Fonte: OpenWeather

    Notas da Contexto


    Coca-Cola não vai deixar Zona Franca

    A nota foi publicada em resposta à notícia veiculada nacionalmente de que a indústria estava deixando Manaus

    | Foto: Malika

    A Coca-Cola do Brasil reiterou que não tem planos de deixar a Zona Franca de Manaus, de onde, há 28 anos, sai o concentrado utilizado na produção de várias bebidas pelas 36 fábricas instaladas no país.

    — O nosso compromisso com o Brasil é sólido e de longo prazo, numa trajetória que já soma 76 anos –, avisou a empresa.

    O Sistema Coca-Cola Brasil é o maior produtor de bebidas não alcoólicas do país e atua em nove segmentos: água, café, chás, refrigerantes, néctares, sucos, lácteos, bebidas esportivas e bebidas vegetais, com uma linha de 213 produtos multinacionais.

    Sem ameaças

    Ainda de acordo com a Coca-Cola, seus valores e práticas incluem diálogo e transparência com governos e com a sociedade brasileira.

    — Não trabalhamos com ameaças -.

    R$ 3 bilhões de investimentos

    Em todo o Brasil, o Sistema Coca-Cola emprega 54 mil pessoas direta e outras 600 mil indiretamente na produção e distribuição de 213 produtos de 20 marcas.

    — Só este ano, nosso investimento no Brasil foi de R$ 3 bilhões, seguindo o mesmo patamar de 2017.

    Barulho por nada

    Por falar em Zona Franca, após o Senado Federal aprovar o Decreto Legislativo 57/2018, de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PC do B) e subscrito pelos senadores Omar Aziz (PSD) e Eduardo Braga (MDB), que susta o decreto presidencial 9.934/2018 – que reduziu de 20% para 4% os incentivos do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de empresas instaladas em Manaus (ZFM) –, a matéria foi para a Câmara dos Deputados.

    Esqueceram de mim

    Mas, ao que parece, caiu no esquecimento.

    À época, os deputados federais do Amazonas afirmaram que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), colocaria o Decreto em votação no dia 7 de agosto, logo após o recesso parlamentar, o que não aconteceu até o momento.

    Debaixo do tapete

    Pelo visto, o período de campanha colocou para debaixo do tapete um assunto tão importante para a geração de emprego e renda no Amazonas.

    Reação em cadeia

    O incentivo foi cortado para bancar R$ 740 milhões da fatura de R$ 13,5 bilhões do “bolsa caminhoneiro”, pacote de subsídios dado pelo governo federal para reduzir o valor do diesel e pôr fim à greve no setor de transporte de cargas, que provocou uma crise de abastecimento no país.

    Ninguém pra presidente

    É por essa e outras que o candidato a governador do Amazonas Omar Aziz (PSD) disse que ainda não tem candidato à presidência da República.

    — Nenhum dos que se apresenta como candidato a presidente mostra interesse em preservar os benefícios fiscais da Zona Franca de Manaus -, disse.

    Evasivos

    Aziz disse que falam muito em preservar a Zona Franca, mas, nas entrelinhas, tratam de renúncia fiscal e reforma tributária que nos afetam.

    — Eles são evasivos. Não há comprometimento firme –, disparou o senador, em entrevista à Tiradentes FM.

    Bi Garcia? Tô fora!

    – Agradeço, mas não me sinto à vontade -.

    Essa foi a resposta do candidato a deputado federal Dodó carvalho (PSD) ao apoio oferecido pelo prefeito de Parintins, Bi Garcia (PSDB), que acabou de voar para a colmeia do governador Amazonino Mendes (PDT).

    Parintins não tem dono

    Em nota ao povo de Parintins, Dodó disse que defende o exercício da livre escolha do voto contra projetos autoritários que tratam o povo como posse.

    — Parintins não é propriedade particular, para ser dividida e loteada a quem dá mais pelo poder –, bateu.

    Negão nem pensar

    Para o empresário da navegação, aceitar o apoio do prefeito de Parintins significaria oportunismo, pois o tucano escolheu um candidato a governador que não reflete a sua escolha.

    — Estou apoiando o candidato Omar Aziz, que, na última década, foi quem verdadeiramente ajudou Parintins –, disse Dodó.

    A mão que afaga...

    Após sair da base de apoio do prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), e se alinhara Amazonino Mendes (PDT) nesta eleição, o presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Wilker Barreto (PHS), tem partido para o ataque contra o chefe do Executivo Municipal.

    ... É a mesma que apedreja!

    Wilker usou a tribuna na segunda-feira (20) para reclamar que não é mais recebido pelos secretários municipais.

    Além disso, cobrou da prefeitura o pagamento das emendas impositivas ao orçamento propostas pelos parlamentares.

    Como se pode observar, em tempos de eleição, o poema de Augusto dos Anjos nunca esteve tão atual

    Mais calcinha...

    O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) intimou o Partido da Mobilização Nacional (PMN) a suprir, até quinta-feira (23), o número mínimo de candidaturas femininas da sigla.

    ... Menos cueca!

    Segundo orientação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), devem ser de 30% do total de candidaturas para estas eleições.

    Por pouco

    De acordo com a Justiça Eleitoral, o PMN tem 46 candidatos neste pleito, sendo 33 homens e 13 mulheres, que dão respectivamente 71,74% e 28,26%.

    Fora Temer

    O governo do presidente Michel Temer (MDB) é reprovado por 76% dos eleitores brasileiros, segundo pesquisa realizada pelo Ibope.

    No levantamento, 60% avaliam o governo como péssimo e 16% consideram a gestão Temer como ruim.

    Fora temer 2

    A administração é considerada regular por 19% do eleitorado, 2% diz que o governo está sendo bom e 1% o aponta como ótimo, o que faz a gestão do emedebista ter 3% de aprovação na pesquisa.

    Esse 1% deve ser dos ministros e do pessoal que frequenta o Jaburu depois da meia-noite.

    Você gosta das Notas da Contexto? Então leia mais:

    'Não vote em mim, vote no Estado', diz campanha de Amazonino Mendes

    Amazonino Mendes e a arte de tapar o sol com a peneira

    O canto da sereia: Amazonino atrai aliados e os abandona pelo caminho

    Comentários