Fonte: OpenWeather

    Saúde


    Colesterol alto atinge mais da metade da população brasileira

    Existem três tipos de colesterol, mas, geralmente, os médicos trabalham com os dois principais: HDL e LDL

    É possível substituir o óleo por azeite de oliva extra virgem, além de focar no consumo de mais peixes do que carne vermelha | Foto: Divulgação

    As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem todos os anos vítimas dessas doenças, sendo que, no Brasil, em 30% dos casos, o ataque cardíaco é fatal.

    Por esse motivo, foi instituída no país, no dia 08 de agosto, a significativa data de Combate ao Colesterol, com o intuito de conscientizar a população sobre os fatores que causam a doença, os riscos e as melhores formas de prevenção.

    Existem três tipos de colesterol, mas, geralmente, os médicos trabalham com os dois principais: HDL e LDL, que são o ‘bom’ e o ‘mau’ colesterol. A sigla LDL vem do inglês (low density lipoprotein) e significa lipoproteína de baixa densidade, que caracteriza o colesterol ruim, e mais propenso a desenvolver doenças. De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), 61,5% dos brasileiros têm colesterol elevado, e apesar da substância ser essencial para o funcionamento do organismo, os índices devem ser mantidos controlados.

    Para a nutricionista do Bee.O Empório Natural, Aline Quissak, há como manter o equilíbrio entre o bom e o mau colesterol. “Primeiramente, é preciso diminuir produtos industrializados, com gorduras trans e gordura hidrogenada, como bolachas recheadas, fastfoods, batatinhas chips e principalmente açúcar branco como balas, bombons e chicletes”, pondera.

    Aline também afirma que existem alimentos que ajudam a estimular o colesterol HDL e a inibir o LDL, como abacate, cacau (chocolate 70%), amêndoas, nozes, azeite de oliva extra virgem, chia, linhaça, entre outros.

    Fatores de risco e prevenção 

    Grande parte das doenças ocasionadas pelo colesterol alto são provenientes de hábitos não-saudáveis, como o consumo de alimentos com excesso de sal, o sedentarismo, o tabagismo e a grande quantidade de ingestão de álcool.

    Para medir o nível da substância no organismo, o principal caminho é o exame de sangue. A partir daí, o resultado revela uma gama de números classificados entre LDL, HDL, quantidade de triglicérides no sangue e colesterol total. Nesse último, o ideal é que esteja abaixo de 190mg/DL, segundo a nova versão das Diretrizes de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose, documento publicado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) no início de 2018.

    Para prevenir as doenças cardiovasculares a partir de uma dieta balanceada, Aline destaca alguns alimentos ideais.

    “É mais do que evitar comidas industrializadas e frituras. Dá para aumentar o consumo de outras variedades de alimentos como amêndoas e nozes, alho e cebola, frutas cítricas como acerola, morango, laranja e limão e folhas escuras como espinafre e couve. Também, é possível substituir o óleo por azeite de oliva extra virgem, além de focar no consumo de mais peixes do que carne vermelha”. Ainda, há estudos que comprovam que apenas 30 minutos de atividade física diária ajudaria a prevenir boa parte das doenças.

    Portanto, realizar avaliações médicas periódicas e tomar cuidado com a saúde podem fazer toda a diferença para prevenir doenças e realizar uma boa recuperação de problemas já avançados.

    *Com informações da assessoria

     Leia mais

    Começa na segunda vacinação contra poliomelite e sarampo

    Tratamento inadequado do diabetes afeta 18% dos idosos

    Seu filho é sonâmbulo? Conheça o tratamento para a doença

    CIDADANIA

    Comentários