Fonte: OpenWeather

    Balanço


    Amazonino faz balanço positivo dos primeiros 100 dias no governo do AM

    Governador do AM mostrou diminuição na criminalidade, pagamento de dívidas antigas e encerramento de contrato com a Umanizzare

    Manaus - Após 100 dias no comando do Governo do Estado do Amazonas, o governador Amazonino Mendes (PDT) apresentou, nesta quinta-feira (11), um balanço do que foi realizado em sua gestão em vários setores. Na ocasião, ele deu destaque para os resultados na segurança pública e na saúde.

    Ao lado do vice-governador e secretário de segurança, Bosco Saraiva (SD), Amazonino revelou que houve redução de 50% nos casos de latrocínio (roubos seguidos de morte) e 12% nos homicídios. Como estandarte do setor, o gestor estadual enalteceu o recorde no volume de drogas apreendido nos primeiros dias de 2018 no Amazonas. Já foram retiradas de circulação 15,8 toneladas de entorpecentes, que seriam distribuídas para bocas de fumo da capital e municípios do interior. Esta é a maior apreensão do Estado no período em 12 anos.

    Governo revelou que houve redução de 12% no número de homicídios
    Governo revelou que houve redução de 12% no número de homicídios | Foto: ARQUIVO EM TEMPO


    Os avanços, segundo Bosco Saraiva, aconteceram após os policiais militares e civis ficarem mais presentes nas ruas. As ações contam com o apoio do Corpo de Bombeiros. Ele também comentou sobre a situação da Polícia Técnico-Científica, após denúncias de peritos sobre as péssimas condições de trabalho, a falta de incentivo público e não reajuste salarial há cinco anos. Ele destacou que eles serão gratificados com o aumento salarial, mas ainda não há valor definido.

    Leia mais: TV QLED 4k de 85 polegadas vai custar R$ 100 mil no Brasil

    “Os profissionais da primeira, segunda e terceira classe, assim como os legistas, receberão um considerável reajuste salarial. Decidimos isto, pois, acreditamos que devemos compor um conjunto e ter a consideração das perdas que eles tiveram nos últimos quatro anos”, acrescentou.

    Umanizzare 

    Durante a apresentação do balanço, o governador Amazonino Mendes revelou que o contrato com a empresa Umanizzare, responsável pela gestão dos presídios no Amazonas, já foi encerrado. Segundo ele, o governo não pretende renová-lo.

    A Umanizzare é responsável pela administração dos presídios do AM
    A Umanizzare é responsável pela administração dos presídios do AM | Foto: ARQUIVO EM TEMPO

    "Vamos afastar este fantasma de uma vez por todas. Eles continuam prestando serviço, mas não renovamos o contrato. O que pretendemos é fazer uma auditoria e perícia, para saber quanto custa cada preso em cada unidade. Após isto, iremos fazer um projeto base e licitação descente e correta".

    Dívidas passadas

    A SSP também identificou uma dívida de R$ 9.427 milhões, que foram herdadas de governos passados. Os gastos, segundo a Secretaria de Comunicação Social (Secom), foram destinados à locação de 638 veículos para as Polícias Militar e Civil. Para não interromper no policiamento, o governo negociou a dívida.

    Amazonino Mendes revelou que herdou mais de R$ 9 milhões em dívidas com aluguel de viaturas | Autor: Wal Lima


    Recursos da saúde

    O Estado também quitou dívidas na pasta da saúde do Estado. Isto porque, segundo o governador Amazonino Mendes, foi encontrada uma dívida de R$ 311 milhões, também herdada de gestões anteriores. Dessa quantia já foram pagos R$ 213 milhões.

    Outro desfalque foi encontrado nos recursos da saúde destinados ao interior do Estado. Segundo o secretário da Susam, Francisco Deodato, alguns municípios estavam há um ano sem receber nenhum tipo de ajuda financeira. Em medida de urgência, o governo deve repassar o valor de R$ 35,8 milhões.

    Alguns municípios do Amazonas não recebiam recursos estaduais para a saúde
    Alguns municípios do Amazonas não recebiam recursos estaduais para a saúde | Foto: ARQUIVO EM TEMPO


    O repasse de recursos também foi destinado à Fundação Cecon, para a aquisição de medicamentos de alto custo para o tratamento de câncer. O local segundo a assessoria do governo do Amazonas, estava desabastecido.

    Finanças

    Neste cem dias de gestão, a Secretaria de Estado de Finanças também incluiu um diagnóstico das contas públicas e adotou medidas para contenção de gastos. O órgão aponta que conseguiu cortar despesas e diminuir de 33% para 28% os custos da receita, o que também levou o Estado a encerrar o ano de 2017 com o superavit de 1,76%. O valor é equivalente a R$ 273 milhões. A meta para este ano é de reduzir mais 4%.

    Edição: Bruna Souza

    Leia também:

    MPF denuncia 25 pessoas por extração ilegal de ouro no Rio Madeira

    Ações de quadrilha geram R$ 30 milhões de prejuízo da Eletrobras

    Uninorte oferece 400 bolsas de estudos em Manaus

    Comentários