Fonte: OpenWeather

    OPERAÇÃO CUSTO POLÍTICO


    TRF-1 nega pedido de habeas corpus para José Melo e Edilene Oliveira

    Pedido foi levado à Justiça no dia 8 de janeiro. Afonso Lobo, ex-secretário de Fazenda, também volta para a prisão

    José Melo e Edilene Oliveira tiveram habeas corpus negado nesta quinta-feira. | Foto: Divulgação

    Manaus - Nesta quinta-feira (1°), a desembargadora Monica Sifuentes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, negou o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do ex-governador do Amazonas, José Melo, e de sua esposa, Edilene Oliveira. Com a decisão, o casal continua em prisão preventiva. Edilene foi presa no dia 4 de janeiro, e no mesmo dia, Melo teve a prisão temporária convertida em preventiva.

    Leia mais: Habeas corpus de Melo fica ‘na geladeira’ após troca de juízes

    Na decisão, Sifuentes alega que existem provas suficientes para a manutenção da prisão preventiva, como evidências da incompatibilidade entre “os gastos pessoais dos pacientes com os rendimentos que auferem”. A desembargadora também afirma que o arrombamento de boxes e retirada de caixas, que guardavam documentos e provas dos crimes praticados pelo casal, menos de 24 horas após a decretação judicial de busca e apreensão, também justifica a adoção da medida.

    O advogado de defesa do casal, José Carlos Cavalcanti Jr., garante que o pedido será levado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que haja o julgamento do mérito. “Ainda não temos uma data definida, porque estamos esperando o julgamento de outros dois pedidos de liberdade na Justiça Federal do Amazonas”, afirma.

    Ex-secretário de Fazenda, Afonso Lobo, retorna para a prisão pela terceira vez.
    Ex-secretário de Fazenda, Afonso Lobo, retorna para a prisão pela terceira vez. | Foto: Divulgação

    Preso mais uma vez

    Também nesta quinta-feira, o ex-secretário de Estado de Fazenda, Afonso Lobo, foi preso preventivamente pela terceira vez. A Polícia Federal cumpriu decisão do juízo da 4ª Vara Federal, onde tramitam os processos da Operação Maus Caminhos.

    “Nós vamos recorrer ao TRF-1, porque foram eles que anularam a segunda prisão do secretário. Se for preciso, vamos recorrer ao STJ ou até mesmo ao Supremo Tribunal Federal (STF)”, afirma o advogado de defesa de Lobo, Diego Marcelo Padilha.

    Relembre o caso

    O ex-governador José Melo (Pros), a ex-primeira-dama Edilene Oliveira, e os ex-secretários Evandro Melo (Administração e Gestão), Afonso Lobo (Fazenda), Pedro Elias (Saúde) e Wilson Alecrim (também da Saúde) são investigados por integrar uma organização criminosa que desviou mais de R$ 100 milhões de reais da saúde no Amazonas.

    Edição: Bruna Souza

    Leia também: 

    Advogado de Melo diz que entrará com pedido de habeas corpus

    Desembargadora estipula prazo de 72h para julgar habeas corpus de Melo

    PF prende ex-governador do AM José Melo em nova fase da 'Maus Caminhos'

    Comentários