Fonte: OpenWeather

    Buscas


    Polícia realiza nova busca por corpos de vendedora e detento no Compaj

    A mulher teria sido morta por um presidiário do regime semiaberto, que também desapareceu após o esposo da vítima descobrir o caso. Principal suspeita é que os corpos estejam enterrados no Compaj

    O desaparecimento de Andressa já dura mais de quatro meses | Foto: Divulgação

    Manaus - Policiais civis e militares do Amazonas realizam, na manhã desta sexta-feira (27), uma busca por ossadas no terreno do regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no quilômetro 8 da rodovia federal BR-174 (Manaus/Boa Vista). Um dos corpos procurados na área é, provavelmente, da vendedora de sucos Andressa Castilho de Souza, de 23 anos, que desapareceu misteriosamente há quatro meses após visitar o marido no presídio. 

    Na época do sumiço da jovem, o principal suspeito de ser autor do desaparecimento seria o detento Daniel Ferreira, que chegou a ser interrogado por comparsas do esposo da vítima no setor do regime semiaberto e atualmente também está desaparecido. 

    Leia também: PC realiza busca por mulher desaparecida e divulga áudio revelador

    Participam das buscas equipes do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Grupo Marte da Polícia Militar e cães farejadores.

    O delegado Guilherme Torres, diretor do DRCO, informou, por telefone, em entrevista exclusiva para a TV Em Tempo, diretamente do Compaj - onde acontecem as buscas desta sexta - que a localização dos corpos é a peça que falta para concluir o quebra-cabeça das investigações. "Além das equipes de investigação, estamos com o apoio de uma retroescavadeira. Ressaltamos que esta é a sexta vez que as equipes realizam buscas no Compaj", destaca Torres. 

    Investigações

    A polícia acredita que Daniel tenha sido morto ao deixar o presídio, logo após o interrogatório feito pelos detentos. Os corpos da vendedora de sucos e de Daniel supostamente foram enterrados na região onde está situado o Compaj.

    Uma retroescavadeira é utilizada  para tentar localizar possíveis corpos no Compaj
    Uma retroescavadeira é utilizada para tentar localizar possíveis corpos no Compaj | Foto: Divulgação

    As investigações iniciais apontam que Daniel teria matado Andressa. Em seguida, após o marido da vítima ter conhecimento do crime, Daniel teria sido esquartejado, porém até o momento, sem a localização dos corpos, não há confirmação desta versão. 

    Edição: Isac Sharlon

    Leia mais:

    Corpo em área de mata no Novo Aleixo estava com mãos e pés amarrados

    Polícia encontra mais um corpo no Ramal do Brasileirinho nesta quinta

    Em Tempo cria lista de transmissão de notícias pelo WhatsApp



    Comentários