Fonte: OpenWeather

    Revitalização


    Em Manaus, Orla do Amarelinho é revitalizada por reeducandos

    Na revitalização do espaço trabalham 15 internos que cumprem penas na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) e passam por ressocialização

     

    Os serviços no local serão realizados por reeducandos do programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade”
    Os serviços no local serão realizados por reeducandos do programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade” | Foto: Divulgação/Seap

    Manaus (AM) -Os trabalhos de revitalização da Orla do Amarelinho, localizada no bairro Educandos, zona sul de Manau, passa por revitalização e os serviços no local estão sendo realizados por reeducandos do programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade”, desenvolvido pela atual gestão da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), em parceria com a Prefeitura de Manaus.

    Trabalhos realizados

    O local estava abandonado e há muito necessitava de revitalização. Entre os trabalhos que estão sendo realizados está a reestruturação de equipamentos da orla, manutenção de bancos e grades, pintura, capinagem e limpeza, além de reparos em toda a área da praça do Amarelinho.

    Internos no trabalho de recuperação

    Na revitalização do espaço estão trabalhando 15 internos do programa, que atualmente cumprem suas penas na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). Eles passaram por cursos de qualificação profissional e agora podem colocar em prática os conhecimentos obtidos dentro do sistema prisional.

    O secretário executivo adjunto da Seap, André Luiz Barros Gioia, comemorou mais uma parceria com a Prefeitura e o sucesso do uso da mão de obra carcerária na revitalização de espaços na capital.

    É uma satisfação muito grande estarmos novamente fazendo essa parceria com a Prefeitura. Na orla, os internos estão trabalhando na revitalização de um espaço de lazer e turismo fundamental para a nossa cidade. Todos ganham com isso: a sociedade, o poder público e os reeducandos, que podem remir suas penas e dar orgulho aos seus familiares”, disse.

    Remição de pena – Os reeducandos que estão trabalhando na Orla do Amarelinho têm direito a remir um dia de suas penas a cada três dias trabalhados conforme prevê a Lei de Execução Penal (LEP), Lei nº 7.210/1984.

    Edição Web: GC

    Leia mais:

    Passeio do Mindu é entregue revitalizado após parceria entre prefeitur

    Em 180 dias, quase 4 mil ruas foram revitalizadas em Manaus

    Recuperação de trecho da Torquato Tapajós finaliza em Manaus

    Comentários