Fonte: OpenWeather

    Amor pelo Caprichoso


    De SP com uma bicicleta, torcedor do Caprichoso viaja rumo a Parintins

    O engenheiro Diego Eduardo, torcedor do boi Caprichoso, já iniciou a viagem de 7 mil quilômetros. Parte do trajeto será feito pedalando e outra de avião

    O engenheiro percorrerá mais de 7 mil quilômetros em busca do sonho de assistir o Boi azul evoluindo na arena
    O engenheiro percorrerá mais de 7 mil quilômetros em busca do sonho de assistir o Boi azul evoluindo na arena | Foto: Arte: Desirée Souza

    Manaus- “Apaixonado pelo boi preto com a estrela na testa e pela cultura Tupinambarana”. É assim que se define o paulistano e engenheiro civil Diego Eduardo, de 33 anos. Do município de Batatais, distante 352 quilômetros de São Paulo, Diego pretende percorrer mais de 7 mil quilômetros de bicicleta para assistir ao Festival Folclórico de Parintins, que acontecerá nos dias 26, 27 e 28 de junho de 2020. 

    Diego contou ao Portal Em Tempo sobre a paixão avassaladora pelo boi Caprichoso e o desafio que se estende do Sudeste ao Norte do país. O torcedor pode se tornar o primeiro a fazer o percurso com apenas um objetivo: pedalar até Parintins para ver a magia dos bois bumbás na arena.

    A chegada do engenheiro está prevista para início de junho
    A chegada do engenheiro está prevista para início de junho | Foto: Arquivo Pessoal

    Paixão Caprichosa

    Diego conta que há 14 anos é apaixonado pela cultura popular do povo amazonense. O duelo de bois, duas cores e torcidas apaixonadas encantam o paulistano - que decidiu romper a barreira da distância e ver o Boi Caprichoso evoluir no festival.

    “Desde a minha adolescência eu me encantava. A cada ano assistia e aprendi muito sobre o festival. Conheço os 21 itens divididos em três grupos de sete. Sei sobre a parte musical, as coreografias e sobre as alegorias. Fico encantado com o que acontece nessa cidade”, disse emocionado. 

    Mesmo sendo de outra região do Brasil, o engenheiro acompanhava pela televisão a transmissão das noites do espetáculo na selva. O maior objetivo de vida do torcedor é vivenciar o momento mágico na ilha. “Eu fico ansioso no final de junho para acompanhar o festival e ver pela televisão. Um dia eu falei para mim mesmo que realizaria esse sonho de conhecer o festival pessoalmente, vivenciar ali, perto dos bois”, relembra. 

    Já dizia a canção: "Eu sou...Sou Caprichoso até morrer
Minhas cores preferidas são azul e branco
De azul da cor do céu
E de branco, cor da paz
Transparente igual ao véu tenaz"- (Meu amor é Caprichoso)
    Já dizia a canção: "Eu sou...Sou Caprichoso até morrer Minhas cores preferidas são azul e branco De azul da cor do céu E de branco, cor da paz Transparente igual ao véu tenaz"- (Meu amor é Caprichoso) | Foto: Divulgação

    “Eu estava insatisfeito”

    É assim que o paulistano define o desafio de ir até Parintins pedalando. A insatisfação moveu Diego para o que ninguém fez até hoje: pedalar do Sudeste para o Norte do Brasil. 

    O engenheiro já iniciou a viagem rumo a Parintins
    O engenheiro já iniciou a viagem rumo a Parintins | Foto: Arquivo Pessoal

    “Eu vivia numa insatisfação pessoal no trabalho. Aquilo que eu estava fazendo não me preenchia, não me satisfazia. Eu não era feliz na carreira e decidi mudar de vida e realizar esse sonho. Vou sair do meu trabalho, onde estou há 14 anos. Além de realizar o meu sonho, eu vou poder conhecer grande parte do Brasil, como o litoral nordestino, interagir com as pessoas, conhecer novas culturas", explicou.

    Diego é apoiado nas redes sociais pela iniciativa corajosa. Ele posta diariamente os lugares percorridos e traz um balanço das dificuldades encontradas no percurso. "É realização do sonho desse torcedor azulado aqui", disse em tom de agradecimento aos apoiadores. 

    Preparação 

    Embora falte mais de 140 dias para a festa, a viagem dos sonhos iniciou no primeiro dia de fevereiro. Antes da partida, foram seis meses de preparação intensa, pois segundo ele, o físico e o mental terão que trabalhar lado a lado para ir até o destino final. A elaboração de todas as planilhas para a viagem durou mais de um mês. O torcedor afirmou que a preparação é a bússola que o fará ter êxito na jornada até Parintins. 

    “Usei meus conhecimentos de engenheiro civil para verificar a quilometragem percorrida por dia. Fiz a elaboração de roteiro, um mapa de altimetria para conhecer os percursos com subidas e descidas. Elaborei planilhas, me preparei condicionalmente, fiz acompanhamento psicológico, pois em uma viagem dessa não basta ter saúde, mas também uma mente forte para enfrentar as adversidades. Essa preparação é minha espinha dorsal”, concluiu Diego. 

    A parceira de duas rodas para o desafio foi comprada e adaptada por Diego. A bicicleta e os equipamentos de segurança são fundamentais para a viagem. Todos especiais e preparados para o tipo de distância e meses de uso foram comprados com muito sacrifício e esforço.

    O desafio já iniciou

    O ciclista já percorreu a cidades de Franca, Pedregulho, Prainha de Rifaina, Sacramento e Araxá, todas no interior de São Paulo. Diego conta que tudo está dentro do cronograma estudado. A viagem vai exigir muito do ciclista, e será o seu maior desafio. “Estou no meu segundo dia de viagem no interior de São Paulo, está dentro do planejado, estou contente por conhecer as cidades que passo. Ninguém gosta mais desse boi do que eu”, disse alegre. 

    O desafio começou no primeiro dia de fevereiro
    O desafio começou no primeiro dia de fevereiro | Foto: Arquivo Pessoal

    O percurso consiste em cruzar o estado de Minas Gerais, depois ir para Salvador, na Bahia; e subir o litoral nordestino em direção ao Maranhão. A partir da capital São Luís, o engenheiro virá de avião para Manaus e seguirá de barco para a ilha da magia. A previsão de chegada em Manaus é no início do mês de junho e dias antes do festival, na ilha tupinambarana. 

    O feito é inédito, pois não há quem ainda tenha feito um percurso com o objetivo de assistir ao Festival de Parintins, tendo em vista a grande distância e os meses de viagem. Diego não sabe se vai bater um recorde, mas sabe que realizará um sonho para a vida. “Eu acredito que sou o primeiro a viajar assim para Parintins”, afirma orgulhoso. 

    Mais que um ídolo

    Todo torcedor tem aquele ídolo que ao chegar na arena dos bumbás, canta e faz o corpo arrepiar. Diego conta com admiração sobre o ídolo David Assayag, um dos principais nomes do Festival como levantador de toadas. A voz estrondosa e marcante do cantor fez o paulista se apaixonar pelos cantos da Amazônia e o inspirar para cumprir o desafio pessoal. 

    O ídolo da nação azulada é reverenciado como a voz da Amazônia
    O ídolo da nação azulada é reverenciado como a voz da Amazônia | Foto: Tadeu Souza

    “Com toda a certeza ele é meu ídolo no boi. Eu o acompanho desde quando era do boi contrário. Eu admiro muito o talento que ele tem, mesmo com a deficiência. David Assayag canta com a alma. Ele é a voz da Amazônia”, diz o torcedor. 

    David, conhecido também como "Uirapuru da Amazônia", completou 51 anos em janeiro de 2020 e soma 35 anos de carreira. Ele permaneceu como levantador de toadas oficial do Garantido por 15 anos. Em 2009 foi contratado pelo Boi Caprichoso e hoje levanta a galera em Parintins.

    O lindo touro preto 

    Fundado em 1913, o boi azulado surgiu de uma promessa feita para São João Batista, pelos irmãos João Roque, Félix e Raimundo Cid- os irmãos Cid-, oriundos do Estado do Ceará. A promessa era a seguinte: se eles conseguissem trabalho e casamento após chegarem na região amazônica, reverenciariam o santo com um boi de pano. 

    O boi Caprichoso traz para a arena em 2020 o tema: "Terra: Nosso corpo, nosso espírito". O boi anunciou Chico da Silva em apresentação no Festival e o lançamento do álbum 2020 para o dia 28 de março, em Parintins, e também a gravação Ao Vivo de um álbum só com toadas de galera, prevista para o mês de abril.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    | Autor: Samara Maciel/ TV Em Tempo
     


    Comentários