Fonte: OpenWeather

    Greve dos Professores 


    Professores fazem nova manifestação em frente à sede do governo do AM

    De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), Ana Cristina Rodrigues, a categoria entregou um documento com propostas para serem analisadas pelo governador Wilson Lima (PSC). 

    Mesmo com chuva que caiu na manhã desta segunda-feira (29), mais de mil professores estiveram reunidos na frente da sede do Governo do Amazonas
    Mesmo com chuva que caiu na manhã desta segunda-feira (29), mais de mil professores estiveram reunidos na frente da sede do Governo do Amazonas | Foto: Josemar Antunes

    Manaus - Mesmo com chuva que caiu na manhã desta segunda-feira (29), mais de mil professores estiveram reunidos na frente da sede do Governo do Amazonas, na avenida Brasil, no bairro Compensa, na Zona Oeste de Manaus. A categoria reivindica 15% da data base, porém o governo do Estado alega não poder exceder os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal e aguarda um estudo sobre o caso.

    O protesto desta manhã teve início por volta das 7h30 e interditou a via por quase cinco horas. Agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito Manaustrans) estiveram no local para auxiliar o fluxo de veículos, com apoio da Polícia Militar. 

    De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), Ana Cristina Rodrigues, a categoria entregou um documento com propostas para serem analisadas pelo governador Wilson Lima (PSC).
    De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), Ana Cristina Rodrigues, a categoria entregou um documento com propostas para serem analisadas pelo governador Wilson Lima (PSC). | Foto: Josemar Antunes

    De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), Ana Cristina Rodrigues, a categoria entregou um documento com propostas para serem analisadas pelo governador Wilson Lima (PSC). 

    "Nós esperamos que a resposta seja positiva e que as mesas de negociações sejam abertas. É preciso que o governador tenha sensibilidade e atenda às reivindicações da categoria, com data e valores", disse. 

    A estudante Lauhandar Santos, de 16 anos, que está sem aula desde o dia 15 de abril deste ano, declarou apoio e revelou que a escola onde estuda apresenta condições precárias. 

    "A situação da escola não é nada boa. Estamos sem aula, mas não é culpa dos professores e o governador não dá aumento merecido. Os professores precisam ser valorizados e vamos continuar com eles nesta luta de direitos", pontuou. 

    Com palavras de ordem, os professores encerraram a paralisação e o trânsito foi liberado para o tráfego no local.
    Com palavras de ordem, os professores encerraram a paralisação e o trânsito foi liberado para o tráfego no local. | Foto: Josemar Antunes

    A diretora do Sinteam, Beatriz Calheiro, confirmou que, além de Manaus, outros 40 municípios aderiram à greve. 

    Um documento com estudo solicitado pelo movimento de greve foi elaborado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e entregue ao governo para análises. "

    Não se trata só de percentual da nossa data base que venceu no dia 1° de março deste ano. A categoria de educação tanto na capital quanto no interior pediu o estudo do Dieese e entregou hoje a pesquisa elaborada por um economista. Essa foi mais uma maneira de responder ao governo que vem construindo manobra para não atender a categoria", explicou. 

    Com palavras de ordem, os professores encerraram a paralisação e o trânsito foi liberado para o tráfego no local.

    Leia mais:

    Receba notícias do EM TEMPO pelo WhatsApp - Clique aqui 

    Prefeitura de Manaus lança seleção para professores de ciências e matemática

    Professores mantêm greve após reunião com governo



    Comentários