Fonte: OpenWeather

    VIDA SEXUAL


    Sete maneiras de ter uma vida sexual ativa e melhor

    Como tornar o sexo com o parceiro mais interesante que um filme de TV quando a prática já não é costumeira

    “Um dos maiores problemas para o fim do apetite sexual está nas pessoas”, afirma a psicóloga do Amor&Classe
    “Um dos maiores problemas para o fim do apetite sexual está nas pessoas”, afirma a psicóloga do Amor&Classe | Foto: Divulgação

    Manaus - Se você percebe que atualmente um filme é melhor que uma sessão cheia de carícias e tesão com a parceria, então as coisas não vão bem. O sinal de que algo está errado é quando o clima ocorre e gasta-se muita energia, mas o sexo parece previsível. Nestes casos, o ideal é não se desesperar, garantem as especialistas Carla Cecarello, sexóloga e terapeuta de casais e consultora do C-date  e Yris Monalizza de Souza, psicóloga especialista em relacionamentos e consultora do Amor&Classe. Elas lembram que você não é o único que está passando por um período assim e dizem que é possível trazer a emoção, a paixão e o tesão de volta.

    Os problemas de relacionamento existem tanto para aquelas pessoas que gostam de sexo e preferem não se amarrar em ninguém, caso dos adeptos do sexo casual, como para quem não conseguem fazer sexo com qualquer um, pois é preciso gostar, amar, ter interesse na outra pessoa. Quando a vida sexual já está um tanto quanto monótona, a psicóloga em relacionamentos, Yris Monalizza de Souza, explica que isso ocorre com o passar do tempo e quando surgem as inúmeras barreiras emocionais. “A maioria desses problemas estão relacionados principalmente à má imagem corporal que leva inclusive ao tédio entre os casais”, diz a psicóloga.

    Por outro lado, “há várias formas como as pessoas podem se reconectar a sensualidade”, afima a sexóloga Carla Cecarello. A especialista informa que é possível acender o fogo quando a relação já entrou na fase de perda de interesse ou de falta de inspiração para o jogo sexual. Para isso, ambas profissionais indicam algumas saídas para melhorar a relação, partindo de iniciativas que os parceiros devem adotar para que a relação seja melhor e mais quente, especialmente se já estão a um bom tempo juntos.

    “Um dos maiores problemas para o fim do apetite sexual está nas pessoas”, afirma a psicóloga do Amor&Classe. Segundo Yris de Souza os problemas começam na própria relação, quando os parceiros deixam de conversar sobre o que lhes aflige. Para se ter uma ideia, uma pesquisa feita nos Estados Unidos aponta que 80% das mulheres sofrem de uma imagem corporal negativa e normalmente levam este problema para a cama com o parceiro, pensando mais nos problemas que no ato em si.

    Para Carla Cecarello as mulheres que resolveram as questões que envolvem os aspectos emocionais conseguem ter mais prazer. Em 2004, a autora do livro Fearless Sex já apontava que as mulheres com melhor vida sexual se sentiam bem com seus corpos e se viam como fortes e sexy. “Quando não há questões emocionais a resolver, os problemas sejam quais forem ficam fora do quarto”, diz a sexóloga do C-date. A baixa estima para a maioria das mulheres está relacionada ao corpo enquanto para os homens é o de dar prazer à parceira que seja inesquecível e que, neste caso, nem sempre é alcançado.

    Foi pensando nestas questões que as especialistas indicam algumas maneiras para aumentar a confiança e manter a relação amorosa e sexual em dia, longe dos problemas que afetam a maioria dos parceiros, seja do lado feminino seja do masculino.

    Verificar a realidade

    O ideal é perceber que as mulheres e homens atraentes possuem diversidade de tamanhos de corpos. São baixinhos ou altos, gordinhos ou magros, fortes ou comuns, em forma ou não. Isso é apenas uma questão de quem faz a observação. Verificar a realidade nada mais é que perceber que não é o corpo que define a felicidade sexual, mas a forma como encaramos essa realidade. Pergunte ao parceiro(a) o que ele(a) ama no seu corpo e anote. Leia a lista todas as manhãs e elogie-se. “Elogiar-se é trazer coisas boas”, diz Yris de Souza. A ideia é que uma vez por semana, a pessoa faça elogios ao seu corpo concentrando-se nos seus recursos favoritos - por dentro e por fora. “Diga a si mesmo o que você gosta sobre seu corpo para reforçar seus sentimentos”, diz a piscóloga do Amor&Classe.

    Melhores momentos da vida

    Todos nós temos aqueles momentos que foram especiais em nossas vidas e que tem significados importantes. Neste caso, tanto ele como ela devem pensar naqueles em que  sintonizam completamente com o corpo, como uma maratona ou exercício diário de caminhar. Ou natação ou ioga, quando há uma conexão corpo e mente. "Essa conexão é importante para a pessoa restabelecer o respeito e o contato com o próprio corpo, tornando-o sensual”, diz a psicóloga.

    Jogue sensualidade

    Em vez de se concentrar no objetivo final que é o prazer máximo, faça jogos de sensualidade e aprecie os corpos antes do sexo. Vale mais uma provocação a ambos que ir direto ao finalmente. Crie um clima. “Quando tirarem a roupa, apagarem as luzes e explorarem um ao outro, o prazer será maior”, define Carla Cecarello, do C-date. Para a sexóloga, o toque é uma forma de comunicar amor e sensualidade.

    Aventuras ajudam o sexo

    As aventuras estimulam o cérebro a produzir dopamina e consequentemente ajuda no desejo sexual. Por isso, ousadia é uma forma de fazer a dopamina aumentar. O interessante neste caso é encontrar uma atividade nova e desafiadora para que emocione e seja suficiente para despertar o desejo em ambos. Isso tem de ser feito fora do quarto, algo que os dois possam fazer juntos e ser uma experiência interessante que ajude a reproduzir essas sensações quando estiverem a sós.

    Ajudar faz bem

    "Nem todos sabem tudo sobre sexo”, afirma a sexóloga Carla Cecarello. Por isso, é sempre bom conversar antes. Se na “hora H” algo não estiver saindo como esperado, a melhor maneira de a experiência não cair por terra é ambos dizerem o que gostam e como gostam. Normalmente, a ansiedade de ser bom na cama pode atrapalhar o homem. Assim, é mais fácil explicar como agir e fazer aquilo que é bom e dá prazer. "Quando a mulher não tem contato com o próprio corpo, não sabe como ajudar. Portanto, vale a regra de conhecer-se, elogiar-se e tocar-se, para saber em quais pontos há boas sensações e ajudá-lo nestas horas”, afirma a sexóloga.

    Mude a rotina

    Quando você está estressado, é impossível se sentir sexy. Isso ocorre porque, quando você experimenta tensão crônica, seu corpo produz níveis mais altos de ocitocina, uma substância química que cancela os efeitos do hormônio sexual testosterona. Como resultado, sua libido é prejudicada. Por isso, deixe de repetir as mesmas coisas todos os dias e faça coisas diferentes, que ajudem a encontrar uma conexão consigo. “Coisas simples como ouvir uma boa música ou mesmo vestir algo que gostaria para se sentir bem com você”, afirma a psicóloga Yris de Souza.

    Visitar lugares

    Que tal sair para jantar, um bar ou mesmo um passeio ao ar livre? Para a relação ser sempre saudável é ideal escolher lugares que tragam sensações diferentes e experiências novas para renovar, como um lugar que nunca estiveram. Surpresas são sempre bem vindas nestes casos, especialmente se houver visitas ao parceiro(a) no trabalho, que pode revelar um lado diferente e reconectar as pessoas.

    Com informações da assessoria*

    Comentários