Fonte: OpenWeather

    Gasolina


    Buzinaço e lentidão no trânsito marcam manhã de protestos em Manaus

    O motivo é o aumento abusivo do preço dos combustíveis. Atos ocorrem desde a última segunda-feira (21) em Manaus e demais capitais

    Manaus - Um grupo de aproximadamente 20 pessoas, dentre motoristas e simpatizantes, fecharam em alguns momentos da manhã desta quarta-feira (23) a entrada da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), na Zona Centro-Sul de Manaus. O objetivo do grupo era chamar a atenção dos governantes e parlamentares sobre o preço abusivo dos combustíveis, anunciado para R$4,69 em alguns postos da cidade. 

    O protesto afetou fortemente o trânsito na avenida Mário Ipyranga, onde os manifestantes deixaram apenas uma mão na via disponível para o tráfego dos veículos no sentido Centro/bairro. O grupo é o mesmo que organizou o protesto na última segunda-feira (21), em que também dificultaram o trânsito em horário de pico na avenida Djalma Batista, Zona Centro-Sul.

    O objetivo do grupo era chamar a atenção dos governantes e parlamentares sobre o preço abusivo dos combustíveis
    O objetivo do grupo era chamar a atenção dos governantes e parlamentares sobre o preço abusivo dos combustíveis | Foto: Janailton Falcão

    Um dos organizadores, Lucas Cruz, disse que o movimento é a representação não oficial do movimento nacional "Vem Pra Rua", que está organizando atos em todas as regiões do país.

    "Reunimos as pessoas em grupos nas redes sociais e marcamos este encontro. Apesar de não sermos reconhecidos oficialmente, estamos lutando por direitos justos, afinal somos nós que pagamos", falou.

    Leia também: Preço dos combustíveis é tema de debate na Câmara dos Deputados

    Aproximadamente 20 pessoas participaram do ato
    Aproximadamente 20 pessoas participaram do ato | Foto: Janailton Falcão

    Ele disse que ainda não protocolaram nenhuma ata ao Governo do Estado, responsável por solicitar à casa legislativa a aprovação da reoneração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) - principal tributo estadual sobre os combustíveis. Apesar da manifestação ser controversa, ele disse que pretende tramitar ainda nesta quarta o documento ao Executivo.

    "Estamos com a ata pronta e vamos ao cartório ainda hoje para oficializar, por meio dos trâmites legais, o nosso pedido até o governador do Estado. Este é um movimento em todo o país, acontecendo em vários Estados pelo mesmo motivo e vamos continuar até o dia 30 deste mês. Se não recebermos uma resposta até este dia, vamos aumentar o número de manifestações em toda a cidade", afirmou.

    O protesto afetou o trânsito na avenida Mário Ipyranga
    O protesto afetou o trânsito na avenida Mário Ipyranga | Foto: Janailton Falcão

    Além do protesto em frente à Aleam, o grupo disse que pretende seguir a um posto de gasolina na mesma avenida para aumentar a concentração e, de lá, irão para a rodovia federal BR-174 na esperança de encontrar com caminheiros, que lutam por um combustível mais barato.

    Desde a segunda (21), carreteiros de diversas partes do país estão bloqueando estradas em protesto pelo aumento dos combustíveis, especialmente do Diesel.

    Oficiais do Instituto Municipal de Fiscalização e Engenharia de Trânsito (Manaustrans) estiveram presentes no local para monitorar a situação. 

    O movimento é a representação não oficial do movimento nacional "Vem Pra Rua",
    O movimento é a representação não oficial do movimento nacional "Vem Pra Rua", | Foto: Janailton Falcão

    Brasília

    Ainda nesta quarta, a Câmara dos Deputados, em Brasília, está reunindo a comissão de Minas e Energia para discutir a alta dos combustíveis. O Governo Federal se comprometeu em eliminar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o diesel. Os parlamentares decidem a aprovação ou não do projeto de reoneração na folha de pagamento.

    Além disso, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), apelou aos governadores que diminuíssem a alíquota do ICMS, taxa que em alguns Estados chega a ser de 32% sobre o preço dos combustíveis.

    O Governo Federal se comprometeu em eliminar a Cide sobre o diesel
    O Governo Federal se comprometeu em eliminar a Cide sobre o diesel | Foto: Janailton Falcão

    Segundo Maia, os Estados são os que mais se beneficiam neste tributo e que o parecer é preponderante na decisão de baixar os preços nos combustíveis no Brasil.

    Edição: Isac Sharlon

    Leia mais

    Motoristas do transporte especial protestam na avenida Autaz Mirim

    Ônibus circulam normalmente nesta quarta (23), em Manaus

    Caminhoneiros bloqueiam BR-174 em protesto contra alta de combustíveis

    Comentários