Fonte: OpenWeather

    Denúncia


    Prefeito de Barcelos é denunciado por compra de votos e "Caixa dois"

    As acusações partiram do principal adversário de Edson Mendes, Radson Alves, e agora é aguardada a decisão do juiz para dar o aval do caso

     

    O prefeito foi acusado de ter comprado votos de seus servidores e da população de Barcelos
    O prefeito foi acusado de ter comprado votos de seus servidores e da população de Barcelos | Foto: Divulgação

    Manaus - Após ser reeleição para seu segundo mandato, o prefeito de Barcelos, Edson Mendes (MDB), teve as contas de campanha eleitoral reprovadas pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), por denúncias de "Caixa dois" durante as últimas eleições municipais, em 2020. De acordo com as Representações Especiais, classe processual utilizada em situações de descumprimento da Lei das Eleições, o prefeito teria utilizado a máquina pública para conseguir favorecimento na campanha.

    Em um dos processos de denúncia, que também envolvem o nome da vice-prefeita Francislene de Braga Moreira, a Representação Especial nº 0600425-06.2020.6.04.0018, expõe a realização de campanha eleitoral de servidores da Prefeitura de Barcelos, por meio de publicações realizadas nas redes sociais, durante horário de expediente dos funcionários, além da participação de 18 servidores e secretários municipais em carreatas. Os servidores alegaram estar de férias.

    "Em relatório de missão policial, foram identificados 18 (dezoito) servidores públicos municipais, apenas a título exemplificativo, podendo, com maior esforço, ser identificados muitos mais, dentre eles, inclusive, vários Secretários Municipais", disse o texto da Representação, que explicou ainda que os servidores deveriam estar trabalhando, considerando o horário de expediente.

    Compra de votos

    As principais acusações contra o atual prefeito foram de que ele teria coagido os servidores para garantir sua eleição. Entre as acusações, as testemunhas alegaram que Mendes também teria oferecido dinheiro, distribuído cestas básicas e materiais de construção para a população, em busca de votos. Além disso, a ação aponta que houve fraude em doações de campanha, que teriam sido realizadas por servidores da prefeitura, conduta característica de "caixa dois". As denúncias foram embasadas após a rejeição das contas do prefeito pelo Ministério Público Eleitoral.

    A representação nº 0600426-88.2020.6.04.0018 busca apurar eventual abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação social. Apresenta também o nome de Francisco Franks Palmela Garcia, servidor da Secretaria Municipal de Administração que seria administrador do Portal Barcelos na Net, que estava promovendo propaganda para o prefeito, na época candidato à reeleição. 

    De acordo com a Representação, o acusado, Frank Garcia, se defendeu argumentando que "o uso de redes sociais de particulares não deve ensejar a responsabilidade deste por conduta vedada, tendo em vista a sua falta de ingerência na atividade de terceiros". 

    Em nota, o MP afirmou que o processo aguarda decisão judicial final. "Pelo andamento do processo, o juiz determinou que os requeridos apresentassem manifestação. Eles apresentaram e, agora, está para o juízo eleitoral decidir". 

    Defesa

    O prefeito afirmou que a assessoria jurídica já trabalhou para provar sua inocência e que as denúncias feitas pelo seu maior adversário na disputa, são frágeis e infundadas. Edson Mendes afirmou ainda que irá provar sobre quem realmente realizou compra de votos na campanha eleitoral de 2020.

    "A Promotora conduziu suas ações de modo exemplar, e tem nossa admiração. A ação do MP trata de questões sanáveis que, a nosso ver, já estão superadas por força do trabalho realizado por nossa assessoria jurídica. Em relação ao candidato derrotado, há um inconformismo declarado, já que seu grupo, predominantemente, é composto de pessoas que ajudaram a desgovernar Barcelos por mais de vinte anos, e que foi depósito nas urnas ainda em 2016. Os argumentos são frágeis e, no momento certo, iremos provar quem realmente andou comprando votos nas últimas eleições", afirmou Mendes.

    Campanha eleitoral

    As denúncias foram feitas por Radson Alves (PSC) e seu candidato a vice, Jander Loiola (PTB), principais oponentes de Edson Mendes no período de campanha eleitoral. "Radinho", como é conhecido na cidade, ficou em segundo lugar nas eleições. Durante o período de campanha eleitoral, os dois adversários, que alternavam a primeira posição na preferência do público nas pesquisas eleitorais, foram envolvidos em diversas acusações de compra de votos. 

    A equipe de reportagem do EM TEMPO procurou os denunciantes, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.

    Edson garantiu sua reeleição no município, com 3.486 votos, contra 2.978 de seu principal adversário. Algumas das propostas mais fortes do atual prefeito foram a restauração das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município e obras de recapeamento de asfaltamento na zona rural da cidade, onde esteve presente na época de campanha eleitoral.

    Leia Mais:

    Governo do AM propõe investir no potencial turístico de Barcelos

    PSC elege 13 prefeitos, 4 vice-prefeitos e 77 vereadores no AM

    No interior do AM, maioria dos prefeitos continua no poder

    Comentários