Fonte: OpenWeather

    Criminalidade


    Hospitais viram alvo de bandidos na capital amazonense

    Roubos, furtos e sequestros estão acontecendo à luz do dia em várias unidades de saúde da capital amazonense

    Apenas este mês, casos foram registrados no HPS 28 de Agosto e na Maternidade Azilda da Silva Marreiro | Foto: Divulgação

    Manaus - Casos de roubos e furtos de veículos em estacionamentos de unidades de saúde de Manaus vêm causando traumas e deixando a população assustada com o crescimento da criminalidade na capital.

    Em menos de um mês, o EM TEMPO recebeu duas denuncias desse tipo de crime. Com a ineficiência de policiais civis e militares, vítimas estão oferecendo recompensas na esperança de recuperar seus bens. Em um desses casos, o motoboy Elson Ribeiro, de 28 anos, está oferecendo dinheiro para encontrar uma motocicleta modelo Honda/CG 150 de cor vermelha e placa NOO-2015, furtada no dia 27 de março deste ano em plena luz do dia, no estacionamento do hospital e pronto-socorro 28 de Agosto, localizado na avenida Mário Ypiranga, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul.

    Leia tambémVeja vídeo: “ladrão corajoso” invade casa de sargento da PM, em Manaus

    “Eu estava passando mal e fui ao hospital. Estacionei na área reservada às motocicletas, demorou cerca de uma hora e não fui atendido, quando retornei para buscar minha moto, só estava a vaga vazia. Isso tudo às 10 horas da manhã. Minha moto estava trancada, levaram minha ferramenta de trabalho”, lamentou Ribeiro. Ele está oferecendo uma recompensa de R$ 500 para quem ajudar a encontrar a sua moto.

    Homem teve uma motocicleta furtada no estacionamento do hospital e pronto-socorro 28 de Agosto, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul
    Homem teve uma motocicleta furtada no estacionamento do hospital e pronto-socorro 28 de Agosto, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul | Foto: Divulgação

    Ribeiro ainda informou que procurou a direção do hospital, mas não recebeu auxílio. “Disseram que as câmeras não gravavam e só acompanham as imagens em tempo real. A polícia só me orientou a registrar boletim de ocorrência”, contou a vítima de furto.

    No dia 17 deste mês, uma enfermeira de 40 anos, foi abordada por um criminoso enquanto tentava sair da Maternidade Azilda da Silva Marreiro, conhecida como Maternidade do Galileia, na Zona Norte. Nesse caso as imagens do circuito interno de segurança da unidade de saúde registraram a ação do bandido. Ele faz ameaças usando uma faca e obriga a funcionaria a sair do carro. O assaltante foge levando o veículo e o celular da vítima.

    No dia seguinte, após a enfermeira registrar um boletim de ocorrência, na Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos (DERFV), o carro foi encontrado abandonado em uma rua abandonada do bairro Terra Nova, também na Zona Norte. 

    Veja o momento em que a enfermeira é atacada em pleno à luz do dia na Maternidade Galileia, Zona Norte | Autor: Divulgação

    A advogada da enfermeira, Débora Tapajós, informou que a cliente ficou traumatizada, mas recebeu o auxílio adequado da polícia e da maternidade. Ela alertou sobre a precariedade da segurança no Estado. 

    "É preocupante, no quadro que a gente vive, a falta do amparo estatal nos postos de saúde, inclusive prejudicando o trabalhador que está ali prestando serviços à comunidade. Acredito que é um problema maior do que só a falta de policiamento nas ruas, mas também da falta de amparo aos policiais para poderem exercer sua profissão, de fato é um problema sistêmico que abrange varias área até desaguar na violência urbana" pontou a advogada, especializada em direito humanos.  

    Sequestro

    Em agosto do ano passado, duas mulheres foram sequestradas e tiveram o carro roubado no estacionamento do pronto-socorro João Lúcio, na Zona Leste. Na época as vítimas relataram que foram rendidas por dois assaltantes quando saíam de uma consulta. As duas ficaram meia hora sob ameaças, na mira de uma espingarda, e foram abandonadas no bairro Armando Mendes, na Zona Leste. Uma das vítima ainda relatou à polícia, que ouviu os criminosos planejando usar o carro para cometer outros roubos pela cidade.

    Respostas

    A Secretaria de Estado de Saúde (Susam), por meio de nota, esclareceu que as unidades de saúde da rede estadual possuem equipes de vigilantes patrimoniais, que atuam no interior da unidade. O Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto e a Maternidade Azilda Marreiro contam também com circuito de monitoramento interno, que possui câmeras na área interna e externa das unidades. Em casos de furtos ou roubos, a Polícia Militar é acionada, e a direção das unidades presta o apoio necessário, buscando ver se houve registros do crime nas imagens das câmeras de monitoramento.

    A Polícia Militar informa que atua na capital com 30 Companhias Interativas Comunitárias em todas as zonas de Manaus, além de apoio irrestrito do Batalhão de Choque e da Rondas Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), Força Tática e Batalhão Ambiental com ações pontuais em operações, que inibem roubos e furtos. As ações também se estendem a outros órgãos que necessitam de apoio. A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) não se pronunciou sobre a questão. 

    Leia mais

    Morre bebê que teve incubadora improvisada com balde em Lábrea

    Quadrilha armada é capturada na Ponta Negra após sequestro relâmpago

    Vigilância Sanitária autuou 240 empresas do ramo alimentício em Manaus

    Comentários