Fonte: OpenWeather

    Volta às aulas


    Aulas aos sábados e feriados? Greve na Educação chega ao fim no AM

    As aulas serão retomadas na próxima segunda-feira (27), mas decisão sobre reposição das aulas será avaliada pela SEDUC

    Divulgação
     

    Manaus - Na tarde deste sábado (25), a assembleia geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (SINTEAM) decidiu pelo fim da greve da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC), que durou 40 dias. Na próxima segunda-feira (27), o sindicato encaminha à SEDUC uma proposta de calendário de reposição de aulas. Vinte e seis dias letivos precisam ser repostos. 

    "O responsável por prolongar e fortalecer a nossa luta foi o próprio governador", afirmou a presidente do SINTEAM, Ana Cristina Rodrigues. As aulas serão retomadas na próxima segunda (27).

    Divulgação
     

    Na última quinta (23), a Assembleia Legislativa do Estado aprovou por unanimidade o Projeto de Lei (PL) nº 293/2019, que reajusta em 4,73% a remuneração de todos os servidores da educação no Amazonas, retroativo a 1º de março de 2019. Além disso, aprovou a extensão do vale-transporte para servidores de 40h e 60h, aumento no auxílio-localidade de R$ 80 para trabalhadores da sede e R$ 120 para os da zona rural, reajuste no vale alimentação de R$ 450 para todos os servidores da SEDUC.

    Além, de pagamento das progressões horizontais e verticais, desistência, por parte do governo, da ação judicial contra sindicato e trabalhadores e a elaboração de um calendário único para reposição das aulas de duas formas: para as escolas que paralisaram as atividades parcialmente, será necessário cumprir o calendário de reposição junto com as que paralisaram totalmente. O calendário não valerá para as escolas que funcionaram 100%. Os calendários serão analisados e aprovados pelo Conselho Estadual de Educação.

    Divulgação
     

    “Tivemos avanços, sim. Não do jeito que queríamos. Vencemos uma batalha. A guerra ainda não. Nada foi fácil. Se não fosse a Assembleia Legislativa nada disso seria possível porque o governo virou as costas para a nossa categoria”, afirmou Ana Cristina.

    Vigilância

    O SINTEAM afirma que vai permanecer vigilante e fiscalizando cada passo do governo para que outras pautas saiam do papel. Entre elas a formação de uma comissão para estudar a viabilidade legal, financeira e orçamentária da proposta de recomposição das perdas financeiras dos 10,6%, a redução do tempo de concessão das progressões horizontais de 4 para 3 anos e aumento do percentual financeiro de 2% para 5% de cada migração.

    A automatização das progressões verticais (por titulação) num prazo de até 60 dias a contar da data em que o servidor deu entrada no processo, estender o atendimento e a estrutura médico-hospitalar do plano de saúde HAPVIDA aos aposentados, em que a contrapartida financeira seja dada pela AMAZONPREV, além de cobrar a melhoria no atendimento por parte do plano de saúde no interior.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Aniversário do bairro Cachoeirinha é neste sábado (25); saiba mais

    ‘O Avante não será terceirizado no Amazonas’, diz David Almeida




    Comentários