Fonte: OpenWeather

    Traição


    Traição virtual assombra casais na quarentena em Manaus

    Traição virtual pode ser o motivo da avalanche de pedidos de divórcios no Amazonas durante a pandemia

    | Foto: Reprodução

    Manaus - No período de isolamento social devido a pandemia da Covid-19 os índices de ansiedade, frustração, depressão e carência aumentaram podendo ser uma mistura de fatores para uma traição. E com a internet veio uma facilidade pelo fato de uma pequena interação, como uma curtida ou um comentário, pode abrir um canal de conversa entre duas pessoas em uma área privada o que não seria possível em um ambiente físico.

    De acordo com a pesquisa do site secondlove, o Brasil é o segundo país do mundo que mais trai, ficando atrás apenas de Holanda.  O perfil dos que mais traem são homens, com idade entre 30 e 49 anos, casados há pelo menos sete, com filhos e ensino superior. A maior parte deles vive em São Paulo. A motivação da traição de 61,9% é a falta de sexo no relacionamento. Quase 40% afirma trair por causa da falta de paixão, 26,9% pela falta de comunicação e 19,8% buscam ser mais compreendidos.

    A psicóloga especialista em Terapia Cognitivo Comportamental e sócia da Corporativa RH, Alcélia Ramiro, explica que com o mundo virtual pode ser difícil caracterizar quando começa a traição. “Em primeiro lugar, é preciso ter clareza de que não existe um conceito universal sobre traição. E, falando superficialmente, a traição estaria ligada a um descumprimento do contrato estabelecido pelas pessoas envolvidas na relação".

    Segundo a profissional, todo relacionamento de médio ou longo prazo tem seu acordo, ou seja, o que cada um avalia como um erro: tornar explícito o que é ou não aceitável ajuda os parceiros a se posicionarem dentro do relacionamento. "Além de estabelecer se é necessário ser fiel ou não, é preciso definir o que significa essa fidelidade, o que vai variar muito de casal para casal, tem casais que aceitam um relacionamento aberto, outros não, então varia muito de acordo com cada casal".

    Causas da traição

    A psicóloga aponta as principais causas para a traição, como a novidade do proibido
    A psicóloga aponta as principais causas para a traição, como a novidade do proibido | Foto: Divulgação

    A psicóloga aponta as principais causas para a traição, como a novidade do proibido. "Essas situações, fora da vida cotidiana, geram uma grande quantidade de adrenalina, o que faz com que as pessoas tenham emoções muito intensas".

    Outra causa, apontada por ela, é a  imaginação e fantasia. "A pessoa que está sendo infiel, cria com sua imaginação um parceiro ou parceira irreal e que tornam a pessoa virtual muito mais atraente".

    A suposta facilidade de compreensão é outra causa de traição. "Dividir os problemas, mau humor se torna muito fácil quando só se tem contato com a parceira ou o parceiro virtual, diminuindo dessa forma a responsabilidade de ser empático ou o julgamento".

    Por que as pessoas traem?

    João conta que já foi pego pela esposa e confrontado sobre mensagens em seu celular
    João conta que já foi pego pela esposa e confrontado sobre mensagens em seu celular | Foto: Istock

    No depoimento de João* (nome fictício para preservar a identidade do personagem), casado há mais de 20 e pai de três filhos, ele comenta sobre suas traições. “Com a internet, existe uma facilidade. Recebe e manda mensagem. Eu traí porque não tinha minhas necessidades básicas atendidas como carinho, sexo ou ao menos ser ouvido. E com 20 anos de casado, o romance, a paixão e o sexo diminuem  muito e você fica vulnerável. E quando outra pessoa mostra interesse,  acaba se tornando algo especial devido a sua carência  de se sentir notado por outra pessoa”.

    João* ainda fala que, trair a primeira vez, acaba causando um vício constante e a conquista pode se iniciar de maneira virtual e ser concretizada ao encontro pessoal.

    O personagem  ainda relata que já foi pego pela esposa e confrontado sobre mensagens em seu celular. Só restou admitir, houve brigas e depois de um tempo foi perdoado.

    João* afirma que a "ocasião faz o ladrão" e não descarta a possibilidade de trair de novo. Ao ser perguntado se tivesse sido sua mulher que o pegasse traindo, ele falou que iria perdoar, pois "o amor já virou uma irmandade" por causa dos anos de casamento e pelos filhos.

    Divórcios aumentaram na pandemia

    Após despencarem nos primeiros três meses de quarentena no Brasil, os divórcios consensuais em cartórios aumentaram 54% entre maio e julho deste ano. Em números absolutos, as separações saltaram de 4.641 para 7.213, segundo levantamento do Colégio Notarial do Brasil (CNB/CF). Apenas em junho a alta foi de 12% em relação ao ano passado. No total, 24 dos 27 estados brasileiros registraram crescimento frente ao mês anterior, com destaque para Amazonas e Piauí, que mais que dobraram seus divórcios.

    Leia mais:

    Dia do sexo: confira dicas para comemorar e benefícios deste prazer 

    Saiba o que mudou na rotina de quem 'pula a cerca', durante a pandemia

    Com o hit 'Chifre dói, mas não mata', Felipe Cardoso lança EP

    Comentários