Fonte: OpenWeather

    Caso Flordelis


    Justiça determina que Flordelis use tornozeleira eletrônica

    Além do monitoramento, parlamentar está em recolhimento domiciliar noturno das 23h às 6h

    A decisão de prisão domiciliar foi feita pelo juiz Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3° Vara Criminal de Niterói
    A decisão de prisão domiciliar foi feita pelo juiz Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3° Vara Criminal de Niterói | Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

    O Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) ordenou, nesta sexta-feira (18), que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) seja monitorada por tornozeleira eletrônica e fique em casa entre às 23h até 6h.

    Flordelis e os filhos são réus do processo sobre a morte do pastor Anderson do Carmo, marido da política, assassinado em junho de 2019. Ela é acusada de ser a mandante do crime.

    A decisão de prisão domiciliar foi feita pelo juiz Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3° Vara Criminal de Niterói, que teve como justificativa o "quadro de incerteza acerca do paradeiro da ré Flordelis", afirmou.

    Nearis ainda citou o relato de uma testemunha, Regiane Rabello, que se sentiu ameaçada pela política e um de seus filhos após ter uma bomba lançada na sua casa. Segundo Regiane, não há dúvidas de que o "atentado" em questão foi orquestrado pela deputada.

    No inquérito, é confirmado que Flordelis irá responder por cinco crimes, como homicídio triplamente qualificado, associação criminosa, uso de documento falso e falsidade ideológica. Pelo envenamento, ela vai responder por tentativa de homicídio.

    Comentários