Fonte: OpenWeather

    DEZEMBRO VERMELHO


    Casa Vhida em Manaus acolhe crianças portadoras de HIV

    Em Manaus, mais mil menores de idade são assistidos pela Casa Vhida. Um lugar de acolhimento e solidariedade para vítimas do vírus HIV

    Casa Vhida em Manaus acolhe crianças portadoras do vírus HIV
    Casa Vhida em Manaus acolhe crianças portadoras do vírus HIV | Foto: Ione Moreno

    Manaus - Dedicar a vida à crianças e adolescentes em risco social portadores do vírus da Aids é a missão assumida há quase 19 anos pela Associação de Apoio à Criança com HIV (Casa Vhida.), em Manaus. A instituição, localizada no bairro Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste da capital do Amazonas, trabalha não só pelo desenvolvimento saudável dos jovens, mas também na luta contra o preconceito para com a doença.

    As paredes coloridas que dão vida à casa, deixam claro que no local o espaço é das crianças. O ambiente é pensado em cada detalhe para acolher os pequenos e amenizar os problemas que surgem com a doença, muitos dos quais eles nem entendem.

    Voluntárias da Casa Vhida em Manaus que acolhe crianças portadoras do vírus HIV
    Voluntárias da Casa Vhida em Manaus que acolhe crianças portadoras do vírus HIV | Foto: Ione Moreno

    Estrutura

    Por meio de assistência social e psicológica, desde 1999 a instituição desenvolve projetos que proporcionam melhoria da qualidade de vida e o bem-estar dos menores de idade, portadores do vírus HIV.

    Criação

    A casa foi criada a partir da iniciativa de um grupo de profissionais envolvidos no atendimento de crianças portadoras da doença, na Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMTAM).

    O projeto busca proporcionar convivência social oferecendo atividades de educação, capacitação, lazer e saúde em ambiente adequado. Dentre as dinâmicas oferecidas, estão oficinas de culinária, artes manuais, informática e nutrição.

     Dividido em um vasto espaço que funciona em dois andares como creche, o prédio conta com área de lazer, playground, dormitórios, cozinha coletiva, além dos departamentos de coordenação. O que começou como uma pequena iniciativa ainda na década de 90, hoje é uma das maiores referências de luta contra à aids no norte do Brasil.

    Casa Vhida em Manaus acolhe crianças portadoras do vírus HIV
    Casa Vhida em Manaus acolhe crianças portadoras do vírus HIV | Foto: Ione Moreno

     Preconceito

    A coordenadora do centro – Hericka Amorim – conta que no local, cerca 1.400 crianças e adolescentes são assistidos pelo projeto. Das mais de mil crianças abraçadas, oito moram na Casa Vhida, que tem espaço para acolher até vinte internos.

    Ainda de acordo com Hericka, entre problemas de saúde e de finanças, a maior luta travada ao lado dos pequenos é a batalha contra o preconceito.

    “Ainda no século 21, infelizmente nós ainda sofremos com muita falta de informação. As crianças as vezes sofrem mais pelo tratamento preconceituoso que elas presenciam foram daqui, do que pela própria doença, que nem todas ainda entendem. Por conta disso, o combate ao preconceito virou até tema de uma campanha nossa”, lembra a coordenadora.

    Na luta contra o preconceito, Hericka Amorim ressalta que a naturalidade aplicada à rotina das crianças é a ferramenta usada para frear qualquer sentimento de indiferença e exclusão vivido por eles.

    Oficinas lúdicas fazem parte da dinâmica de desenvolvimento com os pequenos acolhidos pela Casa Vhida
    Oficinas lúdicas fazem parte da dinâmica de desenvolvimento com os pequenos acolhidos pela Casa Vhida | Foto: Divulgação/ Casa Vhida

    “Aqui eles vivem uma rotina dentro do mais normal possível. Vão à escola, tem deveres de casa, horários a serem cumpridos e dessa forma a gente vai mostrando que é possível viver normalmente, mesmo em condições de contato com o vírus”, explica ela.

    A coordenação do espaço explica que os jovens direcionados a Casa Vhida são encaminhados pela Justiça por meio do Conselho Tutelar e do Juizado da Infância e da Juventude. São filhos infectados pelas próprias mães, ainda durante a gravidez – condição cientificamente intitulada como ‘Transmissão Vertical’.

    A casa está sempre aberta para novos voluntários que queiram contribuir com os pequenos da Casa Vhida
    A casa está sempre aberta para novos voluntários que queiram contribuir com os pequenos da Casa Vhida | Foto: Divulgação/ Casa Vhida

    Serviço

    Cerca de 832 crianças se beneficiam semanalmente da doação de leite, além de receberem ajuda com roupas, calçado e alimentos não perecíveis, sempre que há disponibilidade.

    O fornecimento de leite aos bebês filhos de mães portadoras do HIV é uma das prioridades da associação, tendo em vista que a amamentação não é indicada nesses casos.

    “O nosso ideal é sempre tentar restabelecer o vínculo afetivo que, por vezes, ainda pode ser resgatado entre a criança e os pais que em algum momento foram negligentes”, ressalta a casa.

    A Associação de Apoio à Criança com HIV conta com voluntários que a procuram, por meio da realização de eventos sociais e parcerias com Empresas e Fundações, conseguir recursos para a manutenção das crianças assistidas. A comunidade também participa através de doações e de eventos beneficentes realizados com o apoio dos nossos colaboradores.

    “Moram conosco jovens que chegam até aos 17 anos aqui e por conta da maior idade não podem mais permanecer no abrigo. Pensando nisso, existe um intenso acompanhamento psicológico para que o assistido seja autossuficiente ao sair da instituição”, esclarece Hericka Amorim.  

    Alegria é o sentimento que toma conta da rotina para enfrentar a batalha contra o HIV
    Alegria é o sentimento que toma conta da rotina para enfrentar a batalha contra o HIV | Foto: Divulgação/ Casa Vhida

     Apoio

    Com a chegada do Natal, a campanha Dezembro Vermelho, promovida nacionalmente em alusão ao combate ao vírus HIV, por meio da prevenção e luta contra o preconceito, também traz à tona a disposição para ajudar a causa.

    No dia 22 de dezembro a instituição promove a Festa de Natal da Vhida e já trabalha para arrecadar o máximo de doações possíveis. Além de presentes para as crianças e adolescentes, a casa precisa de doações de latas de leite e alimentos não perecíveis.

    Alimentos ricos em proteínas também estão entre as prioridades para doações à casa, como por exemplo, carne, peixe, frango e ovos.

    A Associação de Apoio à Criança com HIV – Casa Vhida, fica localizada na rua Pedro Álvares Cabral, nº 395, no bairro Dom Pedro I – Zona Centro-Oeste de Manaus. O número de contato é o (92) 3656-1250.

    Leia mais

    Amazonas está entre os estados com redução de óbitos por AIDS

    Quase 1 mil novos casos de homens com HIV são notificados em Manaus

    Comentários