Fonte: OpenWeather

    Reportagem da Isto É


    Átila Lins nega revista 'Isto É' e diz que não vendeu adesão ao PP

    Reportagem da revista Isto É cita que Átila Lins foi um dos “comprados”pelo PP. O parlamentar, de acordo com a matéria, teria negociado R$ 7,650 milhões do Fundo Nacional da Saúde

    Segundo o parlamentar, as emendas que incluíam recursos para os municípios de Tefé, Borba e Coari atenderam interesses do povo do Amazonas
    Segundo o parlamentar, as emendas que incluíam recursos para os municípios de Tefé, Borba e Coari atenderam interesses do povo do Amazonas | Foto: Divulgação

    Manaus -O deputado federal Átila Lins negou que sua adesão ao Partido Progressista (PP) tenha sido em função de liberação de emendas ou verbas na área da saúde, conforme afirmou matéria da Revista Isto É.

    Ele esclarece que teve apenas uma emenda parlamentar de 2017, onde foram liberados recursos na ordem de R$ 2 milhões para Tefé. Desse total, R$ 1,88 milhão foram destinados para a construção de uma Unidade Básica de Saúde Fluvial, que será inaugurada no dia 15 de junho e prestará atendimento de atenção básica de saúde para comunidades ribeirinhas do município.

    Segundo o parlamentar, as emendas que incluíam recursos para os municípios de Tefé, Borba e Coari atenderam interesses do povo do Amazonas, para investimentos na área de saúde em 2017, não foram de sua autoria e sim do relator do Orçamento da União na Comissão Mista de Planos (CMO) do ano de 2016.

    Mudança de partido

    A opção de mudar de partido, segundo ele, se deu em razão do cenário político no Amazonas. “Preferi migrar para uma legenda na qual tivesse maior apoio para a minha reeleição. Afinal, passei a ser o único parlamentar federal do partido no Estado. Quanto ao Fundo Partidário, todas as legendas têm o mesmo teto de R$ 2,5 milhões para os candidatos ao cargo de deputado Federal, e é claro que todos os partidos irão atender os seus candidatos a reeleição com o teto”, explicou Átila.

    Ele disse ainda que mesmo que o PP tenha alguns de seus membros denunciados na operação Lava Jato, o diretório do partido no Amazonas, comandado pelo ex-deputado Francisco Garcia, e que tem como membro a ex-deputada Federal Rebeca Garcia, e muito recentemente teve em seus quadros a deputada Federal Conceição Sampaio, nunca teve nenhum dos seus membros envolvidos em qualquer denúncia.

    Entenda o caso

    A Revista Isto É desta semana publicou uma matéria onde apresenta um esquema montado para aumentar a bancada do PP na Câmara dos Deputados durante a chamada “janela partidária”, período em que os políticos podem trocar de partido sem sofrer punições.

    A reportagem cita que o deputado federal amazonense Átila Lins foi um dos “comprados” pela sigla. O parlamentar teria negociado R$ 7,650 milhões do Fundo Nacional da Saúde (FNS) para serem destinados a cidades onde tem base eleitoral e mais R$ 2,5 milhões em fundo partidário, totalizando R$ 10,150 milhões.

    Leia mais:

    Privatização da Eletrobrás não causará demissões no Amazonas, diz ministro

    Em Manaus Rodrigo Maia defende BR 319 para ligar Amazonas ao resto do País
    Sabá Reis quer CPI contra Amazonino Mendes

    CIDADANIA - ELEIÇÕES 2018

    Comentários