Fonte: OpenWeather

    Tráfico de armas


    Suspeito de matar Marielle é indiciado por tráfico de armas

    Investigação aponta que Ronnie Lessa e a filha importavam peças para o Brasil desde 2014

    O inquérito será encaminhado ao Ministério Público (MP)
    O inquérito será encaminhado ao Ministério Público (MP) | Foto: Reprodução

    Acusado de matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes em 2018, o PM reformado Ronnie Lessa e a filha foram indiciados pelo crime de de tráfico internacional de armas.

    A investigação aponta que Lessa traficava armas dos Estados Unidos desde 2014 com ajuda de Mohana Figueiredo. Ela trabalhava como treinadora de futebol no país.

    De acordo com Marcus Amim, titular da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), o PM usava nome falso para comprar as peças pela internet, mandava para Mohana e ela despachava para o Brasil.

    O inquérito será encaminhado ao Ministério Público (MP).Lessa foi preso em 12 de março de 2019, junto com o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, acusado de dirigir o carro usado no assassinato de Marielle e Anderson Gomes. 

    Comentários