Fonte: OpenWeather

    Com segurança


    Conheça três métodos contraceptivos para evitar gravidez indesejada

    Para os especialistas, a melhor forma de reduzir a gravidez indesejada é oferecer o máximo de informação aos casais

    Existem pílulas que podem ser usadas durante a fase de amamentação, pois são feitas somente à base de progestogênios | Foto: Reprodução / Internet

    Brasil - A gravidez não planejada representa mais da metade das gestações no Brasil. Os dados mais recentes sobre o assunto apontam que 55% das gestações ocorrem sem qualquer planejamento em todo o território nacional. É um número maior do que o registrado pela Organização Mundial da Saúde, que avalia em 40% o número de gestações não planejadas em todo o mundo.

    Para os especialistas, a melhor forma de reduzir esses números é oferecer o máximo de informação aos casais.

    "É importante se prevenir de uma possível gravidez indesejada sempre com o uso de preservativos, além da adoção de métodos contraceptivos eficazes para cara tipo de situação", ressalta a ginecologista e professora de obstetrícia, Carolina Mocarzel, chefe da Unidade Materno Fetal do Hospital Federal dos Servidores, no Rio de Janeiro, uma referência no atendimento de alto risco.

    Leia também: Fiocruz inicia plano de pesquisa para usar maconha com fins medicinais

    A médica que também é responsável pela Clínica Mocarzel de Ginecologia e Obstetrícia aponta quais são os métodos contraceptivos mais comuns e em que situações eles são indicados.

    Contracepção no pós-parto

    Embora seja mais difícil engravidar imediatamente após o parto, devido aos hormônios que circulam no organismo enquanto a mulher amamenta, uma gestação pode sim acontecer nesse período. Na rotina de consultas pós-parto, o assunto da escolha do melhor método contraceptivo deve ser sempre abordado e essa escolha varia para cada mulher.

    Existem pílulas que podem ser usadas durante a fase de amamentação, pois são feitas somente à base de progestogênios. É possível também a colocação de DIU (dispositivo intrauterino) seja o de cobre e/ou o hormonal (somente com progesterona) e ambos podem ser utilizados, sem prejuízo ou riscos para a amamentação ou para o bebê.

    Além disso, os preservativos, masculino e feminino, são outras alternativas que conferem segurança para o casal durante o período do pós-parto.

    Contracepção: dispositivos intrauterinos

    O dispositivo intrauterino (DIU) é um método anticoncepcional constituído por um aparelho pequeno e flexível que é colocado dentro do útero e exerce ações que evitam a gestação. Basicamente, há dois tipos de DIU: os que contém cobre e os com hormônio - progesterona ou levonorgestrel (LNG).

    O uso de DIU requer uma inserção por profissional devidamente habilitado e é fundamental que a paciente tenha exame ginecológico atual e sem evidências de infecções.

    Contracepção hormonal

    Esse tipo de contracepção consiste na utilização de drogas, classificadas como hormônios, em dose e modo adequados para impedir a ocorrência de uma gravidez não desejada ou não programada, sem qualquer restrição as relações sexuais.

    A anticoncepção hormonal pode ser desenvolvida de diversas formas: Contraceptivos orais combinados (estrogênio + progesterona); Contraceptivos orais só com progestágenos; Contraceptivos injetável - combinados (mensais) ou de progesterona (trimestral); Implantes; Anéis vaginais; DIU com progestágeno; Adesivos cutâneos (Patch).

    Leia mais

    Feira Regional da ADS é inaugurada com variedade de produtos em Manaus

    Feira Criativa do Mindu abre inscrições para a edição de julho

    Intervenção Federal é tema de palestra na Escola de Magistratura do AM

    Comentários