Fonte: OpenWeather

    SEGURANÇA PÚBLICA


    Amazonas teve aumento de 5,3% de mortes violentas em 2017

    Publicação registra números relativos à segurança pública de 2017 e 2016. Melhor resultado foi o do número de casos de violência doméstica, que reduziu 15,9%

    O número de homicídios em Manaus aumentou em relação a 2016: 961 naquele ano, contra 1083 em 2017. | Foto: Marcely Gomes/EM TEMPO

    Manaus - É oficial: mata-se mais no Brasil, que está em relativa paz, do que na Síria, atualmente em guerra. O país registrou, de acordo com o 12° Anuário Brasileiro de Segurança Pública, 63.880 mortes violentas. 

    Os dados, divulgados nesta quinta-feira (9), ainda mostram o Amazonas no 19° lugar do ranking de qualidade dos dados, com 1.271 mortes violentas registradas em 2017. O número assusta, mas ainda é menor do que o registrado no Ceará: 6.915 mortes violentas. 

    Os números divulgados nesta quinta ainda mostram um aumento em relação a 2016. O Amazonas registrou aumento de 5,3% na taxa de mortes violentas entre 2016 e 2017. A taxa evoluiu de 29,7 para 31,3 mortes por 100 mil habitantes.

    Em 2016, o Amazonas registrou 1.189 mortes violentas, sendo 29,7 mortos de forma violenta, como latrocínio, homicídios dolosos e lesão corporal seguida de morte, a cada 100 mil habitantes.

    Amazonas registrou 1271 mortes violentas em 2017. Em Manaus, número foi de 1083 mortes
    Amazonas registrou 1271 mortes violentas em 2017. Em Manaus, número foi de 1083 mortes | Foto: Marcelo Cadilhe/Arquivo EM TEMPO

    Leia também: Mata-se mais em Manaus do que na guerra da Síria

    O Anuário Brasileiro de Segurança Pública define a categoria de Mortes Violentas Intencionais corresponde à soma das vítimas de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de confrontos com a Polícia Militar, tanto em serviço como fora de serviço.

    Estupros e desaparecidos

    Já com relação aos estupros, o Anuário registrou redução desse tipo de crime no Estado. Em 2016, o Amazonas registrou 958 estupros, contra 865 registrados em 2017, tendo queda de 11,1%. As tentativas de estupro também diminuíram: foram 152 registrados em 2016, e "apenas" 118 registros em 2017, sendo, atualmente, 2,9 estupros a cada 100 mil habitantes.

    Número de estupros no Amazonas caiu 11,1%, de 958, em 2016, para 865, em 2017.
    Número de estupros no Amazonas caiu 11,1%, de 958, em 2016, para 865, em 2017. | Foto: Reprodução

    No entanto, o número de desaparecidos aumentou. Ao todo, foram 860 desaparecimentos registrados em 2017, contra apenas 246 em 2016. A diferença entre o número de localizados é gritante: 32 em 2017, e 37 em 2016.

    Manaus

    Em Manaus, os números também são alarmantes. Foram 1083 mortes violentas registradas em 2017, incluindo homicídios dolosos, latrocínios, lesão corporal seguida de morte, policiais militares e civis mortos em confronto, e mortes decorrentes de confronto com a Polícia, contra 961 registradas em 2016. 

    O número de homicídios em Manaus aumentou em relação a 2016: 961 naquele ano, contra 1083 em 2017.
    O número de homicídios em Manaus aumentou em relação a 2016: 961 naquele ano, contra 1083 em 2017. | Foto: Marcely Gomes/EM TEMPO

    Também em relação aos policiais civis e militares mortos em serviço, o Anuário mostra que, em 2016, 7 policiais foram mortos. O número diminuiu em 2017, mas nem tanto: 5 foram mortos no ano passado. Entre eles, pode-se destacar o caso do policial militar Paulo Sérgio Portilho.

    Violência e morte de mulheres

    Só em 2017, o Brasil registrou 193.482 casos de violência doméstica apenas contra mulheres. O número é inferior ao de 2016, quando foram registrados 194.273, com queda geral de 1,6%. Entre as unidades da Federação, o maior número registrado foi o de São Paulo, com 50.665 casos registrados em 2017.

    No Amazonas, 2578 casos foram denunciados em 2017, contra 2891 em 2016, configurando redução de 12,2%.
    No Amazonas, 2578 casos foram denunciados em 2017, contra 2891 em 2016, configurando redução de 12,2%. | Foto: Reprodução

    No Amazonas, 2.578 casos foram denunciados em 2017, contra 2.891 em 2016, configurando redução de 12,2%. Há diferença, no entanto, entre os casos contra a mulher e os totais: ao todo, foram registrados 2.687 casos de violência doméstica, contra 3.148 em 2016, com redução de 15,9%.

    Investimentos em segurança

    O Anuário também mostrou quedas e aumentos de investimentos em determinadas áreas da segurança pública. A publicação mostrou que a área de policiamento foi uma das mais afetadas: houve queda de 94,9% em investimentos, de 2016 para 2017. No ano olímpico, o Governo investiu R$ 125.785.792,64 em 2016, mas no ano seguinte, foram apenas R$ 6.395.439,97.

    A área de defesa civil, no entanto, foi a área que mais recebeu investimentos: R$ 30.397.086,70 investido sem 2017, contra R$ 12.206.599,69, sendo um aumento total de 149%.

    Investimentos em policiamento diminuíram drasticamente: foram 125.785.792,64 em 2016, contra apenas R$ 6.395.439,97 em 2017
    Investimentos em policiamento diminuíram drasticamente: foram 125.785.792,64 em 2016, contra apenas R$ 6.395.439,97 em 2017 | Foto: Márcio Melo/EM TEMPO

    Outros aumentos também foram registrados, mas são considerados pífios se comparados com os de defesa civil: aumento de 4,10% em 2017, com R$ 336.000,00 investidos; e em demais subfunções, aumento de R$ 5,96%, com investimento de R$ 1.385.503.651,25.

    Ao todo, o Amazonas investiu, em 2017, R$ 1.422.632.177,92, contra R$ 1.445.855.829,71 em 2016, totalizando uma queda de 1,61% em recursos. Fracionado do orçamento total, o valor representa apenas 9,7% do orçamento total do Estado em 2017 investidos na área de segurança.

    Leia mais

    Mês violento: Julho registra 113 mortes em Manaus e acende alerta

    Segurança: crimes e estatísticas ameaçam reeleição de Amazonino

    Manaus tem mais de 250 sequestros em dois anos e meio, diz SSP

    CIDADANIA

    Comentários