Fonte: OpenWeather

    Execução


    Homem é surpreendido por visitantes e acaba morto a tiros no São José

    O jovem de apenas 23 anos estava dentro de casa quando ouviu os futuros atiradores gritarem o seu nome

    O Instituto Médico Legal (IML) realizou a remoção do corpo | Foto: Raphael Tavares

    Manaus - Anderson Emanuel da Rocha Brandão, mais conhecido como "Orelhinha", não imaginava que uma conversa amena com dois homens, aparentemente conhecidos dele, terminaria com a sua execução. Ele foi morto pelos suspeitos na noite desta sexta-feira (13), no bairro São José,  zona Leste de Manaus.

    O jovem de apenas 23 anos estava dentro de casa quando ouviu os futuros atiradores gritarem o seu nome. Eles chegaram ao local em uma motocicleta e aparentavam conhecer bem a vítima. Assim que "Orelhinha" saiu da residência,  os três engataram um papo que só foi silenciado com os disparos deferidos por um deles. Anderson foi executado com vários tiros.

    Segundo testemunhas, ele morreu sem chances de se defender. O caso ocorreu por volta das 20h30. Os disparos atingiram a boca, a costela e as costas da vítima.

    De acordo com a polícia, os dois homens fugiram na moto, modelo CB 300, de cor preta e placa não identificada. Anderson estava sozinho em casa quando recebeu a última visita da sua vida.

    "Eu estava jantando com a minha família quando ouvi os disparos da arma. Nos escondemos debaixo da mesa e, depois que tudo ficou calmo, ouvimos o barulho da moto indo embora. Foi aí que fomos ver o que tinha acontecido na rua", explicou a dona de casa, Vera Lúcia.

    Uma outra moradora, que preferiu não se identificar, estava sentada na frente de casa e viu toda a situação. Ela explicou para a equipe do Em Tempo que a vítima parecia conhecer os suspeitos. 

    "Anderson não exitou em abrir o portão de casa para os suspeitos. Ele parecia não esperar ser traído por aqueles homens, com quem chegou a trocar algumas palavras", relembrou.

    O caso foi atendido pelos policiais militares da 9a Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Após o trabalho do Departamento de Perícia Técnico Científica da Polícia Civil, o Instituto Médico Legal (IML) realizou a remoção do corpo. O crime vai ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

    Comentários