Fonte: OpenWeather

    Terror nas ruas


    Confronto entre traficantes e milicianos aterroriza população

    Pelo menos três pessoas ficaram feridas durante a ação dos traficantes

    Ao menos três pessoas ficaram feridas durante guerra entre traficantes e milicianos | Foto: Reprodução

    Rio de Janeiro - Um confronto entre traficantes e milicianos aterrorizou moradores do bairro de Santa Cruz, na zona oeste do Rio, na manhã desta segunda-feira(8). Pelo menos três pessoas ficaram feridas.

    O tiroteio impediu que muitos moradores do bairro saíssem para trabalhar. O confronto interrompeu a passagem de veículos na Avenida Cesário de Melo, uma das principais vias da região, na altura da Avenida Antares, informou o Centro de Operações da Prefeitura do Rio. A circulação de ônibus do corredor expresso BRT também foi temporariamente suspensa.

    Imagens flagradas pelo helicóptero da TV Globo mostravam ao menos 18 milicianos usando fardas parecidas com as da Polícia Militar e portando armamento pesado. Policiais do 27º Batalhão da PolíciaMilitar (BPM), em conjunto com agentes do 14º Batalhão e de unidades do Comando de Operações Especiais (COE), Batalhão de Ações com Cães (BAC), Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e Grupamento Aeromóvel (GAM), fazem uma operação na comunidade do Rola.

    Até o fim da manhã, apenas um suspeito tinha sido preso. Foram apreendidos quatro fuzis e uma granada. Os policiais recuperaram na comunidade uma picape roubada e uma van usada por criminosos.

    Segundo informações da Polícia Militar, dois feridos deram entrada no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca bairro da zona oeste. Um deles carregava munições, o outro tinha mandado de busca e apreensão em aberto. Um terceiro ferido deu entrada no Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz.

    Guerra entre milícia e tráfico em Santa Cruz entra em discurso de candidatos no Rio

    A disputa por território entre milicianos e traficantes em favelas de Santa Cruz, na zona oeste do Rio, na manhã desta segunda-feira, foi abordada pelos dois candidatos ao governo do Estado que passaram para o segundo turno, Wilson Witzel (PSC) e Eduardo Paes (DEM). Ambos disseram ser necessário intensificar o combate às milícias, que vêm avançando nos últimos dez anos em comunidades antes dominadas pelo tráfico de drogas e também naquelas onde não havia este tipo de ação criminosa.

    A investida de milicianos nas favelas do Rola, Antares, Cesarão e Aço contra traficantes foi filmada pelo helicóptero da TV Globo. Nas imagens, é possível ver 18 homens vestidos de preto, como se fossem policiais, portando fuzis e caminhando pelas ruas. Não há moradores à vista - eles estavam dentro de casa, apavorados, sem poder sair para o trabalho nem para levar os filhos à escola. 

    "Se fosse no meu governo, (a milícia) não estava entrando, não estava desfilando de fuzil na rua. Vamos investigar a lavagem de dinheiro, identificar quem está comprando armas e drogas e alimentando o crime organizado. Vamos tirar o dinheiro deles e agir com rigor", disse Witzel, em agenda de campanha na Central do Brasil."

    Tem que prender todo mundo, do tráfico e da milícia. E tem que olhar com mais calma a interferência desse jogo de milícias no processo eleitoral", afirmou Paes, caminhando por Belford Roxo, na Baixada Fluminense. "Ambos têm que ser combatidos no meu governo. Não tenho medo de bandido, de cara feia. Foi assim na prefeitura do Rio. Não tem negócio de endurecer, como gestor já provei que sou duro o suficiente. Vou respeitar o direito das pessoas e proteger os cidadãos. Estou há 25 anos na vida pública já fui ameaçado algumas vezes e nunca fugi correndo".

    Leia mais

    Tia de traficante é executada no domingo de eleições, em Manaus

    Homem esfaqueia padrasto após saber que irmã quase foi estuprada

    Homem é executado a tiros por criminosos na Zona Sul de Manaus

    Comentários