Fonte: OpenWeather

    AÇÃO SOCIAL


    1ª corrida do Brasil em prol de refugiados foi em Manaus

    Evento esportivo reuniu mais de 2 mil pessoas na Ponta Negra

    Para se inscrever, era necessário doar uma cesta básica de alimentos não perecíveis | Foto: Nathalie Brasil / Semcom

    Manaus - Pela primeira vez no país acontece uma corrida e caminhada beneficente para refugiados. O Complexo Turístico da Ponta Negra, localizado na Zona Oeste da capital amazonense, reuniu neste domingo (9), mais de 2 mil pessoas que participaram do evento esportivo em prol dos venezuelanos que se encontram na cidade.

    A corrida Manaus "ComOsRefugiados é uma realização da prefeitura em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a União Europeia. 

    Nem a manhã de sol forte desmotivou os mais de 2 mil participantes a percorrerem os 5 quilômetros da corrida. No total, foram arrecadados mais de 5 mil itens alimentícios que serão repassados aos abrigos mantidos pela Prefeitura de Manaus e a Cáritas Arquidiocesana.

    "É um gesto de cunho social para externar a todos o compromisso da Prefeitura de Manaus em atender e acolher essas pessoas. Nós precisamos levar o alimento para quem precisa do alimento. Não dá para ser só da boca para fora, nós precisamos materializar isso e assim tem sido feito com a Corrida e Caminhada Manaus #ComOsRefugiados", ressaltou o secretário municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), João Carlos.

    Mais de 2 mil pessoas participaram da ação em prol dos venezuelanos que residem em Manaus
    Mais de 2 mil pessoas participaram da ação em prol dos venezuelanos que residem em Manaus | Foto: Nathalie Brasil / Semcom

    A solidariedade dos manauaras foi destacada pelo secretário municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc), Dante Souza.

    "A gente tem feito o possível para atender melhor essas pessoas. Eles estão em vulnerabilidade e vieram do seu país porque lá está em situação catastrófica. O manauara os recebe de coração e a corrida é para despertar, para entendermos que existe um problema. São mais de 100 venezuelanos chegando na nossa rodoviária por dia, e é algo que precisamos tratar de forma séria e responsável", afirmou.

    O chefe do ACNUR em Manaus, Sebastian Roa, falou do histórico de imigração na cidade.

    "A causa é internacional. É uma coisa que acontece em Manaus e no mundo todo esse contexto de imigração. Os venezuelanos chegam diariamente aqui em busca de uma nova vida, de uma nova oportunidade. Esse tipo de movimentação é uma mostra da população dizendo que estão abertos para acolher essas pessoas. Manaus tem um histórico de imigração e é uma oportunidade de parabenizar o município e esperamos continuar com a parceria para os próximos eventos", afirmou.

    A Corrida

    Aproximadamente 200 venezuelanos participaram da Corrida e Caminhada Manaus #ComOsRefugiados e um venezuelano chegou em primeiro lugar no evento solidário. Trata-se de Luís Fernando Rodrigues, 21, que trabalha como ajudante de pedreiro e mora em Manaus há seis meses.

    "Cumprimento primeiramente todo o povo do Brasil, especialmente do Amazonas, que tem nos recebido muito bem. É triste a realidade que todos os venezuelanos estão passando em nosso país. E é muito motivante todo o apoio que estamos recebendo em Manaus. Fico contente com o resultado e satisfeito com o meu desempenho", contou Rodrigues com um sotaque ainda carregado.

    Alguns dos venezuelanos que participaram da corrida
    Alguns dos venezuelanos que participaram da corrida | Foto: Nathalie Brasil / Semcom

    Primeira colocada entre as mulheres, a acadêmica Raynielle Silva, 20, participa de corridas pedestres há um ano. "Eu acho muito importante essa questão da solidariedade. E é muito gratificante você chegar em primeiro, e eu que estou correndo há pouco tempo e já estou conseguindo vários pódios", disse.

    A Corrida e Caminhada contou com as categorias Geral, Pessoa com Deficiência e Servidor. Pela última, o comandante da Guarda Municipal, Diego Coelho, 36, parabenizou a Prefeitura de Manaus pela ação desenvolvida.

    "É muito importante essa iniciativa. Hoje nós estamos com os órgãos do município integrados por um só objetivo, que são os refugiados, os venezuelanos. E Manaus está inteira aqui e muita gente aderiu essa campanha de iniciativa do município".

    Mostra e Feirinha

    Durante a Caminhada e Corrida Manaus #ComOsRefugiados, o ACNUR montou uma tenda para que o público conhecesse melhor a realidade de campos de refugiados. Por meio de óculos de realidade virtual (tecnologia VR), o público explorou este ambiente de maneira ampla, sendo impactado de uma forma muito mais real e próxima. Foi possível entender como as pessoas vivem em um campo de refugiado e como lidam, especialmente as crianças, com situações de extrema vulnerabilidade.

    No local do evento foram montadas, ainda, tendas para a venda de artesanato venezuelano, confeccionado por indígenas Warao e também por não-indígenas, todos residentes em Manaus. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) também distribuiu mudas de árvores frutíferas e ornamentais.

    Participaram também da organização do evento o Fundo Manaus Solidária (FMS) e as secretarias municipais da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), de Educação (Semed), da Saúde (Semsa), do Trabalho, Emprego e Desenvolvimento (Semtrad), de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio Informal (Semaac), de Limpeza Urbana (Semulsp), de Comunicação (Semcom), de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), os institutos municipais de Planejamento Urbano (Implurb), de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Casa Militar, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais

    Campeonato de Futebol Society movimenta 25 equipes em Manaus

    Vídeo:Em luta eletrizante Felipe Lima fatura cinturão no Amazon Talent

    Talento da luta amazonense vai para Europa participar de intercâmbio

    Comentários