Fonte: OpenWeather

    Falta de segurança


    Roubos em paradas e terminais de Manaus chegam a 2,5 mil casos

    Usuários revelam perigo enquanto aguardam ônibus. E motoristas contam como os assaltantes estão cada vez mais audaciosos nas abordagens.

    No período de janeiro a maio deste ano foram registradas 772 ocorrências | Foto: Marcely Gomes

    No período de janeiro a maio deste ano foram registradas 772 ocorrências
    No período de janeiro a maio deste ano foram registradas 772 ocorrências | Foto: Marcely Gomes

    Manaus - A espera na parada de ônibus, a subida no coletivo e a viagem até o destino pode ser um pesadelo devido ao alto índice de assaltos que acontecem na cidade. Manauaras que diariamente precisam dos transportes coletivos vivem na incerteza de que serão ou não assaltados.

    Segundo dados da Secretaria de segurança pública (SSP- AM) através do Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP), foram constatados 2,5 mil roubos a ônibus no ano de 2018.

    No período de janeiro a maio deste ano foram registradas 772 ocorrências, menor que o mesmo período do ano de 2018. Apesar da redução de 40% muitos usuários reclamam da falta de segurança.

    Ônibus especiais viram alvo de assaltantes

    Roubos em pontos de ônibus e terminais
    Roubos em pontos de ônibus e terminais | Foto: Marcely Gomes

    A atenção dos assaltantes estão voltadas para os ônibus especiais, as rotas que fazem a condução dos trabalhadores na área do Distrito Industrial. 

    Em março de 2019, assaltantes encapuzados invadiram um ônibus de transporte especial de madrugada, renderam todos os funcionários e levaram celulares, joias, relógios, mochilas e a chave do veículo. O roubo aconteceu na comunidade Novo Reino, no Bairro Tancredo Neves, zona Leste da capital.

    O analista de sistemas Brayan Costa, relembra que já viu um assalto desse tipo. Ao buscar um amigo próximo ao bairro Fazendinha viu dois homens com armas abordarem o ônibus especial. Ele foi embora assim que viu a cena e disse que os homens se passaram por trabalhadores do Distrito.

    "Foi muito rápido, nem mesmo as pessoas que estavam na parada esperando a rota desconfiaram dos assaltantes, devem ter pensado que eram novos trabalhadores", diz.

    Roubos nas paradas

    As paradas desertas na cidade são alvos de assaltos
    As paradas desertas na cidade são alvos de assaltos | Foto: Marcely Gomes

    Esperar os coletivos nas paradas por muito tempo pode ser uma oportunidade para os assaltantes agirem. Segundo relatos, as paradas desertas na cidade são alvos de assaltos. 

    Na maioria dos relatos recebidos pela reportagem do Portal Em Tempo, as características são as mesmas, duas pessoas com moto passam pela parada e observam as pessoas, fazem o retorno e anunciam o assalto ou acontece o chamado “arrastão” caracterizado por muitos assaltantes que traçam uma rota e abordam um número maior de vítimas.

    As paradas são alvo dos assaltantes
    As paradas são alvo dos assaltantes | Foto: Marcely Gomes

    O estudante Carlos Alberto conta que já foi vítima de arrastão na cidade e enfatiza que os assaltantes não ficam satisfeitos com uma ação, percorrem em outros locais para fazer mais vítimas.

    "Dois caras chegaram armados e fizeram um arrastão. Tinha crianças na parada e eles tomaram tudo da gente. Peguei uma viatura que passou depois por lá e nos deram assistência. Fui deixado pelos policiais na Praça da Saudade para pegar o ônibus e ir para casa. Quando o ônibus deu a volta no Centro e passou por lá, os dois estavam de novo assaltando outra vez a parada", relembrou.

    Relembre casos

    No último dia 15 de junho deste ano, um assalto a ônibus da linha 640 foi marcado por armas apontadas para passageiros, cobrador e motorista do veículo. O quarteto com três homens e uma mulher embarcaram no terminal de embarque e desembarque T1 e anunciaram o assalto na avenida Torquato Tapajós.

    Ao subir no ônibus todo o cuidado com os pertences é pouco
    Ao subir no ônibus todo o cuidado com os pertences é pouco | Foto: Marcely Gomes

    Além do roubo dos pertences e o pânico gerado nos passageiros, os assaltantes através de ameaças mudaram a rota do coletivo, este que ia em direção à avenida Max Teixeira teve sua rota alterada para a avenida do Turismo, o que ocasionou ainda mais o pânico entre os reféns.

    Perigo nas janelas

    Sentar na janela é correr o risco de ser assaltado(a)
    Sentar na janela é correr o risco de ser assaltado(a) | Foto: Marcely Gomes

    Sentar no assento próximo a uma janela de ônibus para muitos é uma privilégio, mas nos últimos tempos tem sido um pesadelo, principalmente para quem teve o telefone celular roubado.

    O cozinheiro Henrique Matos conta que sempre procura o assento próximo à janela. Na ocasião colocou os fones de ouvido, coisa comum entre os jovens e, não bastou um minuto, um homem pulou pelo lado de fora do ônibus e pegou o telefone da mão do cozinheiro.

    "Foi muito rápido, o homem puxou o fone e o celular da minha mão. Não tive reação", lamentou Henrique.

    O cinegrafista Mayson Dantas já conhecia esse tipo de ação, principalmente nas proximidades do Centro e relata que a tentativa de roubo aconteceu próximo ao terminal da Matriz. Diferente de Henrique, Mayson conseguiu segurar a mão do assaltante e proteger o celular, relata ainda que avisou ao motorista da tentativa de assalto e alertou os outros passageiros. 

    A ação é dentro dos terminais e nas paradas
    A ação é dentro dos terminais e nas paradas | Foto: Marcely Gomes

    "No ônibus é preciso atenção, até que se resolva a segurança eu prefiro andar com a janela fechada", ressaltou.

    Rotas do Medo

    O motorista de ônibus Jean Freitas, 42, conta que foi assaltado no dia 3 de janeiro de 2017 no turno da tarde, durante a última viagem na linha 124, por volta das 9h da noite.

    Na avenida Brasil, três jovens fizeram parada e entraram no ônibus, ficaram na parte da frente e com ameaças abordaram todos os passageiros.

    "Foi rápido, passei a primeira e a segunda marcha e senti algo frio na minha barriga. Fiquei nervoso e com medo do que podia acontecer, pois ele me ameaçava e não conseguia me concentrar em dirigir", conta.

    Ao olhar para trás viu o assaltante tomando as bolsas e os pertences dos passageiros. Jean conta que viu uma das vítimas pular a janela para não ser assaltado.

    Terror no 640

    Um dos assaltos mais violentos aconteceu na linha 640 com assaltantes conhecidos como vendedores ambulantes nos ônibus.

    Doze homens entraram na linha e tomaram os objetos pessoais de todos os passageiros, não satisfeitos agrediram o cobrador e esfaquearam um dos usuários do transporte. O motorista que foi vítima desse assalto não quis ser identificar por ter medo de represálias.

    Motorista atropelado após assalto

    Em março deste ano um motorista de ônibus Antônio Bento da Silva, 48,  após reagir ao assalto e caiu do ônibus e morreu no Hospital e Pronto Socorro 28 de agosto, localizado na Zona Centro Sul de Manaus.

    O motorista foi atropelado após reagir à assalto na linha 515
    O motorista foi atropelado após reagir à assalto na linha 515 | Foto: Reprodução

    Segundo relatos de testemunhas, o motorista ao perceber que um dos assaltantes estava desarmado, resolveu entrar em luta corporal. Um dos suspeitos empurrou o motorista para fora do ônibus e com o veículo ainda em movimento Antônio foi atropelado. O motorista trabalhava há seis anos na empresa Expresso Coroado e estava dirigindo a linha 515.

    Operações diárias

    Operação policial em ônibus e terminais
    Operação policial em ônibus e terminais | Foto: Divulgação

    Segundo a Secretaria, a Polícia Militar atua diariamente em todos os terminais de ônibus da capital amazonense, com atenção voltada e especial aos horários de grande circulação dos usuários do transporte coletivo, os horários de pico.

     A Operação Catraca consista na parada e na abordagem dos ônibus em todas as zonas da cidade, em horários estratégicos. Na madrugada, a operação reforça as abordagens nos ônibus de transporte especial (rotas) do Distrito Industrial.

    As operações acontecem em pontos estratégicos da cidade
    As operações acontecem em pontos estratégicos da cidade | Foto: Reprodução Portal Em Tempo

    O Secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates, determinou o reforço nas ações integradas para o combate à criminalidade. 

    “Mais abordagens policiais e grandes operações integradas do sistema de segurança têm refletido positivamente na redução da criminalidade em Manaus, em março foi o terceiro mês seguido de queda do número de roubos na cidade ”, diz

    Leia mais

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Durante assalto à ônibus, criminosos apontam armas para motorista

    Criminosos encapuzados invadem ônibus de rota de Distrito, em Manaus

    Comentários