Fonte: OpenWeather

    Linfoma


    Saiba o que é linfoma e como pode ser diagnosticado

    O linfoma é um câncer que afeta o sistema imunológico e se divide em dois grupos: linfoma de Hodgkin e linfoma não-Hodgkin, que abrange mais de 40 tipos de tumores

    Fique atento ao linfoma | Autor: Associação Brasileira de linfoma e leucemia

    O linfoma é um câncer que afeta o sistema imunológico e se divide em dois grupos: linfoma de Hodgkin e linfoma não-Hodgkin, que abrange mais de 40 tipos de tumores - as diferenças entre eles está nas características das células malignas e essa diferenciação só é possível após a biópsia e análise das células cancerígenas.

    No Brasil, a condição ainda causa muitas dúvidas e por isso a Campanha Agosto Verde foi criada para conscientizar a população sobre a doença, além de reforçar a importância do diagnóstico precoce e as opções de tratamento e cura disponíveis.

    De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a incidência de novos casos permaneceu estável nas últimas cinco décadas, enquanto a mortalidade foi reduzida em mais de 60% desde o início dos anos 70 devido aos avanços no tratamento.

    Como a Medicina Nuclear pode ajudar

    O aumento indolor dos linfonodos (ou ínguas) em diversas partes do corpo como pescoço, porção superior do peito, interior do tórax, axilas, abdome ou virilha, estômago, pele, cavidade oral, intestino delgado e sistema nervoso central (SNC), é um sintoma do linfoma.

    Mais comum na idade adulta jovem (entre 25 e 40 anos), a doença tem tratamento e chances de cura, principalmente com um diagnóstico precoce.

    Medicina nuclear

    A Medicina Nuclear tem um papel fundamental na identificação e tratamento dos linfomas, pois permite a caracterização funcional de tecidos, informações úteis no seguimento e avaliação de resposta terapêutica dos pacientes. Um dos principais métodos utilizados é um exame conhecido como PET/CT.

    "Ao permitir a caracterização funcional e metabólica dos tecidos, a Medicina Nuclear complementa os dados anatômicos de outros métodos de imagens e, desta forma, auxilia no diagnóstico, acompanhamento e otimização do tratamento dos pacientes com linfoma", explica o médico nuclear e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, George Barberio Coura Filho 

    Tratamento

    O tratamento do linfoma de Hodgkin, por exemplo, consiste em quimioterapia e radioterapia.

    Já para o linfoma não-Hodgkin pode ser tratado com o uso de um anticorpo monoclonal em combinação com quimioterapia (esquema conhecido como R-CHOP).

    Prevenção

    Hábitos saudáveis de vida, boa alimentação, não fumar, não beber e praticar atividade física são atitudes que auxiliam na prevenção.

    Tratando-se de linfomas, é muito complicado falar em prevenção. Isso porque ainda não se sabe a causa da maioria deles; assim, fica difícil adotar alguma medida preventiva, ao contrário de outros tipos de câncer. Porém, manter hábitos saudáveis é sempre uma atitude bem-vinda para a saúde como um todo. Nesse ponto, é importante ressaltar os malefícios do tabagismo.

    Inca

    A orientação do Instituto Nacional de Câncer (Inca) indica o consumo regular de verduras e frutas. Elas podem ter efeito protetor contra os linfomas Hodgkin. Os fatores de risco para o desenvolvimento da doença incluem um sistema de defesa comprometido e exposição química ou a altas doses de radiação.

    Já as pessoas com deficiência de imunidade estão mais propensas ao desenvolvimento de linfoma. Isso inclui os portadores de doenças genéticas hereditárias, os que usam drogas imunossupressoras ou os portadores do HIV, o vírus da Aids.

    Para alguns tipos de linfoma, também foi identificada uma tendência maior entre portadores dos vírus Epstein-Barr ou HTLV1 e da bactéria Helicobacter pylori, que infesta o estômago e pode causar gastrites e úlceras.

    A exposição a certos agentes químicos, incluindo pesticidas, solventes, fertilizantes, herbicidas e inseticidas, tem sido relacionada ao surgimento de linfomas em estudos com agricultores e outros grupos que se expõem a altos níveis desses agentes.

    Sabendo de tudo isso, lembre-se de procurar um médico urgentemente em caso de surgimento de algum sintoma da doença.

    Saiba mais na infografia:

    Fases do Linfoma
    Fases do Linfoma | Foto: Reprodução

    Leia mais:

    Sobre para 822 o número de casos confirmados de sarampo no País

    Saiba quais são os sintomas do sarampo e como se prevenir

    Anda muito esquecido? Veja se seu caso é preocupante 


    CIDADANIA

    Comentários