Fonte: OpenWeather

    Divulgação do Negócio


    Anúncio em carro de som é eficaz para atingir público-alvo em bairros

    O carro de som é alugado por hora, o que também não impede que locador e locatário também entre em acordo por um aluguel com período maior

    Perciliano Neto (à esquerda) e Maciel Neto (à direita) trabalham há décadas no ramo
    Perciliano Neto (à esquerda) e Maciel Neto (à direita) trabalham há décadas no ramo | Foto: Ione Moreno

    Manaus - Os carros de som fazem parte da cultura popular por todo o Brasil e em todo ano de eleição se multiplicam os profissionais desse ramo. Pelas ruas de Manaus são centenas espalhados por todos os bairros, fazendo os mais variados tipos de serviços de publicidade, atingindo de forma mais rápida e precisa o público alvo.

    Mas poucos sabem que por trás dessa atividade, os locutores devem seguir normas. Para quem vive o dia a dia dos carros de som, existem caminhos a serem seguidos para ter sucesso na profissão.

    Há mais de 30 anos na atividade, o locutor Maciel Neto, de 47 anos, disse que a clientela chega das mais variadas formas, sendo que uma delas é quando são fisgados pelos anúncios que os locutores fazem pela internet, mas também pode acontecer por indicações, a chamada propaganda de boca em boca.  

    Segundo ele, um cliente que já testou o serviço acaba falando para outros amigos e vice-versa, como, por exemplo, para pessoas que estão precisando e procuram saber dos amigos que já experimentaram.

    “Assim vai crescendo [a clientela], um passa para o outro, tanto é que tem clientes que vêm de outros bairros procurar no meu serviço”, explicou.  

    Leia também: Xote e toadas dominam jingles de campanha eleitoral no Amazonas

    Maciel Neto atende pelo número (92) 99371-9844
    Maciel Neto atende pelo número (92) 99371-9844 | Foto: Ione Moreno

    O locutor revelou, também, que a maior vantagem desse meio de comunicação, é que atinge diretamente o público local, ou seja, a comunidade. “Às vezes o empresário quer investir em propaganda na televisão, várias pessoas irão ver, mas aquele público-alvo dele no bairro acaba não vendo. O carro de som já vai atingir diretamente a comunidade, sem falar que é mais barato”, detalhou Neto.

    O carro de som é alugado por hora, o que também não impede que locador e locatário também entre em acordo por um aluguel com período maior. Maciel explicou que, em sua forma de atuar, normalmente o serviço é alugado por R$ 50 por hora, para carros de pequeno porte, para um período de pelo menos quatro horas.

    Os carros de pequeno porte para este serviço, são aqueles de passeio, contendo uma gaiola em cima, com quatro auto-falantes com super tweeter e driver em cada um. A partir de R$ 80 até R$ 100, o cliente já pode contratar um mini-trio elétrico, mas o valor pode variar dependo do local (bairro), onde será feita a propaganda, explica o locutor.

    O spot , peça sonora de publicidade (propaganda), é pago separadamente ao valor do carreto. Quando o cliente contrata o serviço de carro de som, não está incluso o spot, que pode ou não ser criado pelo dono do carro de som. Em casos de o locutor não saber criar, o cliente deve procurar um estúdio para gravar a propaganda e repassar ao carro de som para começar a tocar e rodar.

    Herança de família

    Perciliano atende pelo número (92) 99218-6617
    Perciliano atende pelo número (92) 99218-6617 | Foto: Ione Moreno

    Uma história de vida que se confunde com a dos carros de sons em Manaus é a de Perciliano Rage Neto, de 45 anos, que dedicou literalmente a vida inteira a atividade que herdou do pai, Antônio Santos Costa, falecido em 2009, e um dos pioneiros dos carros de som na capital do Amazonas, junto com José Milton. Inclusive, Antônio Santos foi responsável por fazer o som ambiente da antiga feira ExpoAgro por décadas.  

    “Deixei de fazer faculdade para seguir o que meu pai fazia, o que foi prioridade para mim. Meu pai começou praticamente no início da dedica de 70, e nasci em 1973, quando meu pai já estava no ramo junto com José Milton, em uma grande parceria que viria acabar um tempo depois por conta de um atrito, mas cada um seguiu seu caminho na mesma área”, relembrou.

    Perciliano diz que escolheu seguir os caminhos do pai, por pura paixão que ganhou pela atividade, mas que sempre deu para sobreviver pelo bom retorno financeiro, mesmo que esse não seja o principal objetivo. A categoria ainda não tem um sindicado próprio e alguns dos profissionais são registrados no Sindicato dos Radialistas de Manaus.

    “A gente trabalha para comércios, rede de lojas, supermercados, grandes distribuidoras e fazemos nosso próprio horário, você tem liberdade. Eu pelo menos não trabalho com isso só para ganhar dinheiro. Para trabalhar com carro de som, você tem que amar”, explicou Perciliano.

    Cliente satisfeito

    Carro de Som Personagem Maciel
    Carro de Som Personagem Maciel | Foto: Ione Moreno

    O outro lado desse universo fica por conta dos clientes que contratam o serviço e se obtém ou não o retorno esperado. Para o empresário Gildo Maringá, dono de três lojas espalhadas pelos bairros Compensa e Santo Agostinho, ambos na Zona Oeste de Manaus, o serviço de carro de som é unânime e imprescindível para os seus negócios há mais de dez anos.

    “A propaganda - como diz o ditado - é a alma do negócio. Já trabalhamos há vários anos com o Maciel Neto e realmente tem um retorno incrível, a gente vê a diferença no final de semana que fazemos a propaganda, comparado ao final de semana que não fazemos”, explica.

    O empresário acredita que a internet também é boa para as propagandas, mas para pequenos negócios como o seu, de estivas, variedades e papelaria, que concentra a clientela na comunidade, o carro de som é cirúrgico para atingir as pessoas com mais rapidez e eficiência. “Tem pessoas que ouvem a propaganda em outros bairros e vem procurar nossa loja”, enfatiza.  

    A multa para poluição sonora em carro de som pode chegar a R$ 46,4 mil
    A multa para poluição sonora em carro de som pode chegar a R$ 46,4 mil | Foto: Divulgação

    Legalidade

    Proprietários e condutores de carros adaptados à propaganda volante devem estar em dia junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). Por meio de nota, o órgão responsável por proceder a modulação e o licenciamento ambiental dos carros explicou todas as normas necessárias para estes profissionais atuaram sem prejudicar o ambiente sonoro da capital.

    O procedimento garante o disciplinamento dos níveis de pressão sonora, evitando ruídos acima dos níveis estabelecidos pela legislação eleitoral vigente. Somente este ano, 68 veículos de propaganda volante foram licenciados pela Semmas.

    Entre as normas a serem seguidas, estão as de que os veículos não podem ficar parados com o som ligado, inclusive em casos de engarrafamento, nem funcionar enquanto estiverem passando a uma distância mínima de 200 metros de escolas, hospitais, igrejas, creches e prontos-socorros.

    Se o veículo, mesmo licenciado, for flagrado com o volume acima dos decibéis permitido, sofrerá as penalidades cabíveis. A multa nesses casos pode variar de 51 a 500 Unidades Fiscais do Município (UFMs), o equivalente, respectivamente, a R$ 4,7 mil e R$ 46,4 mil, e o condutores poderão ter veículo e equipamentos sonoros apreendidos. 

    Carro de Som Personagem Maciel
    Carro de Som Personagem Maciel | Foto: Ione Moreno


    Leia mais: 

    Em ano eleitoral trabalho informal cresce no Amazonas

    Coworking: espaço colaborativo atrai empreendedores em Manaus

    Evento em Manaus apresentará propostas de investimentos nos EUA

    Comentários