Fonte: OpenWeather

    Suframa


    Plano de Desenvolvimento de Manacapuru pode ser base para todo o AM

    O PRDS Manacapuru visa, principalmente, fomentar o desenvolvimento municipal, ambiental e regional do Amazonas a partir da replicação das experiências realizadas em Manacapuru

     

    O Plano deve ser executado entre os anos de 2021 e 2024 e está estruturado em cinco eixos
    O Plano deve ser executado entre os anos de 2021 e 2024 e está estruturado em cinco eixos | Foto: Tayana Rubim

    Manaus - A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) - representada pelo superintendente Algacir Polsin e pelo superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Manoel Amaral - participou, nesta terça-feira (12), de uma reunião híbrida (realizada tanto presencialmente quanto por meio de videoconferência) com os prefeitos de Manacapuru (AM), Beto Dangelo, e de Itacoatiara (AM), Mário Abrahim, além de representantes do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e da Secretaria de Saúde Indígena, entre outros.

    O objetivo principal foi discutir o projeto de elaboração da proposta de um Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável (PRDS) para o município de Manacapuru.

    O PRDS Manacapuru, cuja proposição ficará a cargo da UFRN, por meio do Laboratório Processamento de Dados e Gestão Territorial (Laproter), visa, principalmente, fomentar o desenvolvimento municipal, ambiental e regional do Amazonas a partir da replicação das experiências realizadas em Manacapuru para outros municípios do Estado.

    O Plano deve ser executado entre os anos de 2021 e 2024 e está estruturado em cinco eixos: plano diretor (diagnóstico, revisão e atualização); planejamento ambiental; plano de desenvolvimento municipal e de capacidades governativas; plano de ação regional; e Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB).

    Interiorização do desenvolvimento

    De acordo com o superintendente Algacir Polsin, a oportunidade de espraiar riquezas e promover ações de interiorização do desenvolvimento é um dos principais benefícios do projeto, o qual é visto de forma bastante positiva pela Suframa.

    “Conversando previamente com o MDR, percebemos essa janela de oportunidade e estamos buscando avançar nessa direção. Outro aspecto importante é que se trata de um projeto que não apresentará custos para a Prefeitura, mas contribuirá de forma ampla no processo de aprimoramento do planejamento e da gestão municipal”, afirmou Polsin.

    O prefeito de Manacapuru, Beto Dangelo, disse que a Prefeitura quer abraçar o projeto e contribuir para o seu êxito ao longo dos próximos anos. “Acreditamos que esta é uma forma de potencializar o desenvolvimento do município, o que fatalmente vai trazer o progresso para diversos outros municípios do Amazonas”, disse Dangelo.

    Ao final da reunião, definiu-se que serão elencados representantes das prefeituras e da Suframa para dar sequência às discussões e estabelecer um diálogo mais técnico e profundo sobre a elaboração do projeto junto aos professores e pesquisadores da UFRN.

    *Com informações da assessoria

    Veja mais:

    Suframa faz consulta pública para Resolução de Projetos Industriais

    Superando o resultado de 2019, Zona Franca fatura R$ 95,49 bilhões

    Polo Industrial de Manaus fatura R$ 95,49 bi de janeiro a outubro

    Comentários