Fonte: OpenWeather

    Futebol


    O que mudou no Athletico da Copa do Brasil até a Supercopa?

    Dorival Júnior substitui Tiago Nunes no comando do Furacão, que tenta superar a saída de titulares importantes na campanha da Copa do Brasil

    Athletico Paranaense venceu o Internacional por 1 a 0, em jogo de ida da final da Copa do Brasil de 2019
    Athletico Paranaense venceu o Internacional por 1 a 0, em jogo de ida da final da Copa do Brasil de 2019 | Foto: Gabriel Machado/AGIF

    Um novo ano, um novo time. Ou quase isso. A temporada de 2020 pode ter ares de reformulação para o Athletico Paranaense, que perdeu alguns de seus principais jogadores na janela de transferências. Mas o que a torcida do Furacão quer é que, mesmo com atletas diferentes, o sucesso seja o mesmo.

    Do time que bateu o Internacional no Beira Rio, na decisão da Copa do Brasil, cinco jogadores não estão mais na Arena da Baixada. O lateral Madson, o zagueiro Léo Pereira e os atacantes Marcelo Cirino e Marco Ruben, além do meia Bruno Guimarães, considerado por muitos o grande craque daquela conquista.

    Se perdeu alguns de seus principais jogadores, o Furacão também conseguiu manter vários protagonistas de seu histórico 2019. Autores dos gols paranaenses na decisão, Léo Cittadini e Rony continuam no elenco rubro-negro. Este último, após uma grande novela que envolveu seu nome com os de clubes como Corinthians e Palmeiras.

    Constantemente convocado para a Seleção Brasileira, o goleiro Santos segue defendendo a meta do Athletico, que contará com o retorno do zagueiro Robson Bambu, que estava com a Amarelinha no Pré-Olímpico da Colômbia. Herói durante os títulos da Copa Sul-Americana (2018) e da Copa do Brasil (2019), Santos admitiu o peso das saídas, mas reforçou a confiança no elenco do Athletico.

    – Nossa equipe perdeu jogadores importantes, mas manteve uma base muito forte. Com certeza os jogadores que chegaram vão nos ajudar bastante, já deu para perceber isso. Nossa equipe está preparada para esse jogo tão importante.

    Um dos principais nomes da última janela de transferências do Furacão foi o atacante Marquinhos Gabriel. Após uma passagem apagada pelo Cruzeiro, o ponta chega à Arena da Baixada com fome de bola, tentando reeditar o futebol que o destacou em clubes como Corinthians e Santos. Além de Marquinhos Gabriel, ainda chegaram os atacantes Carlos Eduardo e Guilherme Bissoli e os meias Fernando Canesin e Matheus Anjos, entre outros reforços.

    Fora das quatro linhas, o Furacão também passou por uma mudança importante. Comandante do time nas conquistas da Sul-Americana e da Copa do Brasil, Tiago Nunes deixou o Athletico no fim do ano passado para assumir o Corinthians. Em seu lugar, chegou Dorival Júnior, que começa a implantar seu método de jogo, até certo ponto similar ao de Nunes.

    Com essas novidades e a mesma fome de títulos, o Athletico entra em campo no próximo domingo, às 11h, para enfrentar o Flamengo pela Supercopa do Brasil no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.


    *Com informações da CBF

    Comentários