriótica (UP) morreram nas mãos de diferentes grupos.

    No mesmo dia do início da campanha das FARC, pelo menos quatro policiais foram mortos e outros 42 ficaram feridos quando um explosivo caseiro explodiu fora de uma delegacia na cidade de Barranquilla, que destacou os desafios de segurança que permanecem apesar do acordo de paz. As informações são da Associated Press.

    Leia mais:

    Noite de violência e roubos em diferentes pontos da cidade

    Menino de 11 anos morre com tiro de arma com pressão

    Você usa o T1? Veja como está o transporte coletivo no local

    Comentários