Fonte: OpenWeather

    Vacinação


    Estratégia de vacinação contra a Covid-19 depende do repasse de doses

    Distribuição de lotes de vacinas aos estados pelo Ministério da Saúde é desenhada conforme o cronograma de entrega dos laboratórios

     

    Ministério está sendo cauteloso na divulgação dos cronogramas em função do risco de imprevistos
    Ministério está sendo cauteloso na divulgação dos cronogramas em função do risco de imprevistos | Foto: Divulgação

    Brasil -  Desde 18 de janeiro, quando deu início ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19, o Ministério da Saúde tem distribuído as doses recebidas aos estados e municípios, a fim de ampliar a vacinação no Brasil. No entanto, eles afirmam que as estratégias de distribuição e aplicação dependem do repasse das doses por parte dos laboratórios responsáveis pela fabricação ou fornecimento dos imunizantes. 

    A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fontana, explica que o Ministério está sendo cauteloso na divulgação dos cronogramas em função do risco de imprevistos na entrega das doses, mas garante que há agilidade nos processos.

    “A logística de distribuição está sendo rápida. A vacina demora de um a dois dias para chegar aos estados”, afirma Francieli. “No dia 17 de janeiro tivemos a aprovação de duas vacinas para uso emergencial no país, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, no dia seguinte, muitos locais já iniciaram a campanha”, lembra. 

     

     A vacina demora de um a dois dias para chegar aos estados
    A vacina demora de um a dois dias para chegar aos estados | Foto: Divulgação/Folha Press

    Quando novas doses são entregues ao Ministério da Saúde pelos laboratórios, prontamente é organizado o sistema de distribuição aos estados. O Ministério da Saúde já repassou 11,8 milhões de doses das vacinas contra a Covid-19 aos estados e Distrito Federal. A orientação é de que sejam seguidas as diretrizes de vacinação aos grupos prioritários citados no plano de vacinação. 

    Brasil imunizado

    O Brasil é o sexto país que mais aplicou doses contra a doença no mundo, segundo ranking divulgado na última semana pela plataforma Our World in Data, da Universidade de Oxford (Reino Unido), que acompanha a evolução da vacinação contra a doença em todos os países com campanhas em andamento.

    O país se destaca à frente de outros que iniciaram a imunização antes, como Alemanha, França e Itália. Em primeiro lugar, aparecem os Estados Unidos (52,9 milhões), seguidos da China (40,5 milhões), Reino Unido (15,8 milhões), Índia (8,72 milhões) e Israel (6,6 milhões). 

    Leia mais

    Brasil precisa vacinar 11 vezes mais para conter Covid em um ano

    Amazonas registra 53 novas morte por Covid-19 neste domingo (21)

    Governo federal autoriza compra de vacinas da Rússia e Índia

    Comentários