Fonte: OpenWeather

    Zona Norte


    Preservativos usados estavam ao lado de homem morto com 15 facadas

    Manoel estava despido no chão do quarto e quase foi degolado pelo assassino

    No local foram encontrados dois preservativos | Foto: Suyanne Lima

    Manaus - O corpo de Manoel Sudário da Silva, de 40 anos, o "Sarita", foi encontrado por volta das 14h, na quitinete onde ele morava sozinho na rua Vila Nova, bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus. O corpo do homem estava jogado no chão e apresentava mais de 15 perfurações de faca. Inclusive, segundo a perícia, ele quase foi degolado.

    Os peritos do Departamento de Perícia Técnico-Cientifica  informaram que Manoel estava despido e jogado no chão do quarto. No local foram encontrados dois preservativos usados. Moradores da área disseram que a vítima era homossexual e costumava receber amigos na residência.

    O delegado Luiz Rocha, plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), disse que a primeira linha de investigação do crime é latrocínio (roubo seguido de morte). A justificativa é baseada no sumiço da carteira porta e do celular da vítima.

    "Provavelmente outros objetos foram subtraídos durante a ação.  Acreditamos que o crime aconteceu por volta das 3h, pela rigidez do corpo", informou a autoridade.

    Moradores da área disseram que a vítima era homossexual
    Moradores da área disseram que a vítima era homossexual | Foto: Suyanne Lima

    Segundo a equipe da 13ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), o corpo de Manoel foi encontrado por dois amigos. Eles sentiram  falta do "Sarita" e resolveram visitá-lo. Os vizinhos da vítima informaram que Manoel foi visto pela última vez no início da noite de domingo (17), por volta das 18h. Ele ainda chegou a conversar com os moradores da rua.  

    "Ele morava há mais de seis anos aqui. Nunca vimos ele envolvido com coisas erradas. Ele era um homem batalhador, trabalhava em uma padaria aqui perto", disse uma moradora. 

    Segundo relatos dos colegas de Manoel, ele não possuía parentes na cidade, já que é natural do estado do Pará. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para remover o corpo. O caso agora será investigado pela DEHS.

    Comentários