Fonte: OpenWeather

    Campanha solidária


    Mãe pede ajuda para criança que perdeu couro cabeludo em eixo de barco

    Vítima de escalpelamento, a menina de 11 anos se recupera em casa, mas precisa de materiais para fazer os curativos diários

    Criança de 11 anos, passou 49 dias no hospital se recupando após ser vítima de escalpelamento
    Criança de 11 anos, passou 49 dias no hospital se recupando após ser vítima de escalpelamento | Foto: Divulgação


    Manaus - As férias da pequena Kêmilly Neves Valente, de 11 anos, pelos rios da Amazônia, foram marcadas por uma tragédia no início deste ano. Ela caiu e teve os cabelos presos pelo eixo do barco do próprio pai, enquanto trafegavam próximo de Boa Vista do Ramos. Na ocasião, o couro cabeludo dela foi arrancado. A menina sobreviveu e se recupera em Manaus. Nesta semana, a mãe dela lançou uma campanha na internet onde pede doações para compra de curativos e para suprir outros gastos com o tratamento.

    O acidente, conhecido como escalpelamento, deixou a garota de 11 anos hospitalizada por 49 dias no Hospital e Pronto-Socorro da Criança Joãozinho, localizado na avenida Cosme Ferreira, Zona Leste de Manaus. Ela recebeu alta no último dia 4 de março e encontra-se na casa de parentes se recuperando.

    Leia também: 18 municípios em 'Estado de Atenção' por conta da cheia dos rios no AM

    Apesar de estar bem, como relata a mãe Íris Neves, de 31 anos, os cuidados médicos não param.

    "Ela é uma criança feliz, normal, mesmo depois do acidente. Ela vive sorrindo, adora desenhar e até os médicos se impressionam como ela ficou depois do acidente. Mas, ainda não acabou, precisamos fazer pelo menos 50 curativos diários porque o olho dela está exposto. Vai ser assim até ela poder fazer uma cirurgia para melhorar isso", explicou a mãe.

    A campanha foi criada nesta quinta-feira (15), por meio do site Vakinha. A missão é atingir R$ 10 mil para arcar com os custos de materiais, como: gases, luvas, soro fisiológico, transporte e medicamentos. Até o momento, nenhuma doação foi registrada no site. Faça a sua doação clicando aqui.

    Mãe de menina escalpelada faz campanha solidária para ajudar filha na recuperação
    Mãe de menina escalpelada faz campanha solidária para ajudar filha na recuperação | Foto: Divulgação


    De acordo com a mãe, na próxima semana, a menina vai passar pela terceira cirurgia. Os médicos farão a reparação do olho direito. Além do site, a mãe diz que recebe outros tipos de doações, como alimentos e produtos de higiene. Para quem quiser ajudar a família, Íris deixou disponível o telefone para contato (92) 99257-0060.

    Tragédia

    Filha de pais separados, a criança de 11 anos - que é natural de Parintins (distante 369 KM de Manaus) - saiu de férias com o pai que mora em uma comunidade ribeirinha. Depois de duas semanas, quando se aproximavam de Boa Vista do Ramos, a garota, o pai, um irmão e um tio começaram a tirar a água do barco. Ela acabou escorregando e o cabelo, que ficou preso no motor, foi arrancado.

    A mãe estava em Parintins no momento do incidente e descreveu como foi receber a notícia.

    "Quando eles vieram dar a notícia, ninguém me falou a verdade. Me disseram que ela havia sofrido um acidente e que não era nada grave. Só quando cheguei em Manaus é que vi o estado que ela se encontrava", contou.

    A criança passou por duas cidades antes de chegar à capital amazonense. Os primeiros atendimentos foram realizados em Boa Vista do Ramos, logo em seguida, ela foi levada ao município de Itacoatiara (distante a 269 km da capital). 

    Criança de 11 anos, passou 49 dias no hospital se recupando após ser vítima de escalpelamento
    Criança de 11 anos, passou 49 dias no hospital se recupando após ser vítima de escalpelamento | Foto: Divulgação

    Além do escalpelamento, parte da orelha foi arrancada e o olho direito ficou sem movimento.

    "Demorei mais de uma hora para vê-la, eles não deixavam. Eu estava muito nervosa e, quando finalmente a vi, eu fiquei sem palavras. Ela só me pedia para não deixar ela morrer. Eu fiquei um mês sem conseguir olhar pro rosto da minha filha. Tive que fazer sessões com uma psicóloga porque isso me abalou muito. Depois disso, eu fui melhorando e hoje estou bem melhor", relatou emocionada.

    Durante o período em que ficou internada, a menina passou por duas cirurgias de substituição de pele, já que perdeu uma boa parte do couro cabeludo. A primeira cirurgia ocorreu uma semana depois do acidente. Parte do músculo da coxa foi retirado e colocado na cabeça dela. O segundo procedimento foi uma cirurgia plástica depois de 15 dias do acidente.

    Edição: Bruna Souza

    Leia mais:

    Pesca do Mapará movimenta pescadores artesanais em Careiro da Várzea

    Mulheres recebem serviços de beleza e saúde no Parque do Idoso

    Em Tempo cria lista de transmissão de notícias pelo WhatsApp

    Comentários