Fonte: OpenWeather

    Nota Pública


    Comitê de Combate à Tortura expede nota sobre as mortes nos presídios

    A nota pública reflete a preocupação da sociedade civil com a instabilidade do sistema prisional no Amazonas

     

    Manaus -  O Comitê Estadual de Prevenção e Combate à Tortura do Amazonas (CEPCT-AM), do qual o Ministério Público do Amazonas (MPAM) é instituição participante, expediu nota pública onde faz críticas ao atual sistema prisional do Amazonas e pede providências para que soluções competentes, permanentes e sustentadas para o problema sejam alcançadas.

     

    O Comitê se reuniu na sede do MPAM e aprovou o texto da nota. “A nota pública reflete a preocupação da sociedade civil com a instabilidade do sistema prisional e a carnificina  intolerável num ambiente sujeito às mais valiosas garantias constitucionais”, avalia o Promotor de Justiça João Gaspar Rodrigues. Integram o Comitê, além do Ministério Público, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Arquidiocese de Manaus, a Rede Um Grito Pela Vida, Associação Amazonense das Donas de Casa, Conselho Regional de Psicologia (CRP), Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica e órgãos estaduais da Segurança Pública, Justiça e Cidadania.

    Veja, na íntegra, o documento.

     

    Leia tambem:

    Veja quem são os mortos na rebelião do Compaj

    Com sigla da FDN, corpo é encontrado esquartejado na Compensa

    Primeiro preso executado no Compaj foi executado na frente da esposa

    Sem informações, familiares de presos fecham BR 174


    Comentários