Fonte: OpenWeather

    Denúncia


    Em vídeo, filho pede ajuda para mãe que precisa de cirurgia no AM

    A idosa sofre há quase dois anos com fortes dores no abdômen e o procedimento cirúrgico vem sendo adiado há meses no Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara. Família denuncia falta de itens cirúrgicos e médico-cirurgião

    A idosa de 61 anos recebeu alta médica neste sábado (12) e retornou para casa sem previsão de cirurgia
    A idosa de 61 anos recebeu alta médica neste sábado (12) e retornou para casa sem previsão de cirurgia | Foto: Arquivo Pessoal

    Itacoatiara - Familiares da idosa Maria Jefferson do Nascimento, de 61 anos, pedem ajuda do poder público para conseguirem que ela seja submetida a um procedimento cirúrgico, para a retirada de pedras na vesícula. Um vídeo gravado neste sábado (12), por um dos filhos de Maria, mostra a idosa bastante debilitada em uma das salas do Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara. 

    Nas imagens, o filho Denis Andrade do Nascimento, de 34 anos, clama por ajuda de autoridades do poder público para que intercedam pelo atendimento da mãe dele na unidade de saúde.

    O homem faz um apelo dizendo que a mãe detectou que estava com pedras na vesícula em 2017 e, desde então, busca atenção médica no município. 

    Ele afirma que a mulher quase morreu no hospital. "Toda vez a família paga exame, mas ela não é operada. Hoje [sábado], a doutora deu alta médica e quer que ela vá para casa. Eu peço ajuda das autoridades", enfatiza o homem. Veja ao vídeo:

    A idosa sofre há quase dois anos com fortes dores no abdômen e o procedimento cirúrgico vem sendo adiado há meses no Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara. Família denúncia falta de itens cirúrgicos e médico-cirurgião | Autor: Portal Em Tempo

    A reportagem conversou, por telefone, com uma neta da idosa, a atendente de telemarketing Priscila Andrade da Silva, de 26 anos. Ela conta que a avó já está há quase dois anos sofrendo com fortes dores.

    "Ela sente fortes dores abdominais, tem febre alta, fica muito inchada e está impossibilitada de andar sozinha, precisando ser acompanhada o tempo todo, até para ir ao banheiro", explica.

    Priscila conta que a avó já foi submetida a baterias de exames, a maioria particulares, mas quando chega o momento da operação o atendimento é sempre negado na unidade de saúde.

    "A família não tem muitas condições financeiras para arcar com o pagamento de exames o tempo todo. Um busca uma ajuda daqui, outro dali, e a gente vai se virando até hoje. Mas é injusto minha vó ficar fazendo vários exames, se quando chega na hora de operar eles [equipe médica] negam atendimento por falta de material cirúrgico ou de médico-cirurgião", desabafa a atendente de telemarketing. 

    Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara, é administrado pela Susam
    Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara, é administrado pela Susam | Foto: Divulgação

    A mulher denuncia, ainda, que nesta semana o hospital solicitou uma nova bateria de exames, onde foram gastos mais dinheiro e a avó teve novamente a cirurgia negada e acabou recebendo alta médica.

    "Ela fez um eletrocardiograma e um risco cirúrgico, tudo particular em Itacoatiara. Mas fora esses, teve casos em que ela precisou viajar para Manaus, para poder fazer exames solicitados por eles [integrantes da equipe do hospital]. Até quando ela [minha vó] precisa viver nessas condições?", questiona Priscila. 

    A atendente de telemarketing conta que a família já se informou sobre o valor da cirurgia particular. "Foram cobrados R$ 7 mil. A gente não tem esse valor, somos humildes. Já gastamos com vários exames e também com medicamentos para tratar as fortes dores que a minha vó sente. Recentemente ela pegou pneumonia, o que afetou ainda mais a saúde dela. Estamos recorrendo à imprensa porque sabemos que ela realmente corre risco de morte, até por conta da idade avançada. Só queremos uma solução para que minha vó melhore", explica Priscila. 

    Administração*

    O Em Tempo tentou contato com a direção do Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara, mas o número de telefone da instituição: (92) 3521-4373 só consta como desligado.  

    A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) esclareceu, por meio de nota, que "o município de Itacoatiara recebe recursos diretos do Ministério da Saúde para a prefeitura, que assume a gestão e gerencia das unidades. O Estado auxilia com verbas, recursos humanos e equipamentos". 

    O conteúdo diz, ainda, que "a Secretaria Executiva Adjunta da Atenção Especializada do Interior (SEAAEI) entrou em contato com a direção do Hospital José Mendes e foi informado que a paciente chegou à unidade com crise na vesícula, o que impede a realização imediata da cirurgia". 

    Ainda segundo o comunicado, a paciente foi avaliada pelo médico-cirurgião que solicitou exames pré-operatórios e prescreveu medicamentos para estabilizar a crise e agora aguarda a melhora da paciente para a realização da cirurgia". 

    "Quanto a falta de médicos e materiais, a SEAAEI foi informada que a unidade hospitalar de Itacoatiara possui quatro médicos especializados em cirurgia e que o estoque de matérias está baixo, aguardando fornecimento da CEMA", conclui a nota.

    Apoio

    Quem puder ajudar a idosa Maria Jefferson do Nascimento para que ela passe pelo procedimento cirúrgico para a retirada das pedras na vesícula, pode entrar em contato com familiares dela pelos números: (92) 99421-7819 Denis (filho) ou (16) 98866-3753 Priscila (neta).

    *Matéria atualizada às 9h30 do dia 13 de janeiro com o posicionamento da Susam

    Leia mais:

    Família de paciente denuncia Hospital João Lúcio por falta de material

    Pacientes denunciam atendimento precário em hospitais de Manaus

    Mulher denuncia negligência e descaso no Instituto da Mulher em Manaus



    Comentários