Fonte: OpenWeather

    oncologia


    Atividades de Ensino e Pesquisa sobre o câncer crescem no Amazonas

    FCecon registrou 2,3 mil atividades de Ensino e Pesquisa em 2017 e, em 2018, a expectativa é aumentar 20%

    A FCecon também anunciou a expectativa de que, neste ano, haja um aumento de 20% neste volume, conforme dados da Diretoria de Ensino e Pesquisa da instituição. | Foto: Valdo Leão / Secom

    Manaus - Em 2017, no Amazonas, foram realizadas mais de 2,3 mil atividades científicas e de ensino na área de oncologia, que geraram uma produção de 172 projetos e artigos, publicados em veículos nacionais e internacionais de renome na área. Os dados foram divulgados pela Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), que também anunciou a expectativa de que, neste ano, haja um aumento de 20% neste volume, conforme dados da Diretoria de Ensino e Pesquisa da instituição. 

    A produção envolvendo o órgão e parceiros inclui trabalhos de doutorado, mestrado, de conclusão de cursos de pós-graduação (especialização) e graduação (TCCs), pesquisas desenvolvidas por meio do Programa de Apoio à Iniciação Científica (Paic) – que recebe o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam) – e os artigos de encerramento dos cursos inseridos no Programa de Residência Médica FCecon.

    Leia também: Quais alimentos podem contribuir para câncer do estômago?

    De acordo com a diretora-presidente da unidade de saúde, engenheira biomédica Ana Paula Lemes, no caso das pesquisas, o principal objetivo é traçar o perfil do paciente oncológico da região Norte, com foco na melhoria assistencial e na criação de novos protocolos.

    A coordenadora do Departamento de Ensino, vinculado à Diretoria de Ensino e Pesquisa da FCecon, enfermeira Júlia Mônica Benevides, explica que, atualmente, a instituição possui aproximadamente 40 projetos de pesquisa em andamento, a maior parte deles, iniciada em 2017. 

    “Ano passado, encabeçamos mais de 30 novos projetos, através do Paic. Também contabilizamos 132 publicações em revistas científicas de renome, o que nos deixa bastante orgulhosos, pois sabemos da importância desses estudos para a formulação de novas políticas em saúde e também para o fortalecimento da Política de Atenção Oncológica”, destaca.

    Congresso Pan Amazônico foi responsável por reunir mais de 900 atividades na área em 2017.
    Congresso Pan Amazônico foi responsável por reunir mais de 900 atividades na área em 2017. | Foto: Divulgação / Susam

    Entre as atividades produzidas estão as visitas técnicas, as ‘Quartas Científicas’, a Semana de Enfermagem, palestras, treinamentos, pós-graduações em oncologia e fisioterapia, simpósios e a realização da 4ª edição do Congresso Pan Amazônico de Oncologia, evento que se consolidou como o maior da região Norte do país para debater o câncer. 

    “Promovemos cerca de 170 treinamentos nas áreas de enfermagem, radioterapia, radiologia e fisioterapia, além das atividades relacionadas à Comissão de Controle de Infecções Hospitalares (CCIH)”, frisa Benevides. Estiveram envolvidos no processo, especialistas de diversas áreas, membros da Diretoria de Ensino e Pesquisa, setores vinculados e parceiros da iniciativa privada.

    Leia também: 4º Pan Amazônico de Oncologia aborda atualização em enfermagem e avanços cirúrgicos

    Residência

    Outra área fortalecida, em 2017, foi a de Internatos de Medicina, que envolveu 365 acadêmicos de universidades como a Estadual do Amazonas (UEA), Federal do Amazonas (Ufam), UniNilton Lins e Universidade Federal de Roraima (UFRR). As áreas de abrangência foram as mais diversas: ginecologia e obstetrícia, cirurgia plástica, clínica cirúrgica, clínica médica, cirurgia torácica e medicina intensiva (UTI).

    “As residências médicas também estão a todo vapor, formando profissionais especializados para abastecer nosso mercado. Antes, os médicos recém-formados precisavam buscar capacitação fora do Estado, o que ajudava a aumentar o déficit de profissionais no Amazonas. A própria FCecon, que é considerada referência em cancerologia na Amazônia Ocidental, as oferta, através do seu Programa de Residência Médica”, assegura Júlia Mônica.

    Programação 2018

    A Programação de Ensino e Pesquisa para o ano vigente inicia na sexta (12), com o Curso de Densitometria óssea, realizado em três etapas, em parceria com a Sensumed Oncologia, para profissionais das duas unidades de saúde. O projeto foi consolidado por meio do Termo de Cooperação Técnica, assinado em 2017, entre as instituições.

    O curso será promovido pelo Serviço de Imagenologia da FCecon, coordenado pela médica imagenologista Sabrina Bianco, gerente do setor. Os módulos ocorrem nos dias 12, 19 e 26 de janeiro, no terceiro andar da FCecon – rua Francisco Orellana, Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, a partir das 19h. Informações sobre inscrições podem ser obtidas através do telefone 3655-4763.

    Edição: Lívia Nadjanara

    Leia mais

    Saiba mais sobre causas e tratamentos da infecção urinária

    Chumbo no batom? Inmetro avaliou 15 marcas 

    Comentários