Fonte: OpenWeather

    Dia do Economista


    Economistas amazonenses falam sobre a situação financeira do Estado

    Nesta segunda-feira (13) é comemorado o Dia do Economista, um dos profissionais mais tradicionais da história moderna, e um dos mais exigidos durante a crise financeira atual

    O dia do economista terá uma semana completa de programação do Corecon-AM | Foto: Reprodução

    Manaus - A tão esperada recuperação da saúde financeira do Estado passa pelas mãos dos economistas. Esses profissionais comemoram o seu dia nesta segunda-feira (13), e para homenagear os economistas, o Em Tempo destaca a figura do profissional com uma entrevista com dois renomados economistas amazonenses, Ailson Rezende e Mourão Júnior.  

    O dia do economista é comemorando nesta data, porque em 13 de agosto de 1951, o então presidente da república, na época, Getúlio Vargas, sancionou a lei nº 144, que oficializava a criação da profissão de economista no Brasil, que completando 67 anos nesta segunda feira

    Com 53 anos de idade e 20 deles dedicados a economia, o amazonense Ailson Rezende formado pela UFAM (Universidade Federal do Amazonas), pós-graduado em engenharia econômica pelo CIESA (Centro Universitário de Ensino Superior do Amazonas), hoje atua como consultor de empresas e projetista. 

    Ailson Rezende já presidiu o Corecon-AM e tem 20 anos de carreira econômica
    Ailson Rezende já presidiu o Corecon-AM e tem 20 anos de carreira econômica | Foto: Arquivo pessoal

    Leia também: Indústria amazonense registra crescimento aponta IBGE

    Para Ailson Rezende, O brasil ainda não conseguiu sair da crise econômica, e o Amazonas acaba sentindo o mesmo efeito. “A diferença é que Manaus tem o polo industrial com mais de 500 empresas instaladas no mesmo ponto e gera bastante emprego proporcionalmente em relação algumas outras capitais, e o reflexo acaba sendo menor, mas ele existe”, afirma.

    Durante a crise econômica, Rezende conta que a rotina ficou intensa, sendo procurados e solicitados tanto pela imprensa, como pelas entidades e principalmente por empresários para rever incentivos, verificar como atuar para reduzir impacto de tributos. Durante a crise, o economista é o profissional mais procurado”, disse. 

    Formação e mercado

    Para o curso de economia a procura não é tão elevada, quanto de outros da área financeira como contabilidade e administração, mas há a disponibilidade nos centros de formação nas federais, estaduais e privadas.

     “Aqui no Amazonas ainda não chegamos a 3 mil registros, enquanto a área de administração já tem mais de 20 mil. As pessoas acham que é um curso difícil porque exige muita leitura e migram para outras áreas como contabilidade e administração, mas não é”, comenta. 

    A remuneração média para um economista em Manaus é de R$ 4,5 mil, tendo como principal destaque de função, atualmente, a gerente de carteira financeira, que por exigência tem que ter formação em economia e cursos em economia financeira.

    Segundo Rezende, esse profissional é bastante procurado pelos bancos e instituições financeiras. " A gente avalia vários fatores que estão ao redor e o sistema analisa um ponto fechado, então nunca vai substituir a presença humana”.

    No meio, Mourão Júnior é empossado como presidente do Corecon-AM
    No meio, Mourão Júnior é empossado como presidente do Corecon-AM | Foto: Reprodução

    Mourão Júnior é economista desde o ano de 2009 e professor universitário desde 2014. Recentemente, ele foi eleito o presidente do Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM).

    De acordo com o economista, o Amazonas se tornou muito dependente do modelo econômico Zona Franca. 

    “O modelo Zona Franca foi e é primordial para o crescimento, desenvolvimento econômico e social da nossa região, mas com o passar do tempo nos tornamos refém, sem ter outras opções. Sempre foi necessário desenvolver mais a nossa agricultura, o nosso turismo para não depender somente do Polo Industrial”, detalha. 

    Comemoração

    Para comemorar o dia do economista, Mourão informou que o Corencon-AM está preparando uma semana inteira de programação com palestradas e oficinas, que já iniciam nesta próxima segunda-feira (13). Entre os ventos está incluso a comenda que será entregue ao economista do ano, eleito pelos membros do Corecon-AM. 

    Este ano o vencedor do prêmio foi o economista, Sylvio Puga, que também é professor e reitor na Ufam. Puga é pós-doutorado em economia pelo IE-Unicamp desde o ano de 2010 e atualmente é professor do Departamento de Economia e Análise da Ufam. O prêmeio será entregue em solenidade na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), às 19h do dia 16 de agosto.   

    Programação

    A programação da semana do economista vai estar recheada com programação até o dia 18 de agosto. Entre os destaques está a abertura da semana que vai acontecer no dia 13, na sede do Corecon-AM das 14h às 17h com a palestra “Corrupção e seus efeitos sobre a dinâmica do crescimento regional”. 

    No dia 16 no auditório Senador João Bosco da Aleam, será feita a cerimônia de comemoração ao dia do economista. O evento será das 19h às 21h. Outro evento, no Sumaúma Park Shopping, sobre consultoria em orçamento doméstico será aberto ao público.

    As programações se encerram na sexta-feira (18) com um café da manhã no instituto Amazônia das 9h às 12h, e com contará com a presença de parlamentares e economista. A programação completa você confere no banner abaixo, divulgado pelo Corecon-AM. 

    | Foto: Divulgação


    Leia mais: Novos projetos irão gerar 17 mil empregos na Zona Franca de Manaus

    Disney na Amazônia projeto do Amazon Biopark não atrai investidores

    Caixa lança portal de loterias online

    Comentários