Fonte: OpenWeather

    Sistema prisional


    Após morte de agente, Seap revira Compaj atrás de objetos ilícitos

    A vistoria acontece dois dias após um agente de socialização da Umanizzare ser morto com uma facada no pescoço

    PM realizou a vistoria em todas as celas e manteve os presos no pátio
    PM realizou a vistoria em todas as celas e manteve os presos no pátio | Foto: Divulgação


    Manaus - A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) realizou nesta segunda-feira (3), o procedimento de revista no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista). A vistoria acontece dois dias após um agente de socialização da Umanizzare ser morto com uma facada no pescoço.

    Durante a operação na unidade prisional, que teve início às 6h e encerrou às 15h, foram encontrados 8 aparelhos celulares, 3 carregadores de celular e 5 estoques (barra de ferro pontiaguda).

    Estoques similares ao que foi usado para matar agente foram encontrados nas celas
    Estoques similares ao que foi usado para matar agente foram encontrados nas celas | Foto: Divulgação

    De acordo com o secretário de Estado de Administração Penitenciária, coronel da Polícia Militar, Cleitman Coelho, as operações tem como objetivo retirar materiais que possam ser utilizados pelos presos em possíveis alterações no sistema e evitar novas fugas no sistema prisional. 

    “As medidas que estão sendo tomadas para nos prevenirmos e adiantarmos para possíveis surpresas e tomadas de decisões dos presos em causarem motins, rebeliões ou fugas. Nesta ação no Compaj não foram encontradas situações que comprometam a segurança das unidades, como celas e barras de ferro serradas ou indícios de túnel”, completou.

    Novas sandálias e uniformes foram entregues aos presos
    Novas sandálias e uniformes foram entregues aos presos | Foto: Divulgação


    Entrega de kits

    Após o procedimento de revista, a Seap fez a entrega do kit uniforme (blusa, calça, bermuda, tênis, sandálias e material de higiene) aos 964 internos do Compaj, quarta unidade prisional a adotar a padronização do vestuário. Antes da entrega dos uniformes foram retiradas peças de roupas e colchonetes e travesseiros deteriorados, que foram substituídos pelos novos.

    Atualmente fazem o uso do uniforme, o Centro de Detenção Provisória Masculino 2 (CDPM 2), Presídio Feminino de Manaus (PFM) e Unidade Prisional do Puraquequara (UPP).

    De janeiro a outubro de 2018, a SEAP já realizou 95 revistas nas unidades prisionais da capital e do interior
    De janeiro a outubro de 2018, a SEAP já realizou 95 revistas nas unidades prisionais da capital e do interior | Foto: Divulgação


    De janeiro a outubro de 2018, a SEAP já realizou 95 revistas nas unidades prisionais da capital e do interior, com uma média de oito a nove revistas por mês. A Seap possui um cronograma de revistas e fiscalizações previstas para ocorrerem no sistema prisional tanto em unidades prisionais da capital quanto no interior.

    As ações também são realizadas também em casos extraordinários mediante informações do Departamento de Inteligência Penitenciária (Dipen), Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), vinculada à Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), e demais setores de inteligência do Estado sobre o sistema prisional.

    *Com informações da assessoria

    Confira reportagem da TV Em Tempo

    | Autor: TV EM TEMPO

    Leia mais

    Agentes anunciam paralisação após colega ser morto por preso no Compaj

    Após morte, agentes penitenciários se concentram na Aleam

    Comentários