Fonte: OpenWeather

    conscientização


    Câncer de rim: conheça as causas, sintomas e prevenção

    Silenciosa e sem um exame de diagnóstico preciso, a doença é mais comum em homens

    Pessoas que estão acima dos 50 anos de idade tem maior probabilidade de desenvolver a doença | Foto: Divulgação

    O carcinoma renal, ou câncer de rim, é um tipo de câncer raro que afeta duas vezes mais homens do que mulheres e costuma ser detectado, muitas vezes, por acaso em exames de rotina - já que os sintomas iniciais são silenciosos e ainda não existe um exame específico para diagnóstico.

    Anualmente, são detectados cerca de 338 mil novos casos, e o pesquisas mostram que este número está aumentando rapidamente – uma das razões por marcar esta quinta (21) como o Dia de Conscientização sobre o Câncer de Rim, em todo o mundo.

    Leia também: Pedra nos rins: conheça os sintomas, causas, prevenção e tratamento

    Atualmente, existem diversos tipos de câncer de rim, porém o adenocarcinoma de células renais é o mais comum, representando 90 em cada 100 casos. Por isso, acaba sendo chamado de forma genérica de ‘câncer de rim’.

    “Carcinomas são cânceres que se iniciam em células que revestem as surfícies internas ou externas do corpo. No caso dos rins, eles começam a se desenvolver em células que revestem os túbulos renais, originando então os adenocarcinomas de células renais”, conta o oncologista e hematologista, André Nebel de Mello.

    Pessoas que estão acima dos 50 anos de idade tem maior probabilidade de desenvolver a doença, e os principais fatores de risco são o tabagismo, a obesidade, a exposição a substâncias tóxicas, histórico familiar, hipertensão e doenças renais avançadas.

    Sintomas

    Já os sintomas mais comuns são a coloração rosada ou avermelhada da urina (ou até sangue expelido, em alguns casos), dor em um dos lados da região lombar, massa (nódulo) na parte lateral ou inferior das costas, febre e perda de peso sem motivo.

    Em estágio inicial, o tratamento é feito por meio de cirurgia e ainda há chance de cura.
    Em estágio inicial, o tratamento é feito por meio de cirurgia e ainda há chance de cura. | Foto: Divulgação

    Em estágio inicial, o tratamento é feito por meio de cirurgia e ainda há chance de cura. Porém, devido à dificuldade de detecção, muitos pacientes são diagnosticados já em estágio avançado, podendo até apresentar metástase, ou seja, a extensão do tumor para outros órgãos.

    “Nesses casos, o tratamento costuma ser feito com medicações, que tem o objetivo de frear o avanço da doença e promover uma melhor qualidade de vida”, explica o médico.

    Prevenção

    Com um aumento sustentado da incidência de 2 a 3% a cada década, o câncer de rim avançado está entre os cânceres que mais crescem no mundo, de acordo com o Observatório Global de Câncer (Globocan). Por isso, é necessário que as pessoas conheçam a enfermidade e fiquem alertas aos possíveis sinais. 

    “Além disso, é importante que a população busque e mantenha hábitos saudáveis, com uma alimentação equilibrada e prática de exercícios físicos regular, por exemplo, para que desde já atuem na prevenção desse e outros problemas”, finaliza.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais

    10 motivos para você se preocupar em tomar água

    Infecção urinária: a grande vilã da maioria das mulheres

    Chip da beleza promete eliminar celulites e auxiliar no emagrecimento

    CIDADANIA - ELEIÇÕES 2018

    Comentários