Fonte: OpenWeather

    Aprendizagem


    Curso de eletricista predial chega aos presídios do Amazonas

    Em outras unidades, como a de Itacoatira, houve necessidade de aumentar a quantidade de vagas para o curso de pintura predial que começou no começo deste mês

    Internos participando do curso | Foto: Divulgação

    Manaus - Internos de duas unidades prisionais do Amazonas terão acesso ao curso de eletricista predial. O anúncio foi feito, nesta quinta-feira (4), pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

     Localizada na Zona Leste de Manuas, a Unidade Prisional de Puraquequara (UPP) é uma dos exemplos d  que vale a pena investir em iniciativas esportivas e culturais, para a formação de mão de obra visando necessidades do  mercado de trabalho. 

    O coordenador técnico regional da Umanizzare, Valter Sales, diz que para reabilitar, além de boas condições físicas, o detento precisa de atividades que ofereçam um futuro de volta à sociedade. 

    “E eles não só entenderam isso, como agora nos pedem atividades.  Este curso de agora por exemplo, quando anunciado, foi rapidamente preenchido e já estamos nos organizando para abrir vagas para uma segunda turma”,  disse o gerente. 

    Ao todo 30 reeducandos, sendo 15 da UPP e 15 do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) estão recebendo a qualificação. O  curso  é  ministrado pelo instrutor Jones Barreto da Silva,  com carga horária de 160 horas – sendo quatro horas diárias. Em novembro os participantes que concluírem o curso, receberam certificados.  Jones ressalta a importância do curso, no contexto prisional.

    “ Exploramos a  capacidade dos reeducandos de se desenvolverem, porém  é necessário entender as dificuldades e limitação de cada um para ensinar o ofício. É preciso incentivo, mostrando que o curso é uma ponte de entrada para as infinitas possibilidades que o custodiado tem e deve buscar”, disse o instrutor.

    Já a psicóloga do CDPM, Flávia Bueno, ressalta também, o conjunto de benefícios que o projeto traz para a vida dos internos.

      “O conhecimento em áreas específicas, a valorização da própria capacidade, a tranquilidade passada para a família por estar buscando meios de inserção no trabalho, pró-análises curriculares exigidas pelo mercado, e claro, a remição de pena, motivam os reeducandos para que persistam nos cursos”, diz a psicóloga.

    Um dos participantes, o reeducando do CDPM Alex Batista, afirma que ter noção do funcionamento e das novidades do mercado de trabalho é um grande incentivo. “Além da remição de pena, o projeto nos motiva a aprender cada vez mais”.  Alex conta, ainda, sobre o que mais gostou no curso. “As aulas práticas, devido à qualidade dos materiais e ferramentas disponíveis, são as mais interessantes. Gosto também da forma como a técnica é ensinada, misturando a teoria educacional com temas nas áreas de física, matemática”, declara.

    Curso Pintura Predial – Na Unidade Prisional de Itacoatira (UPI) foi preciso  a direção precisou aumentar  a quantidade de vagas para o curso de pintura predial que começou no dia 10 de setembro, a pedido dos próprios reeducando, passando de 15 para 25 alunos. 

    O Curso é ofertado em parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (CETAM – Itacoatiara) e também faz parte do Projeto do Núcleo de Aprendizado Profissional (NAP), terá duração de aproximadamente 2 meses, com carga horária de 160 horas. 

    As aulas serão realizadas de segunda a sexta feira, com três horas diárias e dá ao preso os direitos de receber um certificado e remição de pena pelo estudo, após conclusão profissionalizante.

    O instrutor, Luiz Carlos da Gama marques, reitera que este projeto se torna cada vez mais atrativo entre os reeducandos. “Os cursos são muito bem aceitos, dado que eles conhecem a exigência do mercado, e sabem que são necessárias várias etapas de estudo e aulas práticas.

    Tudo que é disponibilizado ao interno, inclusive os materiais, incitam o interesse em aprender uma profissão e até de se tornar um empreendedor”, afirma o instrutor. 

    A gerente técnica da unidade, Maria Domingas Printes, diz que, um curso nesse porte torna-se atrativo aos reclusos de liberdade, por possuir uma carga horária extensa e qualificando-os para o mercado de trabalho.

    Nap - Idealizado pela Umanizzare Gestão Prisional, o Núcleo de Aprendizado Profissional (NAP) cria um espaço adequado para a realização de cursos profissionalizantes, treinamentos, capacitações, palestras, entre outros para os reeducandos.

    Uma atmosfera acolhedora, estruturada e organizada é criada para favorecer o processo de motivação, permanência e aprendizagem, sempre com foco na ressocialização, inserção e/ou reinserção dos reeducandos no mercado de trabalho.

    Leia mais: 

    TCE-AM realiza 2º Simpósio Nacional de Ouvidorias

    Confira as 560 vagas gratuitas do Senai em parceria com a Prefeitura

    Congresso Norte Nordeste de Genética Médica será realizado em Manaus

    Comentários