Fonte: OpenWeather

    Jogos Olímpicos


    Brasileiro precisa se classificar pela segunda vez para as Olimpíadas

    Carateca Vinícius Figueira perdeu a confirmação da vaga para as Olimpíadas de Tóquio 2021 após mudança no sistema classificatório da Federação Internacional de Karatê

    Apesar de uma vantagem de 320 pontos sobre o oponente, o brasileiro agora não tem a vaga garantida
    Apesar de uma vantagem de 320 pontos sobre o oponente, o brasileiro agora não tem a vaga garantida | Foto: Abelardo Mendes Jr

    No dia 18 de março de 2020, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) confirmou que a Federação Internacional de Karatê (WKF) oficializou a vaga do atleta Vinícius Figueira nos Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para 2021. Acontece que na última segunda-feira (20), a WKF modificou o sistema classificatório e o atleta não está mais assegurado na competição.

    Em março de 2020, a WKF cancelou as duas últimas etapas do circuito mundial, de Madri (Espanha) e Rabat (Marrocos) devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). Os torneios contavam pontos para o ranking olímpico. Com o cancelamento, o ranking mundial foi fechado e o brasileiro garantiu presença nos Jogos de Tóquio. A confirmação foi comemorada pelo atleta e também pela Confederação Brasileira de Karatê (CBK).

    Porém, a WKF quer que as duas etapas sejam disputadas em 2021 para, aí sim,  finalizar o ciclo olímpico. Primeiro carateca a garantir a vaga em Tóquio, Vinícius agora terá que lutar novamente para conquistar seu lugar no Japão. A notícia surpreendeu e decepcionou o brasileiro. Em entrevista ao repórter da TV Brasil, Juliano Justo, ele desabafou.

    “Ninguém entrou em contato comigo, fiquei sabendo no mesmo momento que vocês, na publicação do documento. A meu ver isso não está certo, não pode uma confederação publicar os atletas classificados, divulgarem isso. Teve contato até do chefe da comissão de atletas para depor sobre o sentimento de ter classificado para os Jogos Olímpicos para depois esse sentimento ser retirado. Isso não pode estar certo, envolve muitas coisas, tanto as instituições que eu represento, o país que eu represento. A vaga não é minha, a vaga é do país, então não pode estar certo isso”, afirma.

    No karatê, os quatro mais bem colocados do ranking olímpico se classificam. Em Tóquio, as categorias até 67 quilos e até 60 kg se juntaram, deixando apenas duas vagas para cada uma. Vinícius era o segundo colocado da categoria até 67 kg. Ele disputava a classificação diretamente com o egípcio Ali Elsawy. Apesar de uma vantagem de 320 pontos sobre o oponente,  o brasileiro agora não tem a vaga garantida. Além disso, vive com o constrangimento da situação

    “Fora a vergonha que a gente sente. É um misto de raiva, injustiça. Até ontem eu estava classificado para os Jogos Olímpicos e agora não estou mais? A CBK vai estudar o caso e se posicionar”.

    A Confederação Brasileira de Karatê emitiu uma nota dizendo ter sido surpreendida pela decisão, pois já havia classificado Vinícius na categoria kumite -67 kg. A CBK informou que está estudando o caso para tomar as devidas providências junto aos órgãos superiores, a fim de garantir a vaga do atleta brasileiro.

    Comentários