Fonte: OpenWeather

    Capacitação


    Valorização de cursos técnicos aumenta durante a pandemia

    Covid-19 prejudicou principalmente as pessoas que possuem menor nível de qualificação profissional, segundo o IBGE

    Centro de ensino profissional de Manaus perceberam a alta procura por cursos qualificação | Foto: Divulgação

    Manaus - A crise sanitária causada pela Covid-19 não trouxe apenas impactos à saúde da população. Afetou principalmente a economia, principalmente quem possui menos qualificação, segundo a pesquisa mais recente do IBGE. Em meio a esse cenário, muitos amazonenses viram nos cursos técnicos a oportunidade de se capacitar e voltar ao mercado de trabalho em pouco tempo.

    Para se ter uma ideia, mesmo durante o período de isolamento social, o Centro de Ensino Literatus observou o aumento na procura por qualificação profissional. Segundo a mantenedora da instituição, Elaine Saldanha, a pandemia pegou todos de surpresa e o amazonense sentiu a importância de ter uma formação que proporcionasse uma renda segura.

    “Além do auxílio emergencial para a população trabalhadora informal, o Governo Federal também concedeu auxílio para as empresas, isso evitou um número maior de demissões, mas devido a incertezas, muitos trabalhadores se viram numa situação que precisavam garantir a renda do mês”, comenta.

    Durante a pandemia, o curso técnico de enfermagem foi um dos mais procurados
    Durante a pandemia, o curso técnico de enfermagem foi um dos mais procurados | Foto: Divulgação

    Por conta deste cenário, a Educação Profissional ficou fortalecida e os técnicos mais valorizados, principalmente o Técnico de Enfermagem, um dos principais profissionais que atuam na linha de frente no atendimento de pacientes com Coronavírus. Ao longo da pandemia, todos os meses iniciaram-se turmas de cursos técnicos no Centro de Ensino Literatus.

    E, com a queda dos casos de Covid-19 em Manaus, Elaine Saldanha conta que tanto as pessoas interessadas em ter uma formação técnica quantos os alunos da instituição sentiram mais confiança em se capacitar. “A oportunidade de ingressar no mercado de trabalho de forma mais rápida, visto que as capacitações têm menor duração quando comparadas a uma graduação superior, é uma das vantagens do curso”, destaca a mantenedora do Centro de Ensino Literatus.

    O baixo custo e o conhecimento mais prático sobre determinada área também foram fatores determinantes para o aumento na procura dos cursos. Outro diferencial é que esse tipo de formação pode ser feito antes mesmo de o jovem completar os estudos. Em geral, um aluno no segundo ano do ensino médio já pode cursar sem problemas e ainda tem a chance de se formar já empregado.

    Novo normal

    “Todas as instituições precisaram se reinventar através do ensino remoto e conosco não foi diferente, principalmente para atender ao cronograma e não afetar a conclusão do curso do aluno, para que ele possa entrar o mais rápido no trabalho. Porém, os problemas de acesso a internet foram e continuam sendo um desafio para nós”, disse Elaine.

    Apesar disso, mais de 95% dos estudantes aderiram ao modelo de ensino remoto, enquanto 5%, por insegurança ou perda da renda, desistiram do curso. Para continuar estudando, muitos estudantes tiveram o contrato renegociado ou foram atendidos pelo seguro educacional da instituição, que contempla a isenção de quatro mensalidades. “E, nesta semana, alguns alunos que haviam cancelado o curso voltaram a estudar”, revela a mantenedora.

    Na retomada dos estudos, o ensino híbrido, que combina aprendizagem online e em ambiente virtual, tem se tornado tendência nas instituições, por evitar a aglomeração e colocar em prática o distanciamento social de 1,5m na sala de aula, conforme preconiza a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

    A instituição também comprou Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para professores e colaboradores, passou a fazer aferição de temperatura, distribuição de máscaras, disponibilização de álcool em gel e instalou dez pias de fácil acesso nas três unidades, localizadas nas avenidas Djalma Batista (São Geraldo), Umberto Calderaro (Adrianópolis), e rua Pará (Vieiralves).

    Aprendizado

    Na avaliação da mantenedora do Centro de Ensino Literatus, os reflexos da pandemia devem durar ainda pelos próximos dois anos. “Principalmente porque ainda não temos vacina, então não podemos relaxar nos cuidados sanitários, para evitar contágios e imprevistos”, salienta Elaine Saldanha.

    Enquanto isso, aperfeiçoar o ensino híbrido e oferecer novas opções de capacitações tendem a ser uma saída. “Tivemos muitos aprendizados e lições nesse momento e a expectativa são os cursos on-line, que era um projeto que tínhamos para daqui a um ano, mas acabamos antecipando com a pandemia”, explica a gestora do Literatus.

    Cursos livres on-line na área da saúde: Biossegurança, Feridas e Curativos, Formação de Tutores em EaD, Formação de Tutores em EaD na Área da Saúde, Instruções para um Cuidador de Idosos, e Covid-19 - Atualizações e Evidências para Profissionais de Saúde, passaram a ser oferecidos pela instituição. E a expectativa é ainda no segundo semestre oferecer curso técnico on-line.

    Comentários