Fonte: OpenWeather

    Combustível


    Motoristas liberam entrada de distribuidora de combustível em Manaus

    A região de acesso a distribuidoras de combustíveis sofria bloqueio em virtude de protesto de motoristas de aplicativos. Após intervenção policial, a via foi liberada

    O acesso à estrada do Marapatá, no Distrito Industrial, zona leste de Manaus, foi liberado nesta quarta-feira (24), após intervenção das forças de segurança pública do Amazonas.
    O acesso à estrada do Marapatá, no Distrito Industrial, zona leste de Manaus, foi liberado nesta quarta-feira (24), após intervenção das forças de segurança pública do Amazonas. | Foto: Divulgação

    Manaus - O acesso à estrada do Marapatá, no Distrito Industrial, zona leste de Manaus, foi liberado nesta quarta-feira (24), após intervenção das forças de segurança pública do Amazonas. A região de acesso a distribuidoras de combustíveis vinha sofrendo bloqueios em virtude de um protesto de motoristas de transporte por aplicativos.

    O secretário de Segurança, coronel Louismar Bonates, esteve no local no início da tarde, acompanhando o trabalho integrado realizado pela Polícia Militar e Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) com a finalidade de liberar a passagem dos caminhões com combustíveis.

    “Conversamos com os manifestantes, que trabalham com aplicativos, e conseguimos desobstruir a via sem nenhum problema. Estamos aqui para dar cobertura para que os caminhões possam entrar e sair, e que tudo volte à normalidade. Vamos manter, constantemente, as viaturas necessárias para que isso não volte a acontecer”, enfatizou o secretário de segurança.

    Saiba o motivo do protesto:

    Na manhã de terça-feira (23), vários motoristas de aplicativos bloquearam a entrada da estrada do Marapatá, no bairro Vila Buriti, Zona Sul da capital, onde fica localizada a Refinaria Isaac Sabbá (Reman). Eles protestaram contra os altos preços dos combustíveis praticados em Manaus.

    De acordo com a categoria, as duas reduções anunciadas não foram repassadas aos consumidores em Manaus. Aproximadamente 40 caminhões-tanques foram impedidos de entrar na refinaria devido a obstrução.


    Comentários