Fonte: OpenWeather

    Editorial


    História jogada na lama

    Até quando policiais do Amazonas continuarão morrendo por conta da ineficácia de um Estado podre e sem prestígio?

    Nessa história de brincar com o povo do Amazonas, o cidadão de bem também está sendo vítima de bala perdida, de roubos, furtos, entre outros delitos
    Nessa história de brincar com o povo do Amazonas, o cidadão de bem também está sendo vítima de bala perdida, de roubos, furtos, entre outros delitos | Foto: Divulgação

    Até quando policiais do Amazonas continuarão morrendo por conta da ineficácia de um Estado podre e sem prestígio? Nunca saberemos a resposta, pois o atual governador só pensa em jogar dominó com os coleguinhas, distribuir bens para pessoas de baixa renda, dispensar licitações para beneficiar amigos (empresários) e gastar mais de R$ 5,6 milhões com a consultoria norte-americana do ex-prefeito de Nova Iorque Rudolph Giuliani (que só entende de beisebol).

    Essa política velha está com os dias contados. O dia da eleição está batendo à porta, e a agonia dos assessores, sanguessugas de plantão e até do gestor máximo do Estado pode durar até dezembro de 2018. Enquanto tudo isso não é extinto, os agentes de segurança da nossa região continuarão perdendo para criminosos inescrupulosos com fuzis e armamentos poderosos.

    Nessa história de brincar com o povo do Amazonas, o cidadão de bem também está sendo vítima de bala perdida, de roubos, furtos, entre outros delitos. Em pouco tempo, de volta ao poder, Amazonino Mendes jogou na lama, como os ramais do Estado, toda sua história política.

    O que ele fez para beneficiar o povo nessa nova gestão? Aumentou o salário de apadrinhados? Entregou lanchas, produtos agrícolas, mantimentos e outros produtos pensando que vai se perpetuar no poder? Creio que costurar os fiapos e fazer remendos não é o melhor remédio. Amazonino precisa de um choque de realidade na periferia, nas comunidades e nas classes mais baixas da região que ele administra ou diz que faz alguma coisa, caso contrário vai sentir essa eletricidade nas urnas.

    Com essa história de amor, o atual gestor do Amazonas está brincando com o sentimento de uma sociedade sofrida. Está traindo seus eleitores e quebrando as regras com seu povo. Só não enxerga quem não quer. A melhor coisa que o “Negão” deve fazer é voltar de cabeça baixa para sua casa e não ser massacrado pela massa, que não aceita esse tipo de política inescrupulosa, antiga, arcaica e sem novidades para um povo moderno.

    Leia mais: 

    Amazonino dispensa licitações no AM e joga dinheiro ao vento

    Uma nova eleição à vista: nada será como antes

    População do Amazonas é refém da incompetência

    Comentários